Destruction

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Destruction
Destruction 06.jpg
Destruction ao vivo no Trasdate Iron Fest 2005.
Informação geral
Origem Weil am Rhein
País  Alemanha
Gênero(s) Thrash metal, speed metal
Período em atividade 1982 – atualmente
Gravadora(s) Nuclear Blast, Steamhammer, AFM Records
Página oficial Site oficial
Integrantes Marcel Schirmer
Mike Sifringer
Vaaver (Wawrzyniec Dramowicz)
Ex-integrantes Tommy Sandmann

Destruction é uma banda de thrash metal alemã formada no ano de 1982 pelo vocalista e baixista Marcel Schirmer, o guitarrista Mike Sifringer e o baterista Tommy Sandmann em uma pequena cidade chamada Weil am Rhein. Junto aos seus conterrâneos do Sodom, Tankard e Kreator formam o "Big 4 do Thrash Alemão". Ao longo de trinta anos de carreira, o Destruction lançou doze álbuns de estúdio, dentre eles os clássicos Sentence of Death, Infernal Overkill, Eternal Devastation e Release from Agony, e vieram influenciar fortemente as cenas do metal extremo europeu e americano. Foram um dos responsáveis pela inserção de guitarras sintetizadas no heavy metal, e tem como mascote o famoso Mad Butcher, presente na capa da maioria do discos.

História[editar | editar código-fonte]

A banda conseguiu êxito no mercado fonográfico logo no início da carreira. Em apenas um ano, tinha um contrato com a gravadora SPV e o primeiro disco nas lojas, Infernal Overkill.

Naquela altura, eles eram considerados um dos maiores grupos de thrash metal da Europa. Seu segundo disco consolidou esta posição - Eternal Devastation foi lançado em 1986 e rendeu uma turnê com os alemães do Kreator. Logo depois, a primeira baixa, Tommy saiu e foi substituído por Olly.

Destruction no Rockharz Open Air 2014

Aclamado como o melhor trabalho até então, Mad Butcher chegou às lojas em 1987. Após uma bem sucedida turnê pelos Estados Unidos e Europa, o grupo começou a mostrar sinais de problemas. O disco seguinte, Release From Agony, ousou ao acrescentar novas influências, o que deixou os fãs insatisfeitos, mas, apesar das críticas, os fãs se acostumaram ao álbum e os tem como um dos melhores da carreira da banda, e o grupo lançou um álbum ao vivo, Live Without Sense, gravado na turnê do Release From Agony.

Em 1989, Schmier decide sair da banda, e então entra o vocalista Andre Grieder (ex-Potergeist) para a gravação do disco Cracked Brain, lançado em 1990. Mike resolve continuar lançando álbuns sob a alcunha de "Neo-Destruction". Para tal, foram chamados o novo vocalista Thomas Rosenmerkel e o baixista Christian Engler. Posteriormente, Michael Piranio se junta à banda como segundo guitarrista. Durante o período, são lançados 3 álbuns, dentre eles The Least Successful Human Cannonball, os quais sequer são considerados como registros oficiais da banda.

Por volta de 1999, Schmier achou que era uma boa hora para retornar ao Destruction e levou consigo o baterista Sven Vormann. Em 2000, saiu o tão aguardado disco com parte da formação antiga, All Hell Breaks Loose. O grupo estava oficialmente de volta ao posto de uma das melhores bandas de thrash metal com os álbuns seguintes, The Antichrist (2001) e Metal Discharge (2003). Em 2005 foi lançado o excelente Inventor Of Evil, que foi bastante aclamado pelos fãs, e que conta com a participação de Biff Byford (Saxon), Doro Pesch, Shagrath (Dimmu Borgir), Björn "Speed" Strid (Soilwork), Paul Di'Anno, Messiah Marcolin (Candlemass), Mark Osegueda (Death Angel), Peter "Peavy" Wagner (Rage), e Peter Tägtgren (Hypocrisy, Pain), todos na faixa "The Alliance Of Hellhoundz". Em 2007, no aniversário de 25 anos da banda, regravaram várias de suas canções clássicas e lançaram no disco chamado Thrash Anthems. Em 2008, foi lançado D.E.V.O.L.U.T.I.O.N, também bastante aclamado. Mais recentemente, em 2011 lançaram o álbum Day Of Reckoning, e entraram na estrada pela Europa como parte do "Thrashfest Classics", ao lado das bandas Sepultura, Exodus, Heathen e Mortal Sin. Entre o fim de 2011 e 2012, eles fizeram 3 shows no Brasil, nas cidades de Curitiba, são Paulo e São Luís (Metal Open Air). Logo em 2012 é anunciado mais álbum do trio germânico, Spiritual Genocide, que foi lançado em 23 de novembro via Nuclear Blast Records.[1]

Em setembro de 2013, o Destruction voltou ao Brasil para se apresentar na quinta edição do festival Rock in Rio e chegou a dividir o palco junto aos brasileiros do Krisiun, onde tocaram a canção "Black Metal" da banda Venom.[2] [3] No ano seguinte, o trio alemão passou mais um vez pelo Brasil, fazendo shows em oito cidades em novembro e dezembro.

Durante maio e junho de 2015, o Destruction atuou numa turnê americana de mais de 20 shows junto aos brasileiros do Sepultura.

Membros[editar | editar código-fonte]

Destruction no Evolution Fest de 2006

Formação atual[editar | editar código-fonte]

Antigos integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Thomas "Tommy" Sandmann - bateria (1982-1987)
  • Oliver "Olli" Kaiser - bateria (1987-1999)
  • Harry Wilkens - guitarra (1987-1990)
  • André Grieder - vocais (1990)
  • Thomas Rosenmerkel - vocais (1993-1999)
  • Michael Piranio - guitarra (1993-1999)
  • Christian Engler - baixo (1994-1998)
  • Sven Vormann - bateria (1999-2002)
  • Marc Reign - bateria (2002-2010)

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Destruction: trailer e capa do álbum Spiritual Genocide whiplash.net. Visitado em 5 de outubro de 2012.
  2. Krisiun e Destruction trazem "força" inédita para o metal no Rock in Rio musica.uol.com.br. Visitado em 3 de junho de 2015.
  3. Destruction e Krisiun tocam cover do Venom em show de thrash no Sunset g1.globo.com. Visitado em 3 de junho de 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Destruction
Flag of Germany.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical da Alemanha, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.