Clavícula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Clavícula
Apontada na seta à direita
Clavicula sup.jpg

Clavícula, vista superior
Latim Clavicula
Recursos externos
Gray's subject #49 200
MeSH A02.835.232.087.227
Clavícula, vista inferior

A clavícula, do latim clavicula (pequena chave)[1] [2] , é um osso presente no esqueleto humano que liga os membros superiores ao tronco. É palpável em toda a sua extensão, e classificada como osso longo[3] , porém sem cavidade medular (medula óssea), mas com partes cortical (compacta) e esponjosa (trabecular)[carece de fontes?]. O formato dela é de um "S" suave[3] , com os dois terços mediais dela sendo convexos anteriormente e o terço lateral sendo côncavo anteriormente[4] (a junção do terço medial com o terço lateral é onde mais ocorre fraturas nesse osso)[carece de fontes?]. Junto com os músculos deltóide e peitoral maior, dá forma ao trígono clavipeitoral[5] , onde pode ser palpado o processo coracóide da escápula[6] .

Estruturas ósseas[editar | editar código-fonte]

Os seus principais acidentes ósseos da clavícula são: A impressão do ligamento costoclavicular (onde a primeira costela passa próxima à clavícula. Mais medial; o sulco do músculo subclávio (mais inferior); o tubérculo conóide (mais lateral); a face articular acromial (onde a clavícula se articula com o acrômio da escápula) e a face articular esternal (onde a clavícula se articula com o manúbrio do esterno).

Inserções[editar | editar código-fonte]

A clavícula dá origem a quatro músculos (peitoral maior, esternocleidomastóideo, deltóide e esterno-hióideo) e recebe a inserção distal de dois (subclávio e trapézio); também contém as inserções dos ligamentos ligamento costoclavicular, trapezóide e conóide (estes 2 últimos formam o ligamento coracoclavicular)[7] .

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Calais-Germain, Blandine (2010). Anatomia para o movimento. volume 1: Introdução à análise das técnicas corporais 4ª ed. (Barueri,SP: Manole). p. 110. ISBN 978-85-204-2529-9. 
  2. Freitas, Valdemar de (2004). Anatomia: conceitos e fundamentos (Porto Alegre: Artmed). p. 177. ISBN 85-363-0353-0. 
  3. a b Drake, Richard L; Vogl, Wayne; Mitchell, Adam W. M (2005). Gray's Anatomia clínica para estudantes (Rio de Janeiro: Elsevier). p. 623. ISBN 85-352-1638-3. 
  4. Marieb, Elaine N; Hoehn, Katja (2009). Anatomia e fisiologia 3ª ed. (Porto Alegre: Artmed). p. 203. ISBN 978-85-363-1809-7. 
  5. Iannotti, Joseph P; Parker, Richard (2014). Sistema musculoesquelético. volume 6: Parte I - membro superior 2ª ed. (Rio de Janeiro: Elsevier). p. 9. ISBN 978-85-352-7472-1. 
  6. Moore, Keith L; Dalley II, Arthur F; Agur, Anne M. R. (2011). Anatomia orientada para a clínica 6ª ed. (Rio de Janeiro: Guanabara Koogan). p. 677. ISBN 978-85-277-1697-0. 
  7. Netter, Frank Henry (2008). Netter, atlas de anatomia humana 4ª ed. (Rio de Janeiro: Elsevier). p. 419. ISBN 978-85-352-2148-0. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.