Dissulfiram

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dissulfiram
Alerta sobre risco à saúde
Disulfiram2.svg
Nome IUPAC 1,1',1'',1'''-[disulfanediylbis
(carbonothioylnitrilo)]tetraethane
Outros nomes Dietilcarbamotioilsulfanil dietilaminometanoditioato
Identificadores
Número CAS 97-77-8
PubChem 3117
DrugBank DB00822
ChemSpider 3005
Código ATC N07BB01,P03AA04
SMILES
Propriedades
Fórmula química C10H20N2S4
Massa molar 296.54 g mol-1
Densidade 1,30 g·cm−3 [1]
Ponto de fusão

70 °C [1]

Ponto de ebulição

117 °C [1]

Solubilidade em água 0,2 g·l−1 a 20 °C [1]
Solubilidade solúvel em etanol, acetona, éter dietílico, benzeno, clorofórmio, dissulfeto de carbono [1]
Farmacologia
Via(s) de administração oral, implantes sub-dérmicos
Metabolismo hepático
Meia-vida biológica 60 a 120 h
Riscos associados
Frases R R22, R43, R48/22, R35
Frases S S(2), S24, S37, S60, S61
LD50 500 mg·kg−1 (Rato, oral) [2]
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Dissulfiram ou Dissulfiraão (variação em língua portuguesa) é um medicamento usado no tratamento do etilismo (alcoolismo). Foi a primeira intervenção farmacológica aprovada pelo FDA e é comercializado com os nomes Antabuse e Antabus. Para ser eficiente, deve ser associado a acompanhamento psicológico, farmacêutico e ocupacional.[3]

Administração[editar | editar código-fonte]

A dose habitual é 250mg ou 500mg por dia, em regime de dose única diária, preferencialmente pela manhã, após um intervalo de pelo menos 12 horas de abstinência de álcool. Se causar sonolência, pode ser utilizado antes de dormir. Recomenda-se tomar por pelo menos 1 ano.[4]

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

O dissulfiram (DSF) é um inibidor irreversível e inespecífico da enzima acetaldeído desidrogenase, que decompõe o álcool no estágio de acetaldeído.

O etanol (álcool) sofre uma biotransformação, através da enzima álcool desidrogenase, tornando-se um acetaldeído, que através da enzima acetaldeído desidrogenase, torna-se acetato. O acetato, através da enzima acetilCoA sintetase, torna-se acetilCoA, podendo este entrar do ciclo dos ácidos tricarboxílicos (TCA) para formar ATP. Contudo, durante o metabolismo do etanol é produzido NADH, e a razão NADH/NAD+ é alterada. O excesso de NADH faz parar a o ciclo dos ácidos tricarboxílicos, havendo uma acumulação de acetilCoA. Este excesso de acetilCoA pode ser desviado para a síntese de corpos cetónicos, isto é, há novamente a produção de acetato que dá origem a acetona e/ou ao ácido beta-hidroxibutírico. Como a acetona é altamente volátil, é normal que o hálito de uma pessoa que consuma álcool etílico tenha um odor característico a acetona.

O fármaco age inibindo a enzima acetaldeído desidrogenase, dessa forma, ocorre um acúmulo de acetaldeído, causando vasodilatação em pacientes que consomem o etanol, sendo assim, a interação álcool-dissulfiram pode causar queda da pressão arterial, taquicardia, náusea, vômito, confusão mental, fraqueza, rubor, sudorese e cefaleia. Quanto maior o consumo de álcool e dissulfiram piores os efeitos adversos observados, ou seja, há uma relação dose-dependente, categorizados como efeito antabuse ou efeito dissulfiram. O efeito do dissulfiram pode durar duas semanas após sua administração.[4][5]

Efeito dissulfiram[editar | editar código-fonte]

Em farmacologia, a expressão "efeito dissulfiram" ou "efeito antabuse" se refere à hipersensibilidade ao álcool em que ocorre uma interação a um medicamento específico, como o dissulfiram. Os sintomas são depressão respiratória, arritmias cardíacas e convulsões, o que pode levar ao óbito. Metronidazol, tinidazol, trimetoprim-sulfametoxazol, griseofulvina, fenacetina, fenilbutazona, cefamandol, cefoperazona, cefotetano, cloranfenicol, isoniazida, nitrofurantoína, sulfametoxazol, isossorbida, nitroglicerina, clorpropamida, glibenclamida, tolazamida, tolbutamida são exemplos de fármacos que interagem com álcool produzindo o efeito antabuse[6]. Também, outro medicamento que pode causar o efeito é a isotretinoína, utilizado no tratamento de acne.[7]

Contraindicações[editar | editar código-fonte]

Os medicamentos, bebidas e alimentos (incluindo vinagre, bombons com licor etc.) e formas farmacêuticas líquidas e semissólidas de uso oral e tópico (loção para barba, perfumes, antissépticos orais, xaropes, elixires etc.) que possuem teor relevante de etanol devem ser evitados ou avaliados. Também, os medicamentos que contenham metronidazol e paraldeído não podem ser administrados concomitantemente ao dissulfiram.[8]

Notas e referências

  1. a b c d e Thieme Chemistry (Hrsg.): Römpp Online. Version 3.1. Georg Thieme Verlag, Stuttgart 2007.
  2. (en) « Dissulfiram » em ChemIDplus
  3. Azrin NH, Sisson RW, Meyers RE, Godley M. Alcoholism treatment by disulfiram and community reinforcement therapy. J Behav Ther Exp Psychiatry 1982;13:105-12.
  4. a b Telessaúde Santa Catarina, 2014. Quais são as recomendações para uso de dissulfiram? http://aps.bvs.br/aps/quais-sao-as-recomendacoes-para-uso-de-dissulfiram/
  5. Castroa, Luís (2004). «Tratamento farmacológico da dependência do álcool». Consultado em 10 de dezembro de 2021. Cópia arquivada em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) 🔗 
  6. CRFSP. Revista do Farmacêutico. n° 107.
  7. Bigby, M.; Stern, R. S. (março 1988). «Adverse reactions to isotretinoin. A report from the Adverse Drug Reaction Reporting System». Journal of the American Academy of Dermatology. 18 (3): 543–552. ISSN 0190-9622. PMID 3280622 
  8. P. R. Vade-mécum ABIMIP 2006/2007

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre fármacos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.