Gilda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gilda
Gilda (PT/BR)
Gilda trailer hayworth1.JPG
 Estados Unidos
1946 •  p&b •  110 min 
Direção Charles Vidor
Roteiro Roteiro:
Jo Eisinger
Marion Parsonnet
História:
E.A. Ellington
Elenco Rita Hayworth
Glenn Ford
Género drama / film noir
Companhia(s) produtora(s) Columbia Pictures
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Gilda é um filme estadunidense de 1946, do gênero drama noir dirigido por Charles Vidor, estrelando Rita Hayworth e Glenn Ford nos papeis principais. Seu roteiro escrito por Marion Parsonnet e Jo Eisinger é baseado em uma história de E.A. Ellington.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Johnny Farrell é um vigarista em jogos de cartas que tem sua vida salva por Ballin Mundson, dono de um famoso clube noturno em Buenos Aires, que oculta um cassino, atividade proibida na Argentina naquela época, e Johnny é promovido a gerente. A amizade entre os dois, baseada na total falta de escrúpulos, é abalada quando Mundson regressa de uma viagem casado com Gilda — uma mulher que Johnny teve um caso no passado. É quando o antigo amor existente entre os dois é reacendido.[1]

Produção[editar | editar código-fonte]

De acordo com uma notícia publicada em março 1945 pelo Los Angeles Herald-Examiner, Edmund Goulding havia sido inicialmente escalado para dirigir este filme. Gilda foi o primeiro papel dramático vivido por Rita Hayworth no cinema, e um divisor de águas em sua carreira, já que a marcou para sempre como uma "mulher fatal".

De acordo com o The New York Times, seu desempenho foi tão impressionante que os cientistas atômicos no atol de Bikini batizaram uma bomba atômica com o nome de "Gilda" e pitaram uma imagem de Hayworth nela. Segundo o mesmo jornal, Robert Schiffer foi o responsável pela criação da maquiagem usada por ela no filme.

A produtora Virginia Van Upp desenvolveu a história de Gilda especialmente para Hayworth. Este filme marcou o retorno de Glenn Ford ao cinema depois de uma ausência de quatro anos devido ao seu alistamento no serviço militar. O filme também marcou a estréia na tela de Argentina Brunetti (1907-2005).

De acordo com uma notícia publicada em setembro de 1945 pelo The New York Times, "Gilda" foi originalmente escrito como uma história de gangster americano, mas acabou tendo Buenos Aires como cenário por causa da oposição do Breen Office. O filme provocou motins no Rio de Janeiro por causa do preço dos ingressos inflacionados, segundo informou o The Hollywood Reporter. Em abril de 1946, Charles Vidor processou a Columbia Pictures por ter encerrado seu contrato após a conclusão do filme. O estúdio considerou fazer uma refilmagem de "Gilda" em 1975.[2]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Rita Hayworth Gilda
Glenn Ford Johnny Farrell / narrador
George Macready Ballin Mundson
Joseph Calleia Detetive Maurice Obregon
Steven Geray Tio Pio
Joe Sawyer Casey
Gerald Mohr Capitão Delgado
Robert E. Scott Gabe Evans
Donald Douglas Thomas Langford
Stuart Holmes Jogador (não-creditado)
Frank Mayo[3] Jogador (não-creditado)
Harold Miller[4] Jogador (não-creditado)

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

  • Amado Mio (Doris Fisher e Allan Roberts) - Cantada por Rita Hayworth (dublada por Anita Ellis).
  • Put the Blame on Mame (Doris Fisher e Allan Roberts) - Cantada por Rita Hayworth (dublada por Anita Ellis).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gilda

Gilda (em inglês) no Internet Movie Database