David Sassoli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
David Sassoli
Presidente do Parlamento Europeu
Período 3 de julho de 2019
a 11 de janeiro de 2022
Antecessor(a) Antonio Tajani
Sucessor(a) Roberta Metsola (interina)
Vice-presidente do Parlamento Europeu
Período 1 de julho de 2014
a 3 de julho de 2019
Deputado ao Parlamento Europeu pela Itália
Período 14 de julho de 2009
a 11 de janeiro de 2022
Dados pessoais
Nome completo David Maria Sassoli
Nascimento 30 de maio de 1956
Florença, Toscana
Morte 11 de janeiro de 2022 (65 anos)
Aviano
Nacionalidade italiano
Alma mater Universidade de Florença
Cônjuge Alessandra Vittorini
Filhos Giulio e Livia
Partido Partido Democrático
Profissão jornalista, apresentador de televisão e político
Assinatura Assinatura de David Sassoli

David Maria Sassoli (Florença, 30 de maio de 1956Aviano, 11 de janeiro de 2022) foi um jornalista, apresentador de televisão e político italiano, que serviu como presidente do Parlamento Europeu de 3 de julho de 2019 até sua morte. Foi filiado ao Partido Democrático, de tendência de centro-esquerda.[1][2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

David Sassoli nasceu em Florença a 30 de maio de 1956. Na década de 1970, licenciou-se em Ciência Política pela Universidade de Florença.

Foi membro ativo da associação italiana Articolo 21, liberi di... ("Artigo 21.°, livres de..."), fundada em 2001 e que reúne jornalistas, escritores e advogados para a defesa da liberdade de expressão.

Jornalismo[editar | editar código-fonte]

Sassoli tirou a carteira profissional de jornalista em julho de 1986. Começou por trabalhar em jornais e agências noticiosas locais, até entrar para os escritórios editoriais do jornal nacional Il Giorno, em Roma.

Em 1992, entrou para os canais da estação de televisão pública italiana, a Rai. Iniciou-se como repórter do TG3, o telejornal do canal Rai 3, e colaborou em programas como "Il rosso e il nero" ("O vermelho e o preto") e "Tempo reale" ("Tempo real"). Em 1996/1997, apresentou o programa "Cronaca in diretta" ("Cobertura em direto"), na Rai 2. Passados alguns anos, passou a pivô do TG1, o telejornal do principal canal, a Rai 1, onde se tornou num dos jornalistas mais conhecidos do país. Em 2007, foi nomeado subdiretor do TG1.

Política[editar | editar código-fonte]

Em 2009, Sassoli deixou a carreira jornalística e militou-se no Partido Democrático (PD), de centro-esquerda. Concorreu nas eleições ao Parlamento Europeu de 2009 pelo círculo da Itália Central. Foi eleito eurodeputado com o maior número de votos naquele círculo eleitoral: 412 502. Entre 2009 e 2014, foi o líder da delegação do PD no Parlamento.

Em outubro de 2012, Sassoli anunciou a candidatura às primárias do PD para ser o candidato do partido a presidente da câmara de Roma nas eleições municipais de 2013. Nas primárias, acabou por ficar em segundo lugar, com 26% dos votos, perdendo para Ignazio Marino, que arrecadou 55%. Marino viria a ser eleito edil de Roma ao derrotar Gianni Alemanno, candidato da direita e titular do cargo.

Nas eleições europeias de 2014, Sassoli foi reeleito para o Parlamento Europeu, com 206 170 votos. Nestas eleições, PD foi o partido mais votado em Itália, com cerca de 41% da votação.

A 1 de julho de 2014, Sassoli foi eleito como um dos vice-presidentes do Parlamento Europeu, com 393 votos, sendo o segundo mais votado entre os candidatos do S&D, o grupo parlamentar dos socialistas e sociais-democratas.

Nas eleições europeias de 2019, foi reeleito eurodeputado com 128 533 votos. Foi o candidato dos socialistas para presidente do Parlamento, tendo sido eleito a 3 de julho de 2019, com 345 votos, sucedendo ao também italiano Antonio Tajani. Tornou-se no sétimo italiano a ocupar a posição.[4][5]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Foi casado e tem dois filhos. Foi adepto do ACF Fiorentina, o clube de futebol da sua cidade natal.

Sassoli morreu em 11 de janeiro de 2022, aos 65 anos de idade, em Aviano.[6]

Referências

  1. Freitas de Sousa, António (3 de julho de 2019). «Quem é David Maria Sassoli, o presidente do Parlamento Europeu anti-Liga?». Jornal Económico. Consultado em 14 de julho de 2019 
  2. Domènech, Rossend (3 de julho de 2019). «Do ecrã da RAI para Estrasburgo: quem é o novo presidente do Parlamento Europeu?». Expresso. Consultado em 14 de julho de 2019 
  3. «Quem é David Sassoli, novo presidente do Parlamento Europeu». DW. 3 de julho de 2019. Consultado em 14 de julho de 2019 
  4. Agência Lusa (3 de julho de 2019). «Sassoli trocou o jornalismo pela política. Dez anos depois, é presidente do PE». TSF. Consultado em 14 de julho de 2019 
  5. Peres, Cristina (3 de julho de 2019). «David-Maria Sassoli foi eleito presidente do Parlamento Europeu com 345 votos». Expresso. Consultado em 3 de julho de 2019 
  6. «Morto il presidente del Parlamento europeo David Sassoli». la Repubblica (em italiano). 11 de janeiro de 2022. Consultado em 11 de janeiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político italiano é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.