Torture Squad

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Torture Squad
Informação geral
Origem São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Death metal, thrash metal
Período em atividade 1989 - atualmente
Gravadora(s) Wacken Records
Página oficial TortureSquad.net
Integrantes
Amilcar Christófaro
Castor
André Evaristo
Ex-integrantes
Cristiano Fusco
Marcelo Fusco
Marcelo Dirceu
Fúlvio Pelli
Mauricio Nogueira
Augusto Lopes
Vitor Rodrigues

Torture Squad é uma banda de thrash / Death metal de São Paulo, formada em 1989. Seu metal agressivo, pesado e técnico pode ser conferido pelo trio Amilcar Christófaro (bateria), Castor (baixo e vocal) e André Evaristo (guitarra e vocal).

História[editar | editar código-fonte]

O Torture Squad começou em 1989 na Zonal Sul da cidade de São Paulo, tendo Cristiano Fusco como guitarrista e fundador, Marcelo Fusco na bateria e Marcelo Dirceu no baixo e voz. Tocando no underground da cena metal paulistana e com nenhum trabalho gravado até o começo da década de 90, a banda se dissolve ficando somente o guitarrista. Em 1992, recrutando novos integrantes, Fusco convida para se juntar a banda o baterista Amilcar Christófaro (RTH), o baixista Castor (Toxic Stage),o vocalista Vitor Rodrigues (RTH) e o guitarrista base Fulvio Pelli (RTH), dando a banda um novo e real recomeço. No mesmo ano a banda grava sua primeira demo chamada A Soul in Hell, e em seguida, Fúlvio Pelli deixa a banda.

Com quatro integrantes no line-up, a banda grava seu primeiro álbum Shivering (1995), mas só lançam em março de 1998 de forma independente. O álbum mostrava a banda como uma nova potência do Metal Brasileiro, com músicos altamente técnicos e músicas marcantes. Quando a primeira edição estava por esgotar, um novo selo brasileiro, chamado "Destroyer Records", se interessa em relançá-lo, e a partir de então, Torture Squad e Destroyer Records começam a trabalhar juntos. A gravadora se mostra interessada em lançar o próximo álbum do Torture Squad e a partir daí, a banda começa a compor para o segundo álbum que viria a ser o Asylum of Shadows, que mostrara uma banda evoluída, com melhoras significativas nas composições e técnica ainda mais apurada, se comparado ao último álbum. Em dezembro de 1999, o novo álbum é lançado rendendo uma pequena turnê na Alemanha em 2000 e em dezembro de 2001 lançam The Unholy Spell, um dos melhores álbuns da banda segundo o público e a mídia especializada, com ainda mais características do Death Metal e uma produção superior. Nessa época, em especial, devido a introdução da faixa título desse álbum, Amílcar Christófaro já era tido como um dos melhores bateristas de Metal do país, ao lado de nomes como Max Kolesne, Aquiles Priester e Igor Cavalera.

Em 2002 Cristiano Fusco, o último membro original, deixa a banda. Para seu lugar é chamado Maurício Nogueira, ex-guitarrista do Krisiun.

Com a formação estabilizada, entram em estúdio para gravar seu quarto álbum e em 2003 lançam Pandemonium levando o título de melhor álbum do ano pela revista Roadie Crew e demais sites. O álbum foi gravado nos Estúdios Mr. Som, e produzido pelos integrantes do Korzus, Marcello Pompeu e Heros Trench. As músicas Horror And Torture e Pandemonium ganharam videoclipes. Na metade do ano de 2004, o Torture Squad lança seu quinto álbum Death, Chaos And Torture Alive juntamente com o DVD homônimo. Como o próprio nome diz, esse álbum mostra toda a fúria da banda ao vivo do show gravado na histórica casa de show Led Slay, em São Paulo, em abertura ao show do Desaster. Em 2006 eles realizam uma turnê de dois meses tocando em cidades na Alemanha e Áustria e lançam seu primeiro EP Chaos Corporation como uma prévia para o próximo álbum chamado Hellbound.

A banda é escolhida em maio de 2007 para representar o Brasil no "Metal Battle" do festival Wacken Open Air.[1] Após três meses o Torture Squad vence a competição rendendo um contrato com a gravadora Wacken Records e a garantia de retornar aos palcos do festival em 2008. [2]

Este resultado também permitiu ao Torture Squad o lançamento do álbum Hellbound na Europa e no Brasil. Porém, no começo do ano de 2008, Maurício Nogueira deixa a banda por motivos particulares. Para substituí-lo é chamado Augusto Lopes, da banda Eternal Malediction.[3]

Com este line-up, o Torture Squad retorna à Europa para realizar a maior turnê até então tocando em 20 países fazendo mais de 70 shows, incluindo o show no festival Wacken Open Air.

O ano de 2009 começa muito bem para o Torture Squad. Depois do lançamento de Hellbound e sua excelente repercussão no Brasil, Europa e Estados Unidos, a banda realiza uma turnê europeia ao lado de duas lendas do thrash metal mundial, Overkill e Exodus. A tour começa na metade de fevereiro em Londres, onde o grupo brasileiro se apresenta pela primeira vez, e conta com mais 12 shows em países como Espanha, Alemanha, Itália, Holanda, Suíça e República Tcheca.

O álbum Aequilibrium foi lançado na Europa em agosto de 2010 pela junção Wacken Records / H’art / Zebralution / SAOL. A banda gravou uma nova versão para a faixa título de seu terceiro álbum The Unholy Spell que foi incluída como bônus com o título de The Unholy Spell 2010. O álbum foi gravado no Norcal Studios em São Paulo/Brasil com os produtores Brendan Duffey e Adriano Daga.

Em janeiro de 2011, o guitarrista Augusto Lopes deixa o Torture Squad e André Evaristo Magister / Sounder o substitui.

Em Abril de 2012, o vocal Vitor Rodrigues deixa o Torture Squad. O guitarrista André Evaristo assume os vocais dividindo-os em algumas partes com Castor.

No ano de 2013, a banda comemora 20 anos do lançamento do primeiro registro em estúdio, a demo-tape A Soul in Hell, celebrados na turnê Twenty Years Torturing People Tour 1993-2013, iniciada em maio na Europa ao lado do Artillery, Gama Bomb & Tantarana, com 18 shows em 20 dias.

De abril a agosto de 2013 a banda escolhe novamente o Norcal Studios para gravar seu sétimo álbum de estúdio intitulado Esquadrão de Tortura. Repetindo a parceria de Brendan Duffey e Adriano Daga na produção. Esquadrão de Tortura é o primeiro álbum da banda com título em português, gravado como um trio e o primeiro conceitual lírico, contando em ordem cronológica, o período em que o Brasil foi governado por um regime militar (1964 a 1985), o que faz com que esse álbum tenha grandes expectativas, já que a banda vêm se aperfeiçoando a cada dia, isso individualmente e como grupo.

Esquadrão de Tortura será lançado oficialmente no Brasil pela Substancial Music, no México e América Central pela Oz Productions, nos Estados Unidos pela End of Light, na Europa pela Quality Steel e digitalmente pelo Wikimetal.

A Data oficial do lançamento é dia 15 de novembro, dia da Proclamação da República do Brasil.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Ex-integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Cristiano Fusco (1990-2002) - Guitarra
  • Marcelo Fusco (1990-1993) - Bateria
  • Marcelo Dirceu (1990-1993) - Baixo e Vocal
  • Fúlvio Pelli (1993) - Guitarra
  • Mauricio Nogueira (2002-2008) - Guitarra
  • Augusto Lopes (2008-2011) - Guitarra
  • Vitor Rodrigues (1993-2012) - Vocal

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns Ao Vivo[editar | editar código-fonte]

EPs[editar | editar código-fonte]

Demos[editar | editar código-fonte]

  • A Soul in Hell - (1993)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]