Fernando da Piedade Dias dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fernando da Piedade Dias dos Santos
4.º e 6.º Presidente da Assembleia Nacional
Período 27 de setembro de 2012 - atualidade
Antecessor(a) Paulo Kassoma
Período 30 de setembro de 2008
a 9 de fevereiro de 2010
Antecessor(a) Roberto Francisco de Almeida
Sucessor(a) Paulo Kassoma
1.º Vice-presidente de Angola
Período 18 de fevereiro de 2010
a 26 de setembro de 2012
Presidente José Eduardo dos Santos
Sucessor(a) Manuel Domingos Vicente
4.º Primeiro-ministro de Angola
Período 6 de dezembro de 2002
a 30 de setembro de 2008
Presidente José Eduardo dos Santos
Antecessor(a) Fernando José de França Dias Van-Dúnem
Sucessor(a) Paulo Kassoma
Ministro do Interior
Período 1999-2002
Antecessor(a) Santana André Pitra
Sucessor(a) Osvaldo de Jesus Serra Van-Dúnem
Dados pessoais
Nascimento 5 de março de 1950 (71 anos)
Luanda, Província de Angola
Alma mater Universidade Agostinho Neto
Cônjuge Maria Tomé Dias dos Santos
Partido MPLA
Disambig grey.svg Nota: Se procura outras referências de Fernando Santos, veja Fernando Santos (desambiguação).

Fernando da Piedade Dias dos Santos, mais conhecido como pelo cognome Nandó, (Luanda, 5 de março de 1950) é um político angolano, primeiro-ministro de seu país de 2002 a 2006 e vice-presidente de 2010 a 2012. Eleito Presidente da Assembleia Nacional em 2008 ( interrompeu em 2010 para assumir a Vice-Presidência do país), 2012 (2012-2017) e 2017.[1]

É casado com Maria Augusta Tomé Dias dos Santos e é pai de 7 filhos: Claúdio, Hélder, Elizabete, Custódio, Fernanda, Edivaldo e Isamara Dias dos Santos.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi nomeado em Novembro de 2002, e assumiu o cargo em 6 de dezembro de 2002, que estava vago desde 1999. Anteriormente, tinha sido ministro do Interior.

Foi nomeado primeiro-ministro para preencher um vazio constitucional que se registava por causa da instabilidade política e social reinante que o Presidente da República chamou a si, a responsabilidade da condução do executivo. Militante das FAPLA, foi ascendendo na vida política por intermédio do seu ingresso no MPLA. Desempenhou as funções de Vice-Ministro do Interior, tendo acumulado este cargo com o de chefe dos SINFO (Serviços de Informação). Posteriormente, foi nomeado Comandante-Geral da Polícia Nacional, cargo que desempenhou até ascender a Ministro do Interior, desempenhando as duas funções.

A 5 de fevereiro de 2010, entrou em vigor uma nova lei constitucional em Angola, onde o cargo de primeiro-ministro foi abolido, passando a existir o cargo de vice-presidente da República de Angola.

Em 2012 com a vitória do MPLA nas Eleições Gerais, foi substituído pelo então Vice-Presidente, Manuel Domingos Vicente, desempenhando actualmente o cargo de Presidente da Assembleia Nacional de Angola, em Luanda.

Referências

  1. Retrospectiva da III Legislatura da Assembleia Nacional de Angola, http://www.parlamento.ao/documents/488547/488552/arquivo_AF_III+LEGISLATURA+2012-2017.pdf
Ícone de esboço Este artigo sobre um político de Angola é um esboço relacionado ao Projecto Angola. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.