Wacken Open Air

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Wacken Open Air
Público durante concerto no Wacken Open Air 2005.
Período de atividade 1990–presente
Número de edições 24
Fundador(es) Thomas Jensen, Holger Hübner
Local(is) Wacken, Schleswig-Holstein
 Alemanha
Data(s) Julho ou agosto
Gênero(s) Heavy metal
Página oficial www.wacken.com

Wacken Open Air (W:O:A) é um festival de heavy metal que acontece no verão europeu, ao ar livre. Ele ocorre anualmente na pequena vila de Wacken, em Schleswig-Holstein, norte da Alemanha.[1][2] Todos os anos, o festival atrai dezenas de milhares de pessoas, provenientes dos mais diferentes países, além de fãs de black metal, death metal, power metal, thrash metal, symph metal, folk metal e até mesmo metalcore, new metal e hard rock.

A primeira edição do festival aconteceu em agosto de 1990 e envolveu apenas bandas relativamente desconhecidas alemãs. Inicialmente, o casting costumava ser formado principalmente por conjuntos da Escandinávia e da Europa em geral; posteriormente, bandas brasileiras, australianas e estadunidenses, dentre outras, também passaram a se fazer presentes em diferentes edições do festival. Gradativamente, o evento foi evoluindo ao longo de suas diversas edições e, atualmente, é considerado o maior festival de heavy metal do continente europeu. Tendo uma duração inicial de apenas dois dias, posteriormente o festival passou a se estender por três dias.

O Metal Battle[editar | editar código-fonte]

O Metal Battle é um evento dentro do Wacken que dá oportunidade a várias bandas relativamente pequenas de tocar em um festival de grande porte como o Wacken. Foi assim que os conjuntos brasileiros Tuatha de Danann, Malefactor, Torture Squad, Threat, Silence Means Death e Cangaço, em 2005, 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010 respectivamente, tiveram a oportunidade de entrar no festival, com vitória mundial das bandas brasileiras nos anos de 2005 (Tuatha de Danann) e 2007 (Torture Squad). Trata-se de uma espécie de competição. As bandas tocam em um palco menor, dentro de uma área coberta, por um período de cerca de 30 minutos, perante uma banca de juízes, geralmente formada por jornalistas especializados. O vencedor ganha um contrato com a Armaggedon Music e é homenageado no palco principal, antes da atração da terceira e última noite do evento.

Cancelamento em 2020[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez desde seu surgimento, o festival Wacken Open Air sofreu um cancelamento, no ano de 2020, de modo que foi adiado para o ano seguinte, 2021, num primeiro momento. Isto se deveu à pandemia de COVID-19 e às consequentes determinações de isolamento social, determinações estas que evoluíram à proibição de qualquer ajuntamento em massa.[3]

Algumas das bandas que já passaram pelo Wacken[editar | editar código-fonte]

Alemãs[editar | editar código-fonte]

Mark Tornillo, Herman Frank, Peter Baltes e Wolf Hoffmann, integrantes da banda Accept, na edição de 2014 do Wacken Open Air.
Jennifer Haben, vocalista da banda alemã Beyond the Black, em apresentação acústica, na edição de 2016 do Wacken Open Air.
Apresentação da banda alemã Blind Guardian, na edição de 2016 do Wacken Open Air.

Americanas[editar | editar código-fonte]

Banda Helmet, se apresentando na edição de 2018 do Wacken Open Air.
Sacred Reich, se apresentando em uma das edições do Wacken Open Air.

Argentinas[editar | editar código-fonte]

Skiltron, a primeira banda argentina a se apresentar no Wacken Open Air, em 2018

Australianas[editar | editar código-fonte]

Austríacas[editar | editar código-fonte]

Brasileiras[editar | editar código-fonte]

Canadenses[editar | editar código-fonte]

Steve "Lips" Kudlow da banda Anvil, no Wacken Open Air 2013

Dinamarquesas[editar | editar código-fonte]

A banda Týr, das Ilhas Faroes, em apresentação no Wacken Open Air, em 2010

Finlandesas[editar | editar código-fonte]

Francesas[editar | editar código-fonte]

Apresentação da banda francesa Gojira, no Wacken Open Air 2018

Galesas[editar | editar código-fonte]

Gregas[editar | editar código-fonte]

Holandesas[editar | editar código-fonte]

Apresentação da banda holandesa Epica, no Wacken Open Air 2018.

Húngaras[editar | editar código-fonte]

Inglesas[editar | editar código-fonte]

Apresentação da banda inglesa Judas Priest, na edição de 2018 do Wacken Open Air.
Apresentação da banda Saxon, na edição de 2016 do Wacken Open Air.
Apresentação da banda Whitesnake, na edição de 2016 do Wacken Open Air.

Israelenses[editar | editar código-fonte]

A banda israelense Orphaned Land, na edição de 2015 do Wacken Open Air

Italianas[editar | editar código-fonte]

Japonesas[editar | editar código-fonte]

Apresentação da banda Enslaved, na edição de 2007 do Wacken Open Air.

Norueguesas[editar | editar código-fonte]

Polonesas[editar | editar código-fonte]

Piotr Wiwczarek, da banda polonesa Vader, no Wacken Open Air 2016

Portuguesas[editar | editar código-fonte]

Russas[editar | editar código-fonte]

Suecas[editar | editar código-fonte]

Apresantação da banda sueca Amon Amarth, na edição de 2017 do Wacken Open Air.

Taiwanesas[editar | editar código-fonte]

Tunisianas[editar | editar código-fonte]

Ucranianas[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Wacken Open Air