Eve Arnold

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Eve Arnold (Filadélfia, 21 de abril de 1912 - Londres, 4 de janeiro de 2012) foi uma fotógrafa americana. Foi uma das pioneiras do fotojornalismo mundial, trabalhando para a Agência Magnum na qual se efetivou em 1957 após ter iniciado sua carreira em 1951.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Eve, nascida Cohen, era filha de judeus imigrantes russos, seu pai era o rabino William Cohen (nascido Velvel Sklarski), e sua esposa, Bessie (Bosya Laschiner) - uma dos nove filhos do casal; apesar do sucesso como fotógrafa a mãe duvidava da sua profissão e mesmo quando publicara uma série de fotos na importante Life Magazine ela lhe perguntou, apenas: "Por que se orgulha?"[2]

Eve começara a estudar medicina mas, em 1946, ganhou de presente de um namorado uma câmera Rolleicord e abandonou a carreira para dedicar-se à fotografia; em 1948 matriculou-se na New School for Social Research de Nova York - onde era uma estranha no meio: tanto por ser mulher quanto por ser branca, já que a escola era num "gueto", o Harlem.[2]

Casada com Arnold Arnold, mudou-se do Harlem com o filho de ambos, Frank, indo morar em Long Island; era fizera vários registros de Malcolm X e do movimento que surgia do Black Power mas, rejeitada pela imprensa estadunidense, seu esposo enviou seus trabalhos para a Picture Post, de Londres, que ao publicá-la, deu realmente início à sua carreira, em 1951.[2]

Quando foi contratada em 1957 pela Magnum passou a cobrir eventos de grande importância como as convenções do Partido Republicano ou as audiências McCarthy; separada do marido, estabeleceu sua base de trabalho em Londres, visando a educação do filho, e passou a viajar por todo o mundo, registrando pessoas e países - morou ali na mesma casa até seus noventa anos quando a saúde fez com que fosse transferida para uma casa de repouso.[2]

Nas décadas de 1960 e 1970 voltou a trabalho aos Estados Unidos, onde registrou o movimento pelos direitos civis ou para os países comunistas então vistos como "fechados" ao Ocidente; em 1971 realizou um filme - "Women Behind the Veil" (Mulheres atrás do véu), registrando os banhos árabes e haréns.[2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Seus trabalhos renderam vários livros que reuniam sua visão do mundo, desde a diva Marilyn Monroe até as favelas da África do Sul.[2] Dentre estes, destacam-se:

Fotografia[editar | editar código-fonte]

  • Marilyn Monroe, 1960.
  • Jacqueline Kennedy arranging flowers with daughter Caroline, 1961.
  • Horse Training for the Militia in Inner Mongolia, 1979.

Livros[editar | editar código-fonte]

  • The Unretouched Woman, 1976.
  • Flashback: The 50's, 1978.
  • In China, 1980.
  • In America, 1983.
  • Marilyn for Ever, 1987.
  • Marilyn Monroe: An Appreciation, 1988.
  • All in a Day's Work, 1989.
  • The Great British, 1991.
  • In Retrospect, 1999.
  • Film Journal, 2002.
  • Handbook, 2005
  • Marilyn Monroe 2005
  • Eve Arnold's People 2010
  • All About Eve 2012

Referências

  1. s/a (5/1/2012). «Fotógrafa da Magnum, Eve Arnold morre aos 99 anos». Folha de São Paulo. Consultado em 7/5/2016. 
  2. a b c d e f Amanda Hopkinson (5/1/2012). «Eve Arnold obituary». The Guardian. Consultado em 7/5/2016.