Funcionários (Belo Horizonte)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2010).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Funcionários
—  Bairro do Brasil  —
Região administrativa Centro-Sul
Município Belo Horizonte
Área
 - Total 2,67
 - Número de eleitores 7,8
 - IDH 0,949
 - Índice de Gini 0,44
 - Expectativa de vida ao nascer (anos) 76,26
Rendimento médio mensal 2.057,60
Limites Savassi, Boa Viagem, Centro, Santa Efigênia, São Lucas, Serra
Alfabetização 98.94
Fonte: PNUD/2000[1]
Avenida Brasil, no bairro Funcionários.

Funcionários é um bairro nobre de classe alta da Zona Sul de Belo Horizonte. Localizado na Seção Urbana do plano do engenheiro Aarão Reis para a cidade, como o próprio nome sugere, foi reservado para as residências dos funcionários públicos que viriam trabalhar na nova capital.

Origem[editar | editar código-fonte]

Um dos bairros mais antigos de Belo Horizonte, localizado na região centro-sul, o Funcionários é referência cultural e histórica. Fundado em 1896, dois anos depois do início das obras para a construção da nova capital, foi planejado para acolher funcionários públicos recém transferidos de Ouro Preto. As suas primeiras moradias respeitavam a hierarquia do funcionalismo e serviam para identificar o nível social das famílias. As mais simples eram para porteiros e serventes e as sofisticadas e maiores pertenciam a diretores e desembargadores. Outra curiosidade sobre as casas era o número de janelas, que indicavam também o status do morador. Quanto maior o número de janelas, mais ilustre era o dono da moradia.

Quem caminha pelo Funcionários, pode observar fragmentos da história registrado na arquitetura de casarões imponentes e no traçado de ruas arborizadas. A localização privilegiada, somada ao comércio da Savassi e ao complexo arquitetônico da Praça da Liberdade, tornando esta região muito valorizada.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Criado para ser um polo residencial e com a responsabilidade de incentivar o crescimento das demais regiões, o bairro sempre foi sede do poder público e referência para muitas atividades comerciais e financeiras instaladas na capital.

Durante a década de 1980, sofreu intensas modificações, sobretudo em sua área residencial. Os antigos casarões construídos ao longo de ruas importantes como Timbiras, Sergipe, Maranhão e Piauí cederam espaço para edifícios modernos. Esta foi a forma encontrada pelo mercado para melhor aproveitamento dos terrenos que se valorizavam rapidamente.

É comum os moradores da cidade confundirem o bairro Funcionários com o bairro Savassi, cujo nome se originou da padaria Savassi, pertencente à família homônima, que ficava na Praça Diogo de Vasconcelos. No entanto, os dois bairros foram separados no início de 2006, sendo separados pela Avenida Afonso Pena.

Entre as localidades importantes do bairro podemos citar:

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, havia no bairro 3.409 domicílios particulares permanentes no ano de 2010.[2]

Principais vias[editar | editar código-fonte]


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.