Goulart de Andrade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o escritor brasileiro, veja José Maria Goulart de Andrade.
Goulart de Andrade
Goulart de Andrade em 2013
Nome completo Luís Filipe Goulart de Andrade
Nascimento 6 de abril de 1933
Rio de Janeiro
 Rio de Janeiro
Morte 23 de agosto de 2016 (83 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade  brasileiro
Ocupação Apresentador de televisão e jornalista

Luís Filipe Goulart de Andrade (Rio de Janeiro, 6 de abril de 1933 — São Paulo, 23 de agosto de 2016) foi um apresentador de televisão e jornalista brasileiro.

Com mais de 80 anos, permaneceu ativo até a data de sua morte, como jornalista e comandando o programa Vem Comigo na TV Gazeta.[1] O nome de seu ultimo programa era inspirado em seu tradicional bordão, dito ao iniciar uma reportagem.

Primeiros anos[editar | editar código-fonte]

De tradicional família alagoana, é filho do funcionário público Flávio Goulart de Andrade, antigo diretor do Senado Federal,[2] e da cantora Elisinha Coelho (1909–2001).[3] Seu avô paterno era o jornalista e senador por Alagoas, Eusébio Francisco Goulart de Andrade.[4]

O escritor José Maria Goulart de Andrade era seu tio-avô[5] e a cantora e atriz Carmen Miranda foi sua madrinha de batismo.[6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Iniciou sua carreira na antiga TV Rio, em 1955, no programa Preto no branco. Produziu e dirigiu os mais variados programas desde então, em praticamente todas as emissoras brasileiras, com destaque para o Brasil 63, de Bibi Ferreira, na TV Excelsior, e as fases iniciais do Fantástico e do Globo Repórter, na década de 70.

Em 1978 cria o Plantão da Madrugada[7], na Rede Globo, que, depois de seu desligamento da emissora, seria recriado pela sua produtora e exibido em várias emissoras, com o nome de Comando da Madrugada (depois renomeado Comando da Noite, devido à mudança de horário, em 2007)

Em 1982 deixa a Rede Globo e assina contrato com a Rede Bandeirantes para apresentar o Comando da Madrugada, que ficaria na emissora até dezembro de 1985, quando Goulart é contratado pelo SBT

Sua produtora independente, a Produtora Goulart de Andrade, também criaria outros programas de reportagem, como 23ª Hora (Gazeta, 1983–84), Eu Sou o Repórter (SBT, 1988–89) e a primeira fase do Repórter Record (1995–2001), que passaria a ser produzido pela própria emissora e não mais por produção independente.

Em 2008, inicia o Programa Goulart de Andrade, na Record News, que documentava regiões e situações, além de entrevistar pessoas influentes em determinadas áreas e dar dicas de gastronomia e enologia (com o apoio de Edílio Lopes).

Em 2009, é contratado pelo SBT, a pedido de Paulo Nicolau, novo diretor de jornalismo da emissora.

Em 2012, estreia o programa Vem Comigo, na TV Gazeta. Nele, as antigas matérias de Goulart eram reexibidas e alunos dos cursos de Rádio e TV e de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero são convocados a atualizar o tema. Em 2014, voltou a Rede Globo para uma rápida participação como o sambista Oswaldo na minissérie Os Experientes.[8] Como ator, também participou dos filmes A Marcha (1972) e A Próxima Vítima (1983).[9]

Programas[editar | editar código-fonte]

Programa Período Canal Função
Plantão da Madrugada 1978-1983 Rede Globo Apresentador
Vem Comigo 1983-1984 TV Gazeta Apresentador
Programa Goulart de Andrade 1984-1985 Rede Record Apresentador
Plantão da Madrugada 1985-1986 Rede Bandeirantes Apresentador
Comando da Madrugada 1986-1994 SBT Apresentador
Comando da Madrugada' 1994-1997 Rede Manchete Apresentador
Repórter Record 1997-2001 Rede Record Apresentador
Comando da Madrugada 2002-2007 Band Apresentador
Comando da Noite 2007-2008 Band Apresentador
Programa Goulart de Andrade 2008-2009 Record News Apresentador
Vem Comigo 2012-2016 TV Gazeta Apresentador

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Muitas vezes, a crítica considerava que Goulart exagerava demais em suas reportagens. Em 28 anos de programa, chegou a exibir ao vivo, uma aplicação de silicone industrial por travestis no centro de São Paulo e uma delicada cirurgia de ponte de safena, em que o paciente infartado era ele mesmo.[6]

O apresentador exibiu também a filmagem da necropsia de Paulo César Farias, tesoureiro da campanha presidencial de Fernando Collor, assassinado em circunstâncias misteriosas em junho de 1996. No dia 11 de julho daquele ano, Goulart exibiu em seu programa, na extinta Rede Manchete, trechos da necropsia de um cadáver, que apresentava seus órgãos sendo retirados, lavados e secados.[10]

Morte[editar | editar código-fonte]

Goulart de Andrade morreu em 23 de agosto de 2016, depois de um agravamento de doença pulmonar obstrutiva crônica. Deixou esposa, Margareth Bianchini, três filhos, três netos e uma bisneta. O relacionamento com Margareth durou treze anos, mas os filhos de Goulart não eram deste relacionamento.[11]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.