Claudine Auger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Claudine Auger
Nome completo Claudine Oger
Nascimento 26 de abril de 1941 (76 anos)
Paris, França
Nacionalidade França francesa
Ocupação atriz
IMDb: (inglês)

Claudine Auger (nome de batismo: Claudine Oger; Paris, 26 de abril de 1941) é uma atriz francesa.

Miss França em 1958, se tornou conhecida mundialmente pelo papel de "Domino Derval" no filme 007 contra a Chantagem Atômica / 007 - Operação Relâmpago, de 1965, o filme de maior sucesso de bilheteria de toda a série de James Bond.[1]

O papel iria inicialmente para uma atriz italiana, depois de recusado por Faye Dunaway e Raquel Welch, que já havia assinado contrato, sendo liberada por Albert Broccoli como um favor aos produtores do filme Viagem Fantástica, que a lançou em Hollywood.[2] Entretanto, Claudine impressionou tanto os produtores com sua beleza e estilo sofisticado durante os testes, que ele foi reescrito para uma francesa. Mesmo após ter aulas em Londres para refinar a pronúncia do inglês, no filme ela é dublada por Nikki van der Zyl, dubladora de diversas bond girls da série, entre elas Ursula Andress, Jane Seymour e Shirley Eaton.

O sucesso do filme lançou Auger numa carreira intensa no cinema europeu, mais constantemente em filmes de baixo orçamento de apelo erótico e comédias ligeiras, apesar de não ter lhe aberto as portas nos Estados Unidos. Em 1971, ela estrelou junto com mais duas bond girls, Barbara Bach (antes de 007 O Espião Que Me Amava, de 1977) e Barbara Bouchet, a Miss Moneypenny da versão não-oficial de Cassino Royale, de 1967, La Tarantola dal ventre nero, misto de filme de terror e erotismo muito comum na Europa dos anos 70 e 80.[3]

Também trabalhou com atores como Jean Marais, Alain Delon, Jean-Paul Belmondo e Michel Serrault e foi uma das pin-ups que mais ilustrou capas de revistas de entretenimento na época de sua maior popularidade.

Referências

  1. «Thunderball». 007Info.com 
  2. «MI6 Profile Domino Derval» (em inglês). Mi6.co.uk 
  3. «Claudine Auger». The New York Times. Consultado em 2 de maio de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]