Bolama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados de Bolama, veja Bolama (desambiguação).
Bolama
Capital Bolama
População 32424 habitantes
Censo 2009
Área 2.624 km²
Densidade 10,17 hab/km²
População est. 2004 27.959 habitantes
Mapa
Guinea-Bissau Bolama.png

Bolama é uma região da Guiné-Bissau que corresponde ao Arquipélago dos Bijagós. Sua capital é a cidade de Bolama. Possui 32424 habitantes, correspondente a 2,24% da população do país[1].

Sectores[editar | editar código-fonte]

4 Setors (desde 2004)
3 Setors (até 2004)

Demografia[editar | editar código-fonte]

População da região de Bolama/Bijagós (1979–2009)
1979[2] 1991[3] 2009[4]
25743 26891 32442

População por etnia e religião[editar | editar código-fonte]

A etnia Bijagós corresponde a quase 2/3 da população (64,3%). Menos expressiva na região é a etnia Balanta mané (menos de 0,1%).
Nesta região os cristãos são maioritários (30,7%), seguidos dos anmistas ( 24,6%) e os muçulmanos (14,9%)[5].

Património[editar | editar código-fonte]

Possui Museus em Eticoga e Bubaque[6].

Infraestruturas[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

Transporte Maritímo[editar | editar código-fonte]

Possui dois portos de águas profundas: Bolama e Bubaque[7]

Transporte Aéreo[editar | editar código-fonte]

A ilha de Bubaque possui 1 Aeroporto[6].

Hospitais/Postos de Saúde[editar | editar código-fonte]

Existem Hospitais/Posto de Saúde nas localidades de Abu ,Anônho ,Bubaque ,Eticoga e Bolama[6].

Parques Nacionais/Áreas Protegidas[editar | editar código-fonte]

Reserva da Biosfera ,Parques Nacionais e Áreas Protegidas

Toda a Região de Bolama/Arquipélago dos Bijagós está classificada como Reserva da Biosfera pela UNESCO desde 1996[7]. Existem dois Parques Nacionais[6], o Parque Nacional de Orango e o Parque Nacional Marinho João Vieira e Poilão e uma Área Protegida[6] ,a Área Marinha Protegida Comunitária das Ilhas Formosa, Nago e Tchedia (Urok).

Parque Nacional de Orango[editar | editar código-fonte]

Classificações do Parque[editar | editar código-fonte]

Reserva da Biosfera - 16 Abril de 1996, UNESCO e Sítio Ramsar - Zona húmida de importância mundial[8].

Ilhas que constituem o Parque[editar | editar código-fonte]

Ilhas de Orango, Orangozinho, Meneque, Canogo e Imbone e os ilhéus de Adonga, Canuopa e Anhetibe[8].

Biodiversidade[editar | editar código-fonte]

Flora[editar | editar código-fonte]

Existem no parque mangais e palmeiras (Elaeïs guineensis)[8].

Fauna[editar | editar código-fonte]

Existem no parque populações de hipopótamos (Hippopotamus amphibius) ,de crocodilos (Crocodylus e C. Tatraspis tetraspis) , de tartarugas marinhas (Chilonia mydas ,Eretmochelys imbricata, Lepidochelys olivacea, Caretta carettae Dermochelys coriacea) ,de gazela-pintada (Tragelaphus scriptus), macaco-verde (Cercophitecus aethiops) ,lontras (Aonyx capensis), os manatins (Trichechus senegalensis) e os golfinhos (Sousa teuszii e Tursiops truncatus), andorinhas-do-mar (Sterna caspia e S. Maxima) e papagaios-cinzentos (Psittacus erithacus)[8].

Parque Nacional Marinho João Vieira e Poilão[editar | editar código-fonte]

Classificações do Parque[editar | editar código-fonte]

Reserva da Biosfera - 16 Abril de 1996, UNESCO, Sítio Ramsar - Zona húmida de importância mundial e Dom à Terra: 18 Março de 2001, WWF[9].

Ilhas que constituem o Parque[editar | editar código-fonte]

João Vieira, Cavalo, Maio e Poilão e três ilhéus (Baixo das Gaivotas)[8].

Biodiversidade[editar | editar código-fonte]

Flora[editar | editar código-fonte]

Existem no parque mangais ,palmeiras (Elaeïs guineensis)[8] e mais de 45 espécies de plantas e ervas medicinais[9].

Fauna[editar | editar código-fonte]

O parque acolhe golfinhos (Sousa teuszil e Tursiops iruncatus), andorinhas-do-mar (Sterna maxima e Sterna Caspia) ,gaivinas-negras (Chilidonias niger) ,papagaios-cinzentos (Psittacus erithacus) ,Tartaruga-verde (Chelonia mydas),Tartaruga-de-Ridley (Lepidochelys olivacea), tartaruga de escama (Eretmochelys imbricata), Tartaruga-careta (Caretta caretta) e Tartaruga-de-couro (Dermochelys coreacea)[9].

Área Marinha Protegida Comunitária das Ilhas de Urok[editar | editar código-fonte]

Classificações do Parque[editar | editar código-fonte]

Rede das Áreas Protegidas da África Ocidental, RAMPAO.

Ilhas que constituem o Parque[editar | editar código-fonte]

Formosa, Nago e Chediã e alguns ilhéus (Quai, Ratum, Acoco).

Biodiversidade[editar | editar código-fonte]

Flora[editar | editar código-fonte]

Na área protegida comunitária existe Mangal (Avicennia germinans, Rhizophora racemosa, Rhizophora mangle, Rhizophora harrisonii, Laguncularia racemosa e Conocarpus erectus) ,Palmar (Elaeïs guineensis) ,as árvores Tagara ,Pau-bicho ,Farroba de Lala ,Pau-carvão e o Poilão.

Fauna[editar | editar código-fonte]

Existem populações de Manatins ,Pelicanos, Flamingos cor-de-rosa ,Garças ,Gaivinas ,Tartarugas Verdes ,Abutre-das-palmeiras ,golfinhos (Tursiops trucatus) e conchas (Combés-Anadara senilis).

Clima[editar | editar código-fonte]

Com um clima tropical, as ilhas teem duas estações bem definidas: a das chuvas, entre Maio e Outubro, e a seca, de Novembro a Abril.. A temperatura é sempre elevada, sendo os meses de Dezembro e Janeiro os mais frescos[10].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://www.stat-guinebissau.com/publicacao/Projeccao_demografica.pdf
  2. Instituto Nacional de Estatística.
  3. Instituto Nacional de Estatística.
  4. Instituto Nacional de Estatística.
  5. http://www.stat-guinebissau.com/publicacao/caracteristicas_socio_cultural.pdf
  6. a b c d e «Trilhas Ecoturisticas ,Arquipelagos dos Bijagos» (PDF). IBAP ,Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas. 2018. Consultado em 20 maio 2018. 
  7. a b «Trilhas Ecoturisticas ,Arquipelagos dos Bijagos». IBAP ,Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas. 2018. Consultado em 20 maio 2018. 
  8. a b c d e f «Parque Nacional das Ilhas de Orango (PNO)». IBAP ,Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas. 2018. Consultado em 21 maio 2018. 
  9. a b c «Parque Nacional Marinho João Vieira e Poilão (PNMJVP)». IBAP ,Instituto da Biodiversidade e das Áreas Protegidas. 2018. Consultado em 22 maio 2018. 
  10. Costa, Sandra (9 de setembro de 2017). «Jornal PÚBLICO, Suplemento FUGAS». Jornal Público ,Portugal. Consultado em 25 de abril de 2018. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Guiné-Bissau é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.