Craig Jones

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o piloto de motos, veja Craig Jones (piloto de motos).
Craig Jones
Informação geral
Também conhecido(a) como 133 (133MHz), The Pinhead, The Silent One, The Killer
Nascimento 11 de fevereiro de 1972
Local de nascimento Des Moines, Iowa
Estados Unidos
Instrumento(s) Sampler
Teclado
Sintetizador
Guitarra
Gravadora(s) Roadrunner Records
Afiliação(ões) Slipknot
Página oficial www.Slipknot1.com

Craig Michael Jones (Des Moines, 11 de fevereiro de 1972) é um músico norte-americano. Nascido em Des Moines, Iowa, ele é mais conhecido por ser o sampler e tecladista da banda Slipknot, no qual escolheu o número #5. Jones ingressou na banda em 1996 logo após a gravação de Mate. Feed. Kill. Repeat., substituindo Donnie Steele na guitarra, embora tenha permanecido pouco tempo nesta função. Após a saída de Joey Jordison em 2013, Jones se tornou o segundo membro mais antigo do Slipknot.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Craig Jones se juntou ao Slipknot em meados de 1996, substituindo o guitarrista original Donnie Steele após a gravação do primeiro álbum demo da banda, Mate. Feed. Kill. Repeat..[1] Ele foi apresentado pelo baterista Joey Jordison, com quem havia trabalhado anteriormente (ao lado do guitarrista Josh Brainard) na banda Modifidious.[2] Entretanto, logo após ingressar na banda, o "gênio da eletrônica e do computador" foi transferido para o papel de sampler devido ao aumento de efeitos sonoros, ruídos de fundo e reprodução de samples usadas nas músicas da banda. Com isto, Mick Thomson o substituiu na guitarra.[1] Jordison afirmou que Jones estava feliz com a mudança, observando que "ele gostava de fazer isto, apresentando todos estes barulhos e sons".[3]

Jones recebeu o apelido 133 como uma referência à velocidade do processor de seu computador, 113 MHz, descrito como "moderníssimo na época" pelo autor Joel McIver.[1]

Em setembro de 2004, foi anunciado que Jones não se apresentaria com o Slipknot por um curto período da turnê européia da banda devido a uma "emergência médica". Um comunicado no site oficial da banda explicou que "Craig Jones sofria de dores durante a primeira semana de nossa turnê européia e foi incapaz de comer ou dormir adequadamente. Portanto, foi decidido que ele retornasse aos Estados Unidos para uma cirurgia odontológica de emergência".[4] Falando sobre a situação, o guitarrista Jim Root afirmou que "estamos preenchendo o lugar dele, temos uma foto dele no camarim e sentimos sua falta todos os dias, mas não podemos cancelar a turnê".[5]

Máscara[editar | editar código-fonte]

Ao ingressar na banda como guitarrista, Jones inicialmente utilizou meia-calça feminina na cabeça durante as apresentações.[6] Mais tarde, sua máscara foi transformada em um capacete espacial de astronauta com espetos martelados por ele.[7] No álbum Iowa, o capacete foi substituído por uma máscara de látex e um zíper também foi adicionado sobre a área da boca.[7]

Juntamente com as de Root e Thomson, a máscara de Jones é reconhecida pelos fãs como sua identidade ao longo da carreira do Slipknot. No entanto, para o álbum We Are Not Your Kind em 2019, sua máscara foi ligeiramente modificada, com os espetos sendo substituídos por parafusos e uma alteração na parte superior da máscara, obtendo um efeito moicano.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Jones é frequentemente identificado pela mídia como o membro mais silencioso e privado do Slipknot, recebendo o apelido de "The Quiet One".[8] O vocalista Corey Taylor comentou seu comportamento, descrevendo-o como "o tipo silenciosamente assustador".[3] O produtor do Slipknot, Ross Robinson, acrescentou que "tentava convencê-lo a falar e ele apenas olhava para [ele]".[9] Graham Heartmann, da revista Loudwire, observou que Jones "quase nunca fala" e "mantém as pessoas afastadas", teorizando que estas qualidades inspiravam o estilo de sua máscara.[10]

Quando perguntado no início de sua carreira sobre qual profissão ele poderia atuar, Jones respondeu que provavelmente estaria "dirigindo empilhadeiras em um armazém o dia inteiro", embora ele também tenha brincado que provavelmente "estaria assassinando pessoas", o que lhe valeu o apelido de "The Killer".[8] Segundo Robinson, o último comentário foi o primeiro que o sampler fez em uma entrevista e inspirou diversas reclamações dos leitores da publicação em que foi feita.[9]

Discografias[editar | editar código-fonte]

Com o Slipknot[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c McIver 2012
  2. McIver 2003, p. 28
  3. a b Arnopp 2011
  4. «Slipknot's Craig Jones To Sit Out Part Of European Tour» (em inglês). Blabbermouth.net. 26 de setembro de 2004. Consultado em 21 de julho de 2016 
  5. «Slipknot Guitarist Discusses Missing Member» (em inglês). Blabbermouth.net. 29 de setembro de 2004. Consultado em 21 de julho de 2016 
  6. McIver 2003, p. 29
  7. a b Bryan, Tom (5 de outubro de 2015). «The Definitive History Of Every Slipknot Mask». Metal Hammer (em inglês). TeamRock. Consultado em 21 de julho de 2016 
  8. a b «A celebration of 'the quiet one' in your favourite bands». BBC Music (em inglês). BBC. 2 de abril de 2016. Consultado em 21 de julho de 2016 
  9. a b McIver 2003, p. 30
  10. Hartmann, Graham (22 de março de 2016). «7 Unforgettable Craig Jones Slipknot Moments». Loudwire (em inglês). Townsquare Media. Consultado em 21 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]