Exército Popular de Libertação do Sudão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde junho de 2010). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Exército Popular de Libertação do Sudão
Flag of the SPLA (2011 to present).svg
Bandeira do Exército Popular de Libertação do Sudão
País Sudão do Sul
Corporação Exército
Criação 1983
Comando
Comandante Salva Kiir Mayardit
emblema do SPLA/M

O Exército Popular de Libertação do Sudão (EPLS) é o exército da República do Sudão do Sul. O EPLS foi fundado como um movimento de guerrilha em 1983 e foi um participante fundamental da Segunda Guerra Civil Sudanesa. Durante a guerra, foi liderado por John Garang até sua morte em 30 de julho de 2005.

O Exército Popular de Libertação do Sudão e sua ala política, o Movimento Popular de Libertação do Sudão (MPLS), são conhecidos conjuntamente como Exército/Movimento Popular de Libertação do Sudão (E/MPLS). É liderado liderado pelo comandante-em-chefe Salva Kiir Mayardit, presidente do Sudão do Sul. Estabelecido no sul do Sudão, o E/MPLS lutou na segunda guerra civil sudanesa contra o governo sudanês de 1983 a 2005. Em 1989, ele se juntou ao principal grupo de oposição no Sudão, a Aliança Democrática Nacional (NDA), que em janeiro de 2005 assinou o Amplo Acordo de Paz (Tratado de Naivasha) com o governo sudanês, que colocou fim a guerra civil. Após a assinatura do acordo de paz, o E/MPLS possuiu representantes no governo do país, além de ser o principal componente do governo da região autônoma do Sudão do Sul.

Apoio dos Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Em 1996, os EUA enviaram quase US$ 20 milhões em equipamento militar através da Etiópia, da Eritreia e do Uganda para ajudar a oposição sudanesa a derrubar Omar al-Bashir (presidente sudanês). Funcionários norte-americanos negaram a ajuda foi destinada ao SPLA, mas houve relatos, de forças de elite dos EUA noutros locais que estavam trabalhando com as forças rebeldes do exército sudanês.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.