Gastão Moreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gastão Moreira
Nascimento 05 de setembro de 1967 (48 anos)
São Paulo
Nacionalidade  Brasil
Ocupação Apresentador, vj, radialista

Gastão Moreira (São Paulo, 05 de setembro de 1967) é um apresentador de televisão, ex-VJ da MTV Brasil e atualmente jornalista musical. Possui canal no YouTube chamado República do Kazagastão.

É lembrado como um dos mais importantes VJs que a MTV teve. Da mesma forma que o “reverendo” Fábio Massari, o apresentador conquistou a admiração e a confiança do público. Após mais de 15 anos de sua saída da emissora, esse reconhecimento permanece. Um dos principais motivos disso é o conhecimento musical e a paixão pelo rock que o apresentador sempre demonstrou ter.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Advogado por formação, Gastão começou sua carreira televisiva em meados da década de 1990, figurando entre o primeiro grupo de VJs da então estreante MTV Brasil.[1] Ao longo de seus oito anos na emissora, entrevistou inúmeras personalidades do rock, como Keith Richards, Angus Young, Steven Tyler e os Ramones.[2] Descontente com os rumos da emissora, foi para a TV Cultura, onde apresentou por quatro anos o programa Musikaos. Decidido a mudar-se para a cidade catarinense de Florianópolis, sai da emissora paulistana e inicia um novo trabalho na Rede Atlântida, rede de rádios sulistas, além de lançar 3 discos com sua banda Kratera e montar uma casa de shows chamada "Célula". De volta à São Paulo, apresentou o programa Lado H, na Fashion TV, e atualmente comanda, ao lado de Marcelo Andreassa, o programa Gasômetro na rádio Kiss FM.

Tempos de Fúria

O Fúria Metal, programa apresentado por Gastão na MTV, foi ao ar de 1990 a 1998 mostrando o cenário heavy metal mundial da época. Ainda hoje ele é uma das maiores referências quando se fala de espaço para o rock, na TV. Analisando as palavras do ex-VJ, fica fácil perceber o porque da admiração dos fãs por seu trabalho. “Via o Fúria como uma missão musical de suma importância. Divulguei como pude as bandas de rock brasileiras e tentei trazer o maior número de clipes possível. Foram oito anos à frente do programa. Histórias boas não faltaram, e roubadas também”, relembra.

Entre os inúmeros grupos que passaram pelo Fúria, como KissSlayer e Pantera, alguns foram especiais para o apresentador. “Minha entrevista mais prazerosa foi com o Angus Young, meu ídolo de infância. Entrevistei o Black Sabbath, algumas vezes, e tive o prazer de conhecer o Tony Iommi e o Dio. A entrevista mais problemática foi com o The Cult, mas a banda acabou na semana seguinte. Acho que foi praga minha”, relembra bem humorado. O programa também rendeu alguns momentos inusitados. “Graças ao Fúria eu saltei de bungee jump em Phoenix, para a estreia de clipe ‘Territory’, do Sepultura. Isso que eu detesto alturas”, brinca.

Gastão admite que ainda é reconhecido como o “cara do Fúria”, devido ao seu trabalho na MTV. “Até hoje tem gente que fala do Fúria para mim. Sempre brinco que tenho orgulho de ter sido uma má influência musical para esta turma”, conta. Um dos programas mais interessantes gravados pelo ex-VJ foi a série “Gastão redescobre o Brasil”,  onde o apresentador passava por várias cidades brasileiras mostrando que o rock nacional não se restringia a Rio e São Paulo. A capital paranaense, um dos destaques do cenário musical da época, ainda lhe traz boas lembranças. “Curitiba tinha muita banda boa. Eu gostava do Shades Before Down e do Magog”, diz.

Depois da sua saída da emissora, a MTV foi se voltando, cada vez mais, para a música comercial e descartável. Esse formato fez com que o perfil dos apresentadores também mudasse. De VJs com “cultura musical”, o canal migrou para as “carinhas bonitinhas” e sem conteúdo que dominariam a telinha nos anos seguintes. Recentemente, o canal anunciou que encerrará suas atividades no próximo dia 30 de setembro. “Acho lamentável, mas inevitável devido a uma série de fatores: escolhas erradas, Youtube e o abandono da música como foco principal”, avalia Gastão.

Musikaos

Após a sua saída da MTV, o apresentador foi para a TV Cultura e comandou, durante quatro anos, o Musikaos, programa que abria espaço para várias formas de arte, além da música. O carro chefe eram as bandas, principalmente as que fizeram a sua história fora da grande mídia.

O Musikaos levou ao público ávido por uma programação musical de qualidade, vários grandes nomes do rock nacional, como Made in Brazil e Replicantes, além de muitos artistas novos, como o Cachorro Grande. “Eu tinha liberdade absoluta. Levamos quase 500 bandas para o nosso palco. Achei que faltava um espaço digno para artistas em geral, essa foi a ideia. O programa só acabou porque decidi morar em Floripa”, conta.

Botinada

Outro projeto importante na vida do ex-VJ foi a produção do documentário “Botinada, a história do punk no Brasil”. Lançado em 2006, o filme retrata o surgimento e a consolidação do estilo no país. “Eu achava que a história dos punks brasileiros era incrível, mas carente de um registro definitivo. Sempre gostei da música punk praticada no Brasil e admirei a disposição de lutar contra o dito sistema”, explica.

O processo de pesquisa se estendeu durante quatro anos. Gastão mergulhou no submundo do punk rock, indo buscar depoimentos de integrantes de vários grupos importantes no cenário brasileiro como Cólera, Olho Seco, Restos de Nada e Ratos de Porão. “Foi preciso muita boa vontade e determinação, pois estava tudo espalhado ou perdido, mas foi fascinante”, relembra.

Texto por: Marcos Anubis

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

*MTV Brasil (1990-1998)

Referências

Ligações externas

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.