Escape from Alcatraz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Escape From Alcatraz
Os Fugitivos de Alcatraz (PT)
Alcatraz - Fuga Impossível (BR)
Ilha de Alcatraz
 Estados Unidos
1979 •  cor •  112 min 
Direção Don Siegel
Roteiro J. Campbell Bruce (novela)
Richard Tuggle
Elenco Clint Eastwood
Patrick McGoohan
Género Aventura
Ação
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Escape from Alcatraz (br: Alcatraz - Fuga Impossível /Fuga de Alcatraz pt: Os Fugitivos de Alcatraz) é um filme americano de 1979, um suspense dirigido por Don Siegel com o ator Clint Eastwood. Baseia-se na história real da fuga de Frank Morris da prisão situada na Ilha de Alcatraz. O filme é estrelado por Eastwood, Jack Thibeau e Fred Ward no papel dos prisioneiros Frank Morris, Clarence Anglin e John Anglin. Allen West foi interpretado por Larry Hankin, mas teve seu nome alterado para Charley Butts. Patrick McGoohan interpreta o desconfiado e vingativo diretor do presídio, enquanto Danny Glover faz sua estreia cinematográfica. Escape from Alcatraz marca a quinta e última colaboração de Eastwood e Siegel, após Coogan's Bluff (1968), Two Mules for Sister Sara (1970), The Beguiled e Dirty Harry (1971).

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Em 18 de janeiro de 1960, Frank Morris (Clint Eastwood) chega ao presídio de segurança máxima da Ilha de Alcatraz, San Francisco. Logo após seu registro, Morris é recebido pelo diretor da prisão (Patrick McGoohan), que o informa de que ninguém jamais conseguiu escapar da ilha. Morris faz amizade com os presos Litmus (Frank Ronzio), fissurado por sobremesas, English (Paul Benjamin), um prisioneiro negro condenado por matar dois homens brancos em legítima defesa, e o pintor e agricultor Doc (Roberts Blossom).

Morris também se torna inimigo de um estuprador chamado Wolf (Bruce M. Fischer), que o assedia no chuveiro e depois tenta atacá-lo com uma faca no pátio da prisão. Quando o diretor descobre uma pintura caricata sua, Doc perde o direito de pintar em sua cela. Furioso, Doc corta os próprios dedos e morre na cela. No dia seguinte, Morris encontra os ladrões de banco John e Clarence Anglin (Fred Ward e Jack Thibeau), quem já conhecia de outros presídios, e conhece o novo vizinho de cela, Charley Butts (Larry Hankin). Em seguida, durante o almoço, Morris coloca um crisântemo na mesa em homenagem a Doc, mas o diretor passa pela mesa e esmaga a flor. Litmus, com raiva, tenta reagir, mas sofre um ataque cardíaco. O diretor friamente lembra aos demais presos que "alguns nunca estarão destinados a deixar Alcatraz - vivos".

Morris percebe que o concreto ao redor do duto de ventilação de sua cela está apodrecendo e pode ser quebrado. A partir de então, ele começa a elaborar um plano de fuga. Nos meses que se passaram, Morris, os irmãos Anglin e Butts cavam ao redor do tubo de ventilação de suas celas com colheres (roubadas durante o almoço) e fazem um molde da grade em papel machê.

Em 11 de junho de 1962, o grupo decide fugir da prisão. Wolf, recém-saído da solitária, tenta atacar Morris com uma faca, mas é impedido por English. Na mesma noite, Morris, os irmãos Anglin e Butts planejam se encontrar na passagem de ar da prisão e fugir pelo telhado. Com medo de ser descoberto, Butts desiste na última hora e permanece em sua cela. Com as capas de chuva que servirão de balsa, Morris e os irmãos Anglin conseguem escalar o duto de ventilação e chegam até o telhado. Em seguida, o trio desce pela lateral da prisão e pulam uma cerca até chegar à costa rochosa da ilha. O trio entra na água e usa a capa de chuva como balsa para chegar a uma ilha vizinha.

No dia seguinte, os policiais descobrem a fuga dos prisioneiros e iniciam uma massiva busca na Baía de São Francisco. Querendo preservar seu recorde de impedir todas as tentativas de fuga, o diretor da prisão insiste na versão de que os três presos morreram afogados nas águas frias da baía.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Roteiro e filmagens[editar | editar código-fonte]

Banco utilizado durante as filmagens de Escape from Alcatraz.

Alcatraz foi fechada pouco tempo após os fatos verídicos que deram origem ao livro e ao filme. O roteirista Richard Tuggle passou seis meses estudando e pesquisando o roteiro baseado no romance de não-ficção de J. Campbell Bruce. Tuggle recebeu uma lista de agentes literáris que aceitariam manuscritos não-solicitados e enviou uma cópia para cada um deles. Todos rejeitaram, dizendo que haviam diálogos pobres e personagens fracos, além de faltar um interesse romântico na história e que o público não estaria interessado em histórias de prisioneiros. Tuggle decidiu, então, suplantar os produtores e executivos e negociar diretamente com cineastas. O produtor entrou em contato com o agente de Don Siegel e mentiu, dizendo que ambos haviam se conhecido em uma festa e que o próprio Siegel estaria interessado em dirigir o filme. O agente passou o roteiro para Siegel, que aprovou e passou para Clint Eastwood.[1]

Eastwood se interessou de primeira pelo papel do ladrão de bancos Frank Morris e concordou em estrelar o filme, sendo mais de uma de suas produções pela Malpaso Productions. No entanto, Siegel insistiu em produzir o filme sozinho e comprou os direitos de Eastwood por 100 mil dólares.[2] Isto criou uma pequena divisão entre os dois amigos. Apesar de Siegel eventualmente concordar em produzir sob a marca Malpaso-Siegel, o diretor transferiu-se para a Paramount Pictures e nunca voltou a colaborar com Eastwood.[3]

Como o gerador de energia de Alcatraz já não funcionava há anos, a produção precisou implantar 15 milhas de cabos elétricos até San Francisco. Como Siegel e Tuggle trabalharam no roteiro, os produtores pagaram 500 mil dólares para restaurar partes do presídio e recriar a atmosfera gélida do local; alguns interiores foram criados em estúdio. Muitas das melhorias foram mantidas intactas após a conclusão das filmagens.

Exatidão histórica[editar | editar código-fonte]

O filme deixa claro que a fuga foi bem-sucedida.[4][5] Porém, na realidade, até aos dias atuais não se sabe se os três fugitivos sobreviveram, apesar de certas evidências de seu paradeiro após a fuga.[6][7]

O personagem Charlie Butts é fictício. Um quarto prisioneiro, Allen West, participou da fuga real, mas foi deixado para trás por não conseguir remover a grade de ventilação de sua cela na noite planejada.[8] Posteriormente, West serviu como principal testemunha do plano de fuga.[9]

O diretor da prisão é um personagem obscuro e sem nome. O filme se passa entre a chegada de Morris à Alcatraz, em janeiro de 1960, e sua fuga em junho de 1962. Pouco após sua chegada, Morris reúne-se com o diretor, que permanece em seu escritório por todo o restante do filme. Na realidade, o diretor Paul J. Madigan foi substituído por Olin G. Blackwell em 1961.[10] No filme, o personagem cita Johnston e Blackwell como seus antecessores.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Escape from Alcatraz foi bem recebido pela crítica especializada e é considerado um dos melhores filmes do ano de 1979.[11][12] Frank Rich, da revista Time, descreveu o filme como "legal e uma graça cinematográfica", enquanto Stanley Kauffman do jornal The New Republic chamou-o de "cinema cristalino". O site Rotten Tomatoes coletou análises de 22 críticos e deu ao filme uma taxa de aprovação de 95%, com nota de 6.9/10.[13] O filme arrecadou 5.306.354 milhões de dólares nos Estados Unidos durante sua semana de estreia, em 24 de junho de 1979. No total, o filme rendeu 43 milhões de dólares em bilheterias, tornando-se a 15ª maior bilheteria do país em 1979.[14]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios (desde fevereiro de 2012).


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Litwak, Mark (1986). Reel Power: The Struggle For Influence and Success in the New Hollywood. [S.l.]: William Morrow & Company. p. 131–132. ISBN 0-688-04889-7 
  2. Hughes, p.175
  3. McGilligan, Patrick (1999). Clint: The Life and Legend. London: Harper Collins. p. 304. ISBN 0-00-638354-8.
  4. «A Byte out of History: Escape from Alcatraz». Federal Bureau of Investigation. 8 de junho de 2007 
  5. McFadden, Robert D. (10 de junho de 2012). «Tale of 3 Inmates Who Vanished From Alcatraz Maintains Intrigue 50 Years Later». The New York Times 
  6. «O mistério da maior fuga de Alcatraz continua após 50 anos». O Globo. 12 de junho de 2012 
  7. «Did three men actually survive the escape from Alcatraz?». Telegraph. 13 de outubro de 2015 
  8. «Alcatraz: Living hell». National Geographic Channel 
  9. «Valued exposure: Alcatraz». BBC News. 15 de junho de 2009 
  10. Jerry (27 de janeiro de 2011). «The Fading Voices of Alcatraz». AuthorHouse 
  11. «Most Popular Feature Films Released in 1979». IMDb 
  12. «The Best Movies of 1979 by Rank». Films101.com 
  13. «Escape from Alcatraz - Reviews». Rotten Tomatoes 
  14. «Escape from Alcatraz (1979)». Box Office Mojo 
Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.