Estante Virtual

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Estante Virtual
Slogan "Busque livros na maior rede de sebos do Brasil."
Gênero Comércio de livros e correlatos
Cadastro requer cadastro para compra e venda
País de origem  Brasil
Idioma(s) Português
Lançamento 20 de outubro de 2005
Página oficial www.estantevirtual.com.br

A Estante Virtual é um portal brasileiro de comércio eletrônico que reúne o maior acervo de sebos (em Portugal, alfarrabista) e livreiros do Brasil. Através de um sistema de busca próprio, o portal oferece aos leitores acesso a mais de 16 milhões de livros seminovos e usados (números de março de 2017), além de raros e esgotados a preços em média mais baratos que as livrarias convencionais – o portal afirma ter economia média de 52% de desconto em relação às livrarias. A Estante possui cerca de 4 milhões de leitores cadastrados e vende 10 mil livros por dia (1 livro comprado a cada 5 segundos). Em números de março de 2017, o portal possuía mais de 2 mil vendedores.

A Estante Virtual foi criado pelo administrador carioca André Garcia em 20 de outubro de 2005.

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

A Estante é um marketplace de nicho (livros e correlatos). Os leitores buscam livros por autor, título, editora ou descrição entre todas as ofertas de acervos dos vendedores cadastrados no portal. Os resultados contém informações adicionais sobre cada exemplar, como ano de edição, gênero literário, estado de conservação, preço, e dados do vendedor, como formas de pagamento e índices de qualificação. O portal oferece diversas opções de refinar buscas entre critérios, e também filtros, organizando os resultados, como Preço, Cidade, Vendedor, Frete, Ano e Categoria.

Um pedido pode conter vários livros de vários vendedores diferentes, cada um com prazo e preços diferentes para aquisição e envio. As formas de pagamento inclui o cartão de crédito via PayPal e depósito bancário. A entrega é feita pelos Correios.

Segurança[editar | editar código-fonte]

A Estante opera com certificações de segurança da Certisign e Norton Secured, além de ter seu compromisso particular intitulado "Site Protegido", focado na proteção e privacidade dos dados particulares do usuários. A Estante Virtual é membro da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOMM).

O Estante Virtual acompanha os acervos, o atendimento e as estatísticas de todos os livreiros do portal usando critérios de performance comercial e termos de vendas.[1]

Ao contrário de alguns modelos de marketplace, a Estante Virtual se responsabiliza pelas vendas realizadas no portal, garantindo a entrega ou o ressarcimento do pagamento.

Em avaliações do serviço e-Bit, principal pesquisador de avaliações dos consumidores brasileiros, a Estante Virtual possui o selo "Diamante", o mais alto da categoria.[2]

Críticas e Mercado[editar | editar código-fonte]

Em 2012, sebos e livreiros fizeram algumas críticas ao site devido à falta de transparência e unilateralidade de suas decisões.

Em junho de 2014, 150 sebos e livreiros retiram seus acervos do ar em protesto ao reajuste nas tarifas sobre vendas.

Um abaixo-assinado on-line, que foi ao ar no mesmo período, solicitando mudanças nos termos do reajuste. A Estante Virtual ouviu as reivindicações dos livreiros explicou a necessidade de alterações tarifárias como necessárias para promover novos desenvolvimentos.

Em 2016, Andre Garcia, fundador da Estante virtual comenta ao portal draft sobre os erros e acertos da Estante Virtual.[3]

Em 2017, com a crise econômica no Brasil e mudança nos hábitos de consumo, portais de compra e venda de usados passam a ganhar mais destaque na mídia. É o caso de portais como OLX, Mercado Livre e de nicho como Estante Virtual.[4][5]

Presença Física[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser um e-commerce e vender livros exclusivamente online, a Estante Virtual marca presença física em alguns eventos, entre eles a Bienal do Livro.[6]

Referências

  1. «Qualificações dos leitores é garantia de segurança e qualidade da Estante Virtual». Estante Virtual. 20 de Outubro de 2010. Consultado em 18 de Maio de 2011 
  2. Ebit. 26 de Março de 2013 http://www.ebit.com.br/estante-virtual. Consultado em 26 de Março de 2013  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  3. «Os acertos e erros da Estante Virtual, primeiro acervo digital de livros do país, que este ano cresceu 20%». Projeto Draft 
  4. «Crise econômica impulsiona sites de produtos usados». ISTOÉ DINHEIRO. 3 de fevereiro de 2017 
  5. «Especialistas explicam como lidar com as contas de início de ano». O Globo. 9 de janeiro de 2017 
  6. «Bienal do Livro» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]