Federação Metropolitana de Desportos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Federação Metropolitana de Desportos
Logotipo oficial.
Tipo Desportiva
Fundação 11 de dezembro de 1934 (85 anos)
Sede Rio de Janeiro, RJ,  Brasil

A Federação Metropolitana de Desportos (FMD) foi uma entidade criada por alguns clubes de futebol da cidade do Rio de Janeiro para organizar o Campeonato Carioca.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A criação da FMD[editar | editar código-fonte]

Em 11 de dezembro de 1934, na sede do Botafogo, oito clubes (Botafogo, Vasco da Gama, Bangu, São Cristóvão, Andarahy, Olaria, Carioca e Madureira) fizeram a fundação da Federação Metropolitana de Desportos. Essa nova entidade incorporou a Associação Metropolitana de Esportes Athleticos (AMEA), a entidade oficial filiada a CBD que era contra a profissionalização do futebol e rival, desde 1933, da dissidente Liga Carioca de Football (LCF), que defendia o profissionalismo. Sendo assim, dois Campeonatos Cariocas eram realizados paralelamente e duas ligas coexistiam tentando a pacificação mútua durante a conturbada fase que o futebol brasileiro passava durante o processo de profissionalização.[1]

No mesmo ano de sua fundação, a FMD organizou seu primeiro campeonato, o qual fora vencido pelo Botafogo.

A pacificação do futebol carioca e a dissolução da FMD[editar | editar código-fonte]

Em 1937, os presidentes do Vasco da Gama (Pedro Pereira Novaes) e do America (Pedro Magalhães Corrêa), anunciam uma união entre os dois clubes (que pertenciam a ligas distintas) com a finalidade de pôr fim à cisão do futebol carioca. No começo, a notícia foi recebida com desconfiança, afinal já haviam sido feitas várias tentativas de pacificação e que não deram resultados. Mas aos poucos o projeto foi tomando o rumo diferente das tentativas antecessores e tornou-se real com a assinatura do pacto entre os dois clubes e o apoio dos demais grandes clubes da LCF (Flamengo e Fluminense). O Botafogo, afiliado da FMD e alinhado com a CBD, de início não se mostrou muito favorável, mas teve que se conformar juntamente com a CBD frente ao grande apoio popular e da mídia, ávidos por voltar a ver os clássicos cariocas.

O pacto entre os dois clubes previa a criação de uma nova entidade para o futebol carioca, à qual todos os grandes clubes da cidade estavam convidados a entrar como membros fundadores. Com a criação dessa nova entidade, tanto a LCF como a FMD foram extintas. A nova agremiação se filiaria à FBF, que por sua vez, requereria sua filiação à CBD. Assim, nesse novo arranjo, a FBF cuidaria do futebol brasileiro e a CBD ficaria responsável pela representatividade do futebol do Brasil no exterior. Desse modo todos os clubes brasileiros passariam a ter que se filiar à FBF, ou não poderiam enfrentar os outros clubes filiados à mesma.

No dia 29 de julho de 1937, é então celebrada a criação da Liga de Futebol do Rio de Janeiro (LFRJ),[1] que teve como primeiro presidente Antonio Avellar, dirigente ligado ao America.

Porém, o campeonato da FMD já havia começou em 2 de maio daquele ano,[2] e após 26 partidas realizadas e faltando apenas duas (Olaria x Vasco da Gama e Vasco da Gama x Botafogo),[3] o São Cristóvão estava liderando a disputa e já não poderia ser mais alcançado pelos concorrentes. Ou seja, já era o virtual campeão carioca de 1937 pela FMD.[4] Entretanto, com a dissolução abrupta da liga, o campeonato de 1937 foi suspenso sem que o São Cristóvão fosse declarado campeão.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Historia do futebol carioca - Federações». Campeões do Futebol. Consultado em 26 de dezembro de 2016 
  2. «Rio de Janeiro Championship 1937». RSSSF Brasil. Consultado em 26 de dezembro de 2016 
  3. «Campeonato Carioca pela FMD - 1937». Campeões do Futebol. Consultado em 26 de dezembro de 2016 
  4. «Sem time, clube que revelou Ronaldo celebra os 90 anos de seu único Carioca». UOL. Consultado em 26 de dezembro de 2016