Dragon (revista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Dragon
Frequência mensal
Editora  Estados Unidos TSR / WotC / Paizo
 Brasil Abril Jovem
Categoria Role-playing game (RPG)
Primeira edição The Strategic Review
Primavera de 1975
The Dragon
Junho de 1976

Dragon é uma revista de RPG oficial sobre Dungeons & Dragons lançada em 1976.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Em 1975, a TSR, Inc. começou a publicar "The Strategic Review". Na época, RPGs ainda eram vistos como um sub-gênero de WarGames, a revista não era exclusiva sobre "Dungeons & Dragons" e outros jogos da TSR, e tratava de WarGames em geral. Logo, porém, a popularidade e o desenvolvimento de Dungeons & Dragons, o jogo teve não só a sua independência de suas origens no WarGame, mas também criou um novo mercado por si só.

A TSR cancela "The Strategic Review" no próximo ano, depois de apenas sete edições e a substituída com duas revistas: Little Wars, que tratava de jogos de miniatura e "The Dragon", que tratava de RPGs. Depois de 13 edições, Little Wars foi cancelada e seu conteúdo foi incorporado na "The Dragon" a partir do número 24. "The Dragon", em seguida, tornar-se "Dragon Magazine" e, finalmente, "Dragon".[1]

A Wizards of the Coast (WotC) comprou a TSR, Inc. e suas propriedades intelectuais, incluindo a Dragon em 1997. A produção foi então transferido de Wisconsin para o Estado de Washington. Em 1999, a Wizards of the Coast foi comprada pela própria Hasbro.

Em 1999, uma compilação em CD-ROM com as primeiras 250 edições foi lançado em formato pdf com um visualizador especial, incluindo um artigo e uma busca de palavras-chave. Também foram incluídas as sete edições de "The Strategic Review". Esta compilação é conhecida como Dragon Magazine Archive.. Por causa de um conflito sobre os direitos de reprodução da tira Knights of the Dinner Table, publicada por muitos anos da revista, a Dragon Magazine Archive está fora de catálogo e muito difícil de encontrar.


Em 2002, a WotC cedeu a licença para Paizo Publishing para editar a revista, a licença durou até setembro de 2007. Em 19 de abril de 2007, WotC revogou a licença da Paizo,[1] que lançou uma revista própria, a Pathfinder, que daria origem ao jogo Pathfinder Roleplaying Game,[2] a revista passou a ser publicada pela própria Wizards no formato digital.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Em 1995, a Abril Jovem, divisão juvenil da Editora Abril, entra no mercado de RPG, adquirindo a licença TSR, Inc. para publicar Advanced Dungeons & Dragons, First Quest e o jogo de cartas colecionáveis Spellfire, a editora lança uma versão brasileira da Dragon, editada por Rogério Saladino, havia no país uma outra revista de RPG com nome Dragon, editada por Marcelo Cassaro e publicada pela Editora Trama, a Trama resolve mudar o nome da revista para Dragão Brasil, mesmo assim, a Abril Jovem continuaria a reclamar, de acordo com Cassaro, cogitado substituir a revista pelo spin-off Só Aventuras, contudo, a Dragon seria cancelada e logo a própria Abril anunciaria seus produtos na Dragão Brasil, Saladino acabou migrando para a Dragão Brasil e se tornou co-editor com Cassaro e JM Trevisan, ficando conhecidos como Trio Tormenta[3] a linha acabou sendo cancelada e AD&D só voltaria a ser publicado pela Devir Livraria em 1999.[4]

Referências

  1. a b Rogério Saladino. (2007)"Dungeon & Dragon". Dragon Slayer (14). São Paulo. Editora Escala
  2. Tzimisce (23 de outubro de 2010). «Pathfinder Roleplaying Game Core Rulebook (resenha)». RedeRPG 
  3. Marcelo Telles (2003). «O Trio Tormenta». Editora Trama. Dragão Brasil (100) 
  4. (Outubro de 1999). "Nova Safra". Dragão Brasil (55). Editora Trama


Ligações externas[editar | editar código-fonte]