Carmópolis de Minas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Carmópolis de Minas
"Cidade Encanto"

Bandeira desconhecida
Brasão de Carmópolis de Minas
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Aniversário 27 de dezembro
Fundação 27 de dezembro de 1948
Gentílico carmopolitano
Prefeito(a) Geraldo Touro (PSD)
(2013–2016)
Localização
Localização de Carmópolis de Minas
Localização de Carmópolis de Minas em Minas Gerais
Carmópolis de Minas está localizado em: Brasil
Carmópolis de Minas
Localização de Carmópolis de Minas no Brasil
20° 32' 27" S 44° 38' 06" O20° 32' 27" S 44° 38' 06" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Oeste de Minas IBGE/2008[1]
Microrregião Oliveira IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Oliveira, Piracema, Passa Tempo, Cláudio, Itaguara e Carmo da Mata
Distância até a capital 125 km
Características geográficas
Área 400,621 km² [2]
População 17 050 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 42,56 hab./km²
Clima Tropical de Altitude Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,749 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 148 678,430 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 051,96 IBGE/2008[5]
Página oficial

Carmópolis de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, localizado a aproximadamente 110 Km da capital Belo Horizonte. Sua população é de aproximadamente 19.000 habitantes e sua área é de 400 Km².

História[editar | editar código-fonte]

Os primitivos habitantes da região foram os índios Carijós, Goianazes e Cataguás. Por volta de 1700, a região recebeu os primeiros brancos, bandeirantes paulistas e portugueses, em demanda ao sertão goiano. Prosseguindo em sua aventura, teriam estes brancos deixado alguns remanescentes cuidando da lavoura, para se garantirem de suprimento durante o regresso. Anos depois, ao voltarem, encontraram o local já desenvolvido, tendo-lhes sido oferecido até pão, manufaturado com trigo de plantio local. Em 1807 foi iniciada a construção da Igreja Matriz, pelo padre Domingos da Costa Guimarães. O povoado foi se desenvolvendo lentamente, e em 1862 foi criada a freguesia pela Lei Provincial n. 1144 de 24 de setembro, termo da Vila de Oliveira, então denomianada Japão, assim permanecendo até sua emancipação em 1948, quando recebeu o nome de Carmópolis de Minas[6].

Para o antigo nome "Japão", contam-se duas versões: teria provindo de um passáro homônimo da região ou da expressão "já há pão" pronunciada pelos bandeirantes ao serem acolhidos pelos habitantes locais quando de sua povoação. Há ainda um povoado rural que conserva o antigo nome da cidade, o povoado do Japão Grande.

O nome atual Carmópolis = "cidade (pólis) do Carmo", homenageia sua padroeira Nossa Senhora do Carmo e remete ao Monte Carmelo, por sua topografia montanhosa.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade está aliada ao sistema viário de rodovia, que a liga aos principais centros urbanos do país e outras importantes cidades do estado pela rodovia BR-381, beneficiando assim o seu crescimento.

Distância de algumas localidades :

A zona rural do município compreende vários povoados, entre eles:

  • Açude
  • Aguadinha
  • Areão
  • Bálsamo
  • Bananal
  • Batatal
  • Bem Fica
  • Bicudinho
  • Bicudo
  • Bom Jardim
  • Bom Jardim das Flores
  • Bom Jardim das Pedras
  • Boresca
  • Brasilândia
  • Bucaiana
  • Cachoeira da Laje
  • Capão
  • Cassimiro
  • Catucá
  • Cedro
  • Chácara
  • Congo
  • Córrego da Areia
  • Córrego Fundo
  • Córrego da Prata
  • Córrego do Paiol
  • Cruzeiro
  • Formiga
  • Gavião
  • Gerais
  • Graminha
  • Japão Grande
  • Lagoa
  • Lagoinha
  • Laranjeira
  • Laje
  • Lajinha
  • Mata
  • Mata Grande
  • Matias
  • Mingau
  • Moranga
  • Morro Alto
  • Morro das Pedras
  • Mumbaça
  • Muranga
  • Olhos d'Água
  • Paciência
  • Pau Grande
  • Pará
  • Peão
  • Pé do Morro
  • Pequi
  • Pereira
  • Ponte Grande
  • Prainha
  • Retiro
  • São José
  • Serra
  • Usina
  • Vargem Grande
  • Várzea Grande
  • Vera Cruz

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia da cidade está baseada sobretudo nos setores de serviços e indústria[7].

Considerando o PIB (Produto Interno Bruto) do município em 2013:

  1. Serviços: 35%
  2. Indústria: 21%
  3. Administração e Serviços públicos: 19%
  4. Impostos: 15%
  5. Agropecuária: 10%

Considerando-se as pessoas ocupadas por setor em 2013:

  1. Indústria: 38%
  2. Serviços: 35%
  3. Comércio: 19%
  4. Agricultura: 7%

No setor industrial, destacam-se as empresas: Copobrás, Fercar, Ferlig.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Os carmopolitanos, segundo o IBGE[8]:

Crescimento populacional:

ano nº habitantes
2016* 18812
2010 17048
2007 15743
2000 14348
1996 14052
1991 13635
1980 11322
1970 9999

(*)estimada

População por residência e sexo (2010):

urbana rural total
Homens 5898 2863 8761
Mulheres 5923 2364 8287
total 11821 5227 17048

População residente por idade (2010):

idade habitantes
0 a 14 anos 3764
15 a 59 anos 11135
60 anos ou mais 2149

Cultura e Turismo[editar | editar código-fonte]

Quatro sítios arqueológicos se encontram na cidade, onde são encontrados petróglifos (rochas originárias do período da pré-história, que contêm inscrições gravadas em sua superfície). A cidade possui ainda uma Estação Ecológica da Mata do Cedro, importante área de proteção e preservação do bioma Mata Atlântica. A Serra da Laje é um local propício para a prática de escalada e rapel. Belas cachoeiras se somam ao patrimônio natural[9].

As principais festividades da cidade são as festas de rodeio, o reinado, a semana santa e a festa da padroeira Nossa Senhora do Carmo (16 de julho).

Alguns carmopolitanos ilustres:

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010. 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010. 
  6. «IBGE | Cidades | Minas Gerais | Carmópolis de Minas | Histórico». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 2016-11-20. 
  7. «IBGE | Cidades | Infográficos | Minas Gerais | Carmópolis de Minas | Economia». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 2016-11-20. 
  8. «IBGE | Cidades | Infográficos | Minas Gerais | Carmópolis de Minas | População». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 2016-11-20. 
  9. «IstoÉ, As melhores cidades». IstoÉ. 2015. Consultado em 20/11/2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.