Cipriano Cassamá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cipriano Cassamá
Nascimento 1959 (59 anos)
Bula
Cidadania Guiné-Bissau
Ocupação político

Cipriano Cassamá (Bula, Guiné-Bissau, 1959) é um político da Guiné-Bissau, membro do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Foi ministro do Interior entre agosto de 2008[1] e janeiro de 2009. É o atual presidente da Assembleia Nacional Popular, ocupando o cargo desde 2014, e vice-presidente do Comité Interparlamentar da União Económica e Monetária da África de Oeste (CIP-UEMAO).

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cipriano nasceu em 1959 no seio de uma família modesta na vila de Bula, na Região de Cacheu, norte da Guiné-Bissau. Formou-se em agronomia em 1985 na Argélia, sendo atualmente estudante de direito na Faculdade de Direito de Bissau.[2]

É vice-presidente do Comité interparlamentar da União Económica e Monetária da África de Oeste (CIP-UEMAO).[2]

É casado, sendo pai de cinco filhos.[2]

Percurso político[editar | editar código-fonte]

Aderiu ao PAIGC em 1973, já no final da luta armada pela libertação nacional. Após regressar dos estudos, trabalhou como delegado do Ministério de Agricultura e Desenvolvimento Rural na região de Bolama-Bijagós.[2]

Em 1990, com trinta e um anos de idade, foi nomeado diretor-geral de Florestas e Caça no Ministério de Agricultura e Desenvolvimento Rural. Após as primeiras eleições que tiveram lugar na Guiné-Bissau em 1994, foi nomeado secretario de Estado de Turismo, Ambiente e Artesanato, no governo liderado por Manuel Saturnino da Costa. Na mesma altura foi promovido a ministro da tutela, no âmbito de uma remodelação governamental.[2]

Em 1997 foi nomeado pelo então presidente da República Nino Vieira como o seu conselheiro para as áreas da Agricultura, do Ambiente, dos Recursos Naturais e das Infraestruturas, com categoria de ministro de Estado e porta-voz da presidência da República, desempenhando essas funções até o início da guerra civil de 1998-1999.[2]

Cassamá foi o porta-voz do presidente Nino Vieira na época da guerra civil de 1998-1999.[3][4] Quando o então primeiro-ministro Francisco Fadul comparou Nino Vieira a António de Oliveira Salazar durante uma visita a Portugal, a 19 de abril de 1999, Cassamá criticou Fadul pelo uso de "linguagem propositadamente ofensiva e agressiva". Após o fim da guerra civil, e da deposição de Nino Vieira, Cassamá foi preso, juntamente com Conduto de Pina, no início de fevereiro de 2000, por supostamente incitar a guerra e apoiar a ocupação estrangeira.[5] Mais tarde foi acusado de peculato, juntamente com uma série de outros que tinham servido com Nino Vieira, vindo a ser absolvido pelo Tribunal Regional de Bissau no início de junho de 2003.[6] Serviu posteriormente como presidente do grupo parlamentar do PAIGC. Embora o PAIGC houvesse repudiado Nino Vieira, Cassamá esteve entre aqueles que deram as boas vindas ao antigo presidente quando este regressou do exílio a Bissau a 7 de abril de 2005.[7]

A 17 de março de 2008, Cassamá apresentou a sua candidatura a concorrer ao cargo de presidente do PAIGC no próximo congresso do partido, aformando que poderia renovar-se e voltar a unir o partido.[8] Foi considerado um dissidente dentro do partido. No Sétimo Congresso Ordinário do PAIGC, realizado em Gabú,[9] Carlos Gomes Júnior "Cadogo" foi reeleito presidente do PAIGC, em 1 e 2 de julho de 2008;[10] Cassamá foi candidato, mas recebeu apenas sessenta e um votos, ficando na quarta posição.[11]

A 9 de agosto de 2008 Cassamá foi nomeado ministro do Interior, no governo do primeiro-ministro Carlos Correia.[12][13] A sua nomeação como ministro do Interior foi considerada especialmente importante, uma vez que o ministério estava responsável por lidar com a eleição parlamentar de novembro de 2008. Nessa eleição o PAIGC obtivera uma maioria de 67 dos 100 lugares da Assembleia Nacional Popular, tendo Cassamá sido eleito para um lugar como candidato pela 10.ª circunscrição do PAIGC, Safim e Prabis.[14]

Após um alegado ataque por "elementos da guarda presidencial" contra o chefe de Estado-Maior das Forças Armadas, general Batista Tagme Na Waie, a 4 de janeiro de 2009, Tagme Na Waie acusou Cassamá de ordenar o ataque. Um porta-voz da guarda presidencial afirmou que um fuzil havia disparado acidentalmente, e que nenhuma tentativa de assassinato ocorrera.[15] Cassamá não foi incluído no governo do PAIGC nomeado a 7 de janeiro de 2009, sendo nomeado Lúcio Soares para o substituir como ministro do Interior.[16]

Em junho de 2014 foi eleito presidente da Assembleia Nacional Popular.[17]

Referências

  1. "Guine-Bissau: Novo PM divulga lista completa do seu Governo" Arquivado em 2008-12-02 no Wayback Machine., Lusa, August 9, 2008 (em português).
  2. a b c d e f «Biografia de Cipriano Cassamá, novo Presidente da ANP da Guiné-Bissau». Marshal Erickk 
  3. "Guinea-Bissau: Fadul in Italy", IRIN, April 23, 2008.
  4. "Bissau official says premier-designate lied about shelling", Portuguese TV (nl.newsbank.com), February 2, 1999.
  5. "Two associates of ousted Guinea Bissau president arrested", RTP Internacional TV, Lisbon (nl.newsbank.com), February 2, 2000.
  6. "Guinea-Bissau: Court acquits eight ex-governors, others charged with fraud", RDP Africa web site (nl.newsbank.com), June 5, 2003.
  7. "Nino Vieira returns from exile to a hero's welcome", IRIN, April 7, 2005.
  8. "Guiné-Bissau: Cipriano Cassamá, antigo líder parlamentar do PAIGC, apresenta candidatura à liderança do partido"[ligação inativa], Inforpress, March 17, 2008 (em português).
  9. "7ème congrès du PAIGC à 200 km à l’est de Bissau"[ligação inativa], African Press Agency, June 26, 2008 (em francês).
  10. "L’ancien Premier ministre bissau guinéen Carlos Gomis, réélu président du PAIGC" Arquivado em 4 de agosto de 2009 no Archive.is, African Press Agency, July 2, 2008 (em francês).
  11. "PAIGC/Congresso: Candidatura de Malam Bacai Sanhá ainda não reconheceu resultados e admite irregularidades na contagem dos votos", Lusa, July 2, 2008 (em português).
  12. "Guinea-Bissau gets 21 new cabinet ministers" Arquivado em 1 de dezembro de 2008 no Archive.is, African Press Agency, August 10, 2008.
  13. "Novo primeiro-ministro bissau-guineense forma Governo", Panapress, August 9, 2008 (em português).
  14. Litos Sanca, "RESULTADOS DEFINITIVOS E LISTA NOMINAL DOS DEPUTADOS DAS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS DE 2008", Agência Bissau, November 27, 2008 (em português).
  15. "Guinea-Bissau army chief: interior minister behind shooting incident", Xinhua, January 8, 2009.
  16. "Novo governo na Guiné-Bissau", Panapress, January 8, 2009 (em português).
  17. (www.dw.com), Deutsche Welle. «Ex-ministro Cipriano Cassamá eleito presidente do Parlamento guineense | DW | 17.06.2014». DW.COM. Consultado em 16 de junho de 2018.