Federação dos Blocos Carnavalescos do Estado do Rio de Janeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Federação dos Blocos Carnavalescos do Estado do Rio de Janeiro
(FBCERJ)
Fundação 28 de setembro de 1965
Tipo Entidade carnavalesca
Estado legal Ativa
Propósito Organizar os desfiles dos blocos de enredo do Rio de Janeiro.
Sede Rua Regente Feijó, 31, Centro
Presidente Izaltino Gonçalves Medeiros
Sítio oficial http://www.federacaodosblocos.com/

A Federação dos Blocos Carnavalescos do Estado do Rio de Janeiro (FBCERJ) é uma entidade representativa dos blocos de enredo da cidade do Rio de Janeiro.

Muitas escolas de samba como Leão de Nova Iguaçu, Unidos do Cabral, Flor da Mina, Rosa de Ouro, Corações Unidos do Amarelinho, Favo de Acari, Boca de Siri entre outras já foram filiadas à federação.

História[editar | editar código-fonte]

Casal de mestre-sala e porta-estandarte da União de Vaz lobo. Uma das diferenças entre os blocos e as escolas de samba, é a porta-estandarte como obrigatoriedade, ao invés da porta-bandeira.

A Federação dos Blocos foi fundada no dia 28 de setembro de 1965.

Em 2011 após uma parceria com a AESCRJ, o regulamento do Carnaval passou a estipular que o bloco de enredo campeão se transformaria em escola de samba para o Carnaval seguinte, e que, da mesma forma, no ano seguinte, as últimas escolas se transformariam em blocos de enredo.[1]

No segundo ano de vigência desta regra, após uma série de escândalos quanto ao resultado do Carnaval 2013, as três agremiações rebaixadas, inconformadas com o resultado do carnaval (Vizinha Faladeira, Flor da Mina e Tradição Barreirense) propuseram uma ação judicial questionando tal rebaixamento.[2]. Elas chegaram a conseguir uma liminar para serem relacionadas no desfile como escolas de samba[3][4], mas posteriormente, num acordo, a Tradição Barreirense se reintegrou como filiada à Federação.[5]

No carnaval de 2014, devido a essas intervenções judiciais, o grupo de elite dos blocos passou somente a desfilar com seis blocos[6]. Com a criação do grupo de avaliação da AESCRJ, 2014 foi o último ano em que haveria essa relação de ascensão e descenso entre blocos e escolas de samba.

Filiadas[editar | editar código-fonte]

Grupo 1 Grupo 2

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Federação dos Blocos. «Acesso e descesso - Carnaval 2011 e 2012». Consultado em 12 de abril de 2014. Cópia arquivada em 26 de fevereiro de 2012 
  2. Igor Munarim, Galeria do Samba (17 de junho de 2013). «justiça obriga aescrj a incluir escolas rebaixadas no sorteio». Consultado em 18 de junho de 2013. Cópia arquivada em 18 de junho de 2013 
  3. SRZD-Carnaval (18 de junho de 2013). «AESCRJ define ordem de desfiles dos Grupos B, C e D». 17h36. Consultado em 4 de agosto de 2013 
  4. Oscar do Samba (30 de julho de 2013). «Confira a ordem de desfile da Federação de Blocos». 23:51. Consultado em 4 de agosto de 2013 
  5. Galeria do Samba (29 de janeiro de 2014). «Desfile da Intendente Magalhães terá desfalque de três escolas de samba». 16:41. Consultado em 31 de janeiro de 2014 
  6. Federação dos Blocos. «2014». Consultado em 19 de fevereiro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre carnaval, integrado ao Projeto Carnaval é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.