Dimmu Borgir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dimmu Borgir
A banda em concerto na Finlândia, 2005
Informação geral
Origem Oslo
País Noruega
Gênero(s) Black metal sinfônico
Período em atividade 1993-atualmente
Gravadora(s) Nuclear Blast, ex-No Colours, ex-Spikefarm, ex-Cacophonous, ex-Century Media
Integrantes Shagrath
Silenoz
Galder
Victor Brandt
Daray
Gerlioz
Ex-integrantes Tjodalv
Stian Aarstad
Brynjard Tristan
Nagash
Mustis
ICS Vortex
Nicholas Barker
Hellhammer
Tanya
Astennu
Lars Archon
Snowy Shaw
Kimberly Goss
Página oficial dimmu-borgir.com

Dimmu Borgir é uma banda norueguesa de black metal sinfônico, sendo conhecida pelos seus virtuosos arranjos de teclados, agressividade e qualidade. O nome é derivado do Dimmuborgir, uma formação vulcânica na Islândia, que significa "cidades sombrias" ou "castelos/fortalezas sombrias" em islandês, feroês e nórdico antigo. Segundo a lenda local, diz-se que nesse lugar encontra-se uma conexão entra a terra e regiões infernais. A banda passou por diversas mudanças na formação desde o início, com o guitarrista Silenoz e o vocalista Shagrath permanecendo como membros originais.[1][2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

For All Tid e Stormblåst (1993-1997)[editar | editar código-fonte]

O grupo foi formado em 1993 pelo multi-instrumentista Stian "Shagrath" Thoresen, o guitarrista Sven "Silenoz" Atle Kopperud, o baixista Brynjard Tristan, o guitarrista Kenneth "Tjodalv" Åkesson e o tecladista Stian Aarstad. Um ano mais tarde, a gravadora Necromantic Gallery Productions publicou o EP Inn I Evighetens Mørke, limitado a mil cópias. No fim de 1994, a banda assinou com a No Colours Records, através da qual foi publicado seu primeiro álbum de estúdio, For All Tid.

Shagrath com Dimmu Borgir em Paris em 2007

Dois anos mais tarde lançaram ao mercado seu segundo álbum de estúdio, Stormblåst. Antes de sua gravação, Shagrath assumiu o papel de guitarrista e Tjodalv tornou-se baterista. Esse ano também foi publicado o EP Devil's Path. Pouco depois, Tristan foi demitido do grupo e deu lugar a Nagash. A ausência de Aarstad causada pela realização do serviço militar, fez com que Shagrath se encarregasse do teclado no mini-álbum.

Enthrone Darkness Triumphant (1997-1999)[editar | editar código-fonte]

Silenoz com Dimmu Borgir em Paris em 2007

Em 1997, a banda foi contratada pelo selo alemão Nuclear Blast. Em 20 de maio desse mesmo ano foi lançado Enthrone Darkness Triumphant, que tinha um ar mais melódico que os anteriores. Algum tempo depois, Stian Aarstad abandonou a banda. Em 18 de julho de 1998 editaram seu novo lançamento, Godless Savage Garden, que incluía canções novas, duas gravações de For All Tid, um cover da banda Accept e três canções ao vivo. Shagrath passou então a encarregar-se da voz e o papel de guitarrista foi realizado pelo australiano Astennu.

Spiritual Black Dimensions e Puritanical Euphoric Misanthropia (1999-2001)[editar | editar código-fonte]

Em 1999, seu quarto álbum de estúdio, Spiritual Black Dimensions, foi lançado, onde a música era ainda mais dominada pelos teclados. A grande novidade foi a inclusão em algumas músicas da voz limpa de ICS Vortex, conhecido por seu trabalho em Borknagar e Arcturus. Um novo tecladista chamado Mustis também se juntou à banda. O álbum conseguiu uma boa aceitação dos fãs.

Mas a fama veio à tona mesmo em 2001 com o lançamento do Puritanical Euphoric Misanthropia, que para muitos é o melhor álbum da banda, e que teve grande aceitação do público. Com esse lançamento, a sua música expandia para o mundo inteiro. Logo depois do lançamento, saíram em turnê mundial, vindo pela primeira vez ao Brasil. Ainda com esse lançamento, lançaram dois álbuns ao vivo que são o Alive in Torment e o World Misanthropy e também saiu o primeiro DVD oficial da banda com cenas ao vivo no Wacken Open Air 2001 e com cenas de bastidores e dos lugares passados na turnê.

Death Cult Armageddon e Stormblåst MMV (2003-2005)[editar | editar código-fonte]

Dois anos depois, lançaram o Death Cult Armageddon, que também foi um marco na história da banda, levando ela a se expandir mais ainda, pois esse foi também um dos seus melhores álbuns lançados até hoje, ganhando o primeiro lugar das paradas norueguesas com apenas uma semana de lançamento.

Em 2005, os membros fundadores Shagrath e Silenoz, decidiram regravar seu segundo álbum de estúdio, Stormblåst MMV. O álbum foi regravado no Abyss Studios (em Estocolmo), com a colaboração de Peter Tägtgren (líder das bandas Hypocrisy e Pain). Mustis e Hellhammer também participaram do projeto, enquanto os outros membros restantes estavam trabalhando em seus outros projetos. O álbum contém músicas inéditas como "Avmaktslave" e uma nova versão de "Sorgens Kammer", intitulada "Sorgens Kammer Del-II". O álbum também apresentou um DVD com uma performance ao vivo da turnê Ozzfest de 2004.

In Sorte Diaboli e Abrahadabra (2007-2010)[editar | editar código-fonte]

Galder e Vortex do Dimmu Borgir, Gods of Metal festival, 2007

Depois de uma grande turnê mundial e maior conhecimento do público, agora disparados na frente com um novo black metal, resolvem lançar um álbum conceitual e vem ao mundo o In Sorte Diaboli,[3] lançamento muito bom que levou a banda a uma nova turnê mundial já passada pelo Wacken Open Air do ano passado e a turnê que estende até hoje que se espera até o meio do ano que vem. Com o lançamento do novo DVD, intitulado The Invaluable Darkness, com data marcado para 2 outubro, fãs esperam ansiosamente por esse lançamento que pretende mostrar cenas ao vivo da turnê "The Invaluable Darkness Tour" pelo mundial e o show gravado no Wacken Open Air 2007 e clipes.

Em 2009, os membros ICS Vortex e Mustis anunciaram independentemente suas saídas do Dimmu Borgir.[4] Mustis fez uma declaração contra a banda, afirmando que ele não fora propriamente creditado por sua contribuições para a as canções do grupo, mencionando que possivelmente abriria uma ação legal.[5]

O Dimmu Borgir rapidamente confirmou o desligamento dos dois, lançando um comunicado explicando que eles foram demitidos.[6] Shagrath, Silenoz e Galder escreveram: "É engraçado como o novo disco já tem metade das composições prontas apenas por nós, sem nenhum deles participando, e ainda contém os mesmos elementos que nossa música sempre teve."[6] A decisão da banda obteve resposta mista dos fãs.

O nono álbum de estúdio da banda, Abrahadabra, saiu em setembro de 2010 com uma grande produção artística no CD e também na versão digipack. Nota-se uma volta as raízes com apenas Shagrath a tocar os teclados. Em 28 de maio de 2011 a banda realizou com concerto chamado "Forces of the Northern Night" no qual tocaram pela primeira vez junto a uma orquestra e um coro ao vivo (The Norwegian Orchestra Radio and Choir). Este show representou muito para a banda, que conseguiu realizar um de seus sonhos mais almejados da carreira. Em entrevista, Shagrath afirma que o concerto fora gravado para um lançamento em DVD para que todos os fãs pudessem aproveitar o evento.

Eonian (2018-presente)[editar | editar código-fonte]

A banda anunciou originalmente em agosto de 2013 que o trabalho havia começado no próximo álbum da banda.[7] No entanto, a produção e o lançamento do álbum enfrentaram vários atrasos.[8] Isso marcou a maior lacuna de todos os tempos entre os lançamentos de estúdio.[9] No dia 4 de maio de 2018, a banda lançou o décimo álbum de estúdio da carreira com o título Eonian, composto de 10 faixas, sucessor do Abrahadabra, e marcou o primeiro lançamento da banda após 8 anos.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Dimmu Borgir

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Notas
2001 Premio Spellemann ao melhor álbum de metal Por Puritanical Euphoric Misanthropia.
2002 Premio Alarm ao melhor álbum de metal Por Puritanical Euphoric Misanthropia.
2003 Premio Spellemann ao melhor álbum de metal Por Death Cult Armageddon.
2004 Premio Alarm ao melhor álbum de metal Por Death Cult Armageddon.
2007 Premio Spellemann ao melhor vídeo musical Por "The Serpentine Offering".
2007 Premio Alarm ao melhor álbum de metal Por In Sorte Diaboli.
2008 Premio Golden Gods Awards ao melhor videoclipe Por "The Serpentine Offering".

Referências

  1. Bradley Torreano: Dimmu Borgir. AllMusic. Consultado em 2011-06-11.
  2. Metal Storm. «Dimmu Borgir». Consultado em 11 de outubro de 2016 
  3. Dimmu Borgir – In Sorte Diaboli CD Album. Cduniverse.com (2007-04-24). Retrieved on 2011-06-11.
  4. «Dimmu Borgir: Mustis e Vortex estão fora da banda». whiplash.net 
  5. «Former DIMMU BORGIR Keyboardist Claims He Was Fired Via Text Message». www.blabbermouth.net 
  6. a b «Dimmu Borgir: 'We Have Put Up With Unprofessionalism And Bad Live Performances For Years'». Blabbermouth.net. Roadrunner Records. 2 de setembro de 2009. Consultado em 5 de fevereiro de 2010 [ligação inativa]
  7. «DIMMU BORGIR Working On Material For 2014 Release». Metal Injection. Consultado em 26 de janeiro de 2014 
  8. «DIMMU BORGIR Guitarist SILENOZ Explains New Album Delay». Blabbermouth.net. 1 de Junho de 2014. Consultado em 1 de Junho de 2014 
  9. «Shagrath (Official) Facebook page». Consultado em 18 de março de 2016 
  10. «DIMMU BORGIR Guitarist Talks 'Abrahadabra' In New Video Interview» [ligação inativa]
  11. Dimmu Borgir Profile – Dimmu Borgir Discography – Biography Of Dimmu Borgir. Heavymetal.about.com (2011-03-02). Retrieved on 2011-06-11.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Dimmu Borgir