Cerithiidae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCerithiidae
Bittium reticulatum (da Costa, 1778), uma das espécies atlânticas de Cerithiidae, encontrada nas costas da Europa. Pertence à subfamília Bittiinae.[1]
Bittium reticulatum (da Costa, 1778), uma das espécies atlânticas de Cerithiidae, encontrada nas costas da Europa. Pertence à subfamília Bittiinae.[1]
Cinco vistas da concha de Clypeomorus subbrevicula (Oostingh, 1925), espécime proveniente do leste de Java, Indonésia.
Cinco vistas da concha de Clypeomorus subbrevicula (Oostingh, 1925), espécime proveniente do leste de Java, Indonésia.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Ordem: Caenogastropoda
Superfamília: Cerithioidea
Família: Cerithiidae
J. Fleming, 1822[1]
Distribuição geográfica
Os moluscos da família Cerithiidae são particularmente bem distribuídos nas costas e oceanos das regiões de clima tropical da Terra, com algumas espécies em clima temperado.[2]
Os moluscos da família Cerithiidae são particularmente bem distribuídos nas costas e oceanos das regiões de clima tropical da Terra, com algumas espécies em clima temperado.[2]
Gêneros
ver texto
Sinónimos
Cerithidae (sic)
Um espécime de Cerithium nodulosum Bruguière, 1792 coletado nas Filipinas; uma espécie de Cerithiidae do Indo-Pacífico cuja concha ultrapassa os 10 centímetros de comprimento, sendo popular entre os colecionadores.[2][3]

Cerithiidae (nomeadas, em inglês, cerith[3] ou horn snail -sing.[4]; este último termo, traduzido para o português, significando "caramujo chifre"; em castelhano, cornete -sing.)[2] é uma família de moluscos gastrópodes marinhos, herbívoros-detritívoros ou que se alimentam de diatomáceas[5], classificada por J. Fleming, em 1822, e pertencente à subclasse Caenogastropoda.[1] Sua distribuição geográfica abrange principalmente os oceanos tropicais da Terra, embora algumas espécies sejam adaptadas a ambientes mais frios[2], em bentos lodosos ou arenosos.[6]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Compreende, em sua totalidade, caramujos ou búzios de conchas fusiformes e com espiral geralmente alta; normalmente pequenas, com poucas atingindo tamanhos superiores aos 10 centímetros de comprimento; cobertas com um relevo muito esculpido, em sua maioria, às vezes com desenhos e marcações. Sua abertura pode apresentar uma calosidade na região da columela (calo columelar) e também apresentar um canal sifonal destacado e curvo. Opérculo córneo e paucispiral (com poucas voltas).[2][3][4][5][6]

Classificação de Cerithiidae: subfamílias e gêneros viventes[editar | editar código-fonte]

De acordo com o World Register of Marine Species, suprimidos os sinônimos e gêneros extintos.[1]

Subfamília Bittiinae Cossmann, 1906
Alabina Dall, 1902
Argyropeza Melvill & Standen, 1901
Bittiolum Cossmann, 1906
Bittium Gray, 1847
Cacozeliana Strand, 1928
Cassiella Gofas, 1987
Cerithidium Monterosato, 1884
Ittibittium Houbrick, 1993
Limatium E. E. Strong & Bouchet, 2018
Lirobittium Bartsch, 1911
Neostylidium Doweld, 2013
Pictorium E. E. Strong & Bouchet, 2013
Varicopeza Gründel, 1976
Zebittium Finlay, 1926
Subfamília Cerithiinae J. Fleming, 1822
Cerithioclava Olsson & Harbison, 1953
Cerithium Bruguière, 1789
Clavocerithium Cossmann, 1920
Clypeomorus Jousseaume, 1888
Colina H. Adams & A. Adams, 1854
Fastigiella Reeve, 1848
Glyptozaria Iredale, 1924
Gourmya Bayle, 1884
Liocerithium Tryon, 1887
Pseudovertagus Vignal, 1904
Rhinoclavis Swainson, 1840
Royella Iredale, 1912

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Cerithiidae» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 11 de fevereiro de 2019 
  2. a b c d e FERRARIO, Marco (1992). Guia del Coleccionista de Conchas (em espanhol). Barcelona, Espanha: Editorial de Vecchi. p. 69-70. 220 páginas. ISBN 84-315-1972-X 
  3. a b c ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 64-68. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  4. a b c WYE, Kenneth R. (1989). The Mitchell Beazley Pocket Guide to Shells of the World (em inglês). London: Mitchell Beazley Publishers. p. 41. 192 páginas. ISBN 0-85533-738-9 
  5. a b LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 46-47. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  6. a b SILVA, José António; MONTALVERNE, Gil (1980). Iniciação à Colecção de Conchas. Colecção Habitat. Lisboa, Portugal / Livraria Martins Fontes, Brasil: Editorial Presença. p. 55. 110 páginas