Giuseppe Siri

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Giuseppe Siri
Cardeal da Santa Igreja Romana
Arcebispo de Gênova
Cardeal-protopresbítero
Atividade Eclesiástica
Diocese Arquidiocese de Gênova
Nomeação 14 de maio de 1946
Entrada solene 29 de maio de 1946
Predecessor Dom Pietro Cardeal Boetto, S.J.
Sucessor Dom Giovanni Cardeal Canestri
Mandato 1946 - 1987
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 22 de setembro de 1928
por Dom Carlo Dalmazio Minoretti
Nomeação episcopal 11 de março de 1944
Ordenação episcopal 7 de maio de 1944
por Dom Pietro Cardeal Boetto, S.J.
Nomeado arcebispo 14 de maio de 1946
Cardinalato
Criação 12 de janeiro de 1953
por Papa Pio XII
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santa Maria della Vittoria
Brasão
Coat of arms of Giuseppe Siri.svg
Lema NON NOBIS DOMINE
Dados pessoais
Nascimento Gênova
20 de maio de 1906
Morte Gênova
2 de maio de 1989 (82 anos)
Nacionalidade Italiano
Funções exercidas - bispo-auxiliar de Gênova (1944-1946)
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo
Giuseppe Siri, 1958.jpg

Dom Giuseppe Siri (Génova, 20 de maio de 1906Génova, 2 de maio de 1989) foi um cardeal católico italiano, com tendências conservadoras.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi ordenado padre em 22 de setembro 1928. Em 1944 foi nomeado bispo-auxiliar de Gênova e em 1946 quando do falecimento do arcebispo Boetto, tornou-se arcebispo.

Foi arcebispo de Génova de 1946 a 1987, e foi elevado a cardeal em 1953 pelo Papa Pio XII, então participou em quatro conclaves: 1958, 1963, e os dois de 1978. Participou no Concílio Vaticano II (1962-1965) e revelou-se céptico em relação ao aggiornamento e às reformas propostas pelo Concílio.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Siri é um Papa?[editar | editar código-fonte]

Alguns católicos tradicionalistas acreditam que o Cardeal Giuseppe Siri foi de facto eleito Papa no conclave de 1958, mas que teve que dar o seu lugar a Roncalli (Papa João XXIII) devido às ameaças dos comunistas (nomedamente dos soviéticos). Alguns apoiantes desta teoria afirmam também que esta suposta resignação do Cardeal Siri era ilegal, por isso eles acreditam que Siri é que era o verdadeiro e legítimo Papa (eles até acreditam que Siri escolheu o nome papal de Gregório XVII). Eles acham por isso que João XXIII era só um mero usurpador ilegal da cátedra de São Pedro.[1][2][3][4]

Mas, existem também muitos estudiosos, entre os quais católicos tradicionalistas (ex: Hutton Gibson), que defendem que esta teoria é falsa e foi baseada em interpretações confusas e distorcidas dos factos e de certas notícias em língua italiana.[5]

Referências

  1. «Pope John XXIII Was A Practicing Freemason» (em inglês). Rense.com. Consultado em 11 de Junho de 2009 
  2. «ANTIPAPAS DA ATUALIDADE». Paróquia São Leopoldo Mandic. Consultado em 11 de Junho de 2009 
  3. «Brief Overview of the V-2 Sect Antipopes: Roncalli to Ratzinger (October 28, 1958 - Present)» (em inglês). DestroyFreemasonry.com. Consultado em 11 de Junho de 2009 
  4. «Pope John XXIII - Modern conspiracy theories» (em inglês). Global Oneness. Consultado em 10 de Junho de 2009 
  5. «The "Siri Thesis" Unravels» (em inglês). Inside the Vatican. Consultado em 11 de Junho de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Dom Pietro Cardeal Boetto, S.J.
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Gênova

1946 - 1987
Sucedido por
Dom Giovanni Canestri
Precedido por
Dom Federico Cardeal Tedeschini
Brasão arquiepiscopal
Cardeal-presbítero de
Santa Maria della Vittoria

1953 - 1989
Sucedido por
Dom Giuseppe Cardeal Caprio
Precedido por
Dom Carlos Carmelo Cardeal de Vasconcelos Motta
Brasão cardinalício.
Cardeal-Protopresbítero

1982 - 1989
Sucedido por
Dom Paul-Émile Cardeal Léger


Ícone de esboço Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.