Henry Paget, 1.º Marquês de Anglesey

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Mais Honorável
O Marquês de Anglesey
KG, GCB, GCH, PC
Henry William Paget, 1º Marquês de Anglesey, por George Dawe
Lorde tenente da Irlanda
Período 27 de fevereiro de 1828
até 22 de janeiro de 1829
Antecessor(a) O Marquês Wellesley
Sucessor(a) O Duque de Northumberland
Período 4 de dezembro de 1830
12 de setembro de 1833
Antecessor(a) O Duque de Northumberland
Sucessor(a) O Marquês Wellesley
Dados pessoais
Nascimento 17 de maio de 1768
Londres
Morte 29 de abril de 1854 (85 anos)
Uxbridge House, Londres
Nacionalidade Reino Unido Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Alma mater Christ Church, Oxford
Esposa (1) Lady Caroline Villiers
(1774-1835)
(divorciou em 1810)
(2) Lady Charlotte Cadogan
(1781-1853)
Partido Whig
Tory
Ocupação político, militar

Henry William Paget, 1º Marquês de Anglesey, KG, GCB, GCH, PC (Londres, 17 de maio de 1768 — Londres, 29 de abril de 1854), denominado Lorde Paget entre 1784 e 1812 e conhecido por O Conde de Uxbridge entre 1812 e 1815, foi um líder militar e político britânico, principalmente lembrado por ter comandado o ataque da cavalaria pesada contra a coluna de d'Erlon durante a Batalha de Waterloo. Serviu também duas vezes como Master-General of the Ordnance e duas vezes como Lorde tenente da Irlanda.

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Nascido em Londres, como Henry Bayly (seu pai assumiu o nome Paget em 1770), era o filho mais velho de Henry Paget, 1º Conde de Uxbridge, e de sua esposa Jane, filha do Reverendíssimo Arthur Champagné, Deão de Clonmacnoise, na Irlanda. O capitão William Paget, Sir Arthur Paget, o general Sir Edward Paget, o vice-almirante Sir Charles Paget e Berkeley Paget eram seus irmãos mais novos. Foi educado em Westminster School e Christ Church, Oxford.[1]

Membro do Parlamento[editar | editar código-fonte]

Paget entrou para o parlamento na eleição geral de 1790 como deputado por Carnarvon,[2][1] um posto que ocupou até a eleição geral de 1796 quando seu irmão Edward foi eleito por unanimidade em seu lugar.[2] Representou então Milborne Port de 1796 até que renunciou à sua cadeira em 1804, por ter sido nomeado para ocupar o cargo de Steward of the Chiltern Hundreds, e novamente de 1806[3] até janeiro de 1810, quando novamente ocupou o cargo na Chiltern Hundreds.[4]

Carreira militar[editar | editar código-fonte]

Com a eclosão das Guerras revolucionárias francesas, Paget formou o regimento de voluntários de Staffordshire e recebeu o posto hierárquico temporário de tenente-coronel em 1793. O 80º Regimento de Infantaria participou da campanha de Flandres de 1794 sob o comando de Paget.[1] Em 1795 foi designado tenente-coronel do 16º Regimento de Cavalaria; naquele mesmo ano, casou-se com a filha de George Villiers, 4º Conde de Jersey. Em 1796 foi promovido a coronel,[1] e em 1801, havia se tornado coronel do 7º Regimento de Cavalaria.[5] Em 1802 foi promovido a major-general,[5] e seis anos mais tarde, tenente-general.[5] Comandou a cavalaria para o exército de Sir John Moore durante a campanha da Corunha de 1809,[5] onde os seus soldados fizeram a excelente defesa da retaguarda das tropas durante a longa retirada. A cavalaria britânica demonstrou uma clara superioridade sobre a francesa na Batalha de Sahagún[5] e derrotaram os Chasseurs a Cheval da Guarda Imperial em Benavente.[5]

Este foi o seu último serviço na Guerra Peninsular, porque a sua ligação com Lady Charlotte, a esposa de Henry Wellesley, depois Lorde Cowley, tornou impossível para ele continuar a servir com Wellington, irmão de Wellesley. Seu único serviço de guerra de 1809 a 1815 foi na desastrosa expedição Walcheren (1809), na qual comandou uma divisão[5] Em 1810, se divorciou e, em seguida se casou com Lady Charlotte Wellesley, que tinha quase que no mesmo tempo se divorciado de seu marido.[5]

Waterloo[editar | editar código-fonte]

Em 1815, foi nomeado comandante de cavalaria na Bélgica, sob o olhar ainda ressentido de Wellington.[5] Na véspera da Batalha de Waterloo, Paget teve seu comando aumentado por Wellington, de modo a incluir toda a cavalaria e artilharia a cavalo aliada. Habilmente protegeu a retirada dos anglo-aliados de Quatre Bras[5] até Waterloo em 17 de junho, e em 18 de junho comandou o espetacular ataque de cavalaria do centro britânico, que deteve e, em parte, derrotou o corps d'armée D'Erlon.

Um dos últimos disparos de canhão daquele dia atingiu Paget na perna direita, sendo necessária sua amputação,[5] e teve um membro artificial articulado adaptado por James Potts.

Honras[editar | editar código-fonte]

O Marquês de Anglesey, por Henry Edridge.
Field Marshall Henry William Paget, 1st Marquis of Anglesey
O Marquês de Anglesey.
Lorde Anglesey em Waterloo, por Jan Willem Pieneman.

Paget foi nomeado Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem do Banho em janeiro de 1815, e em 4 de julho de 1815, pouco mais de duas semanas depois de Waterloo, o Príncipe Regente deu-lhe o título de Marquês de Anglesey.[5] Foi também nomeado Cavaleiro da Ordem de São Jorge da Rússia e Cavaleiro da Ordem de Maria Teresa da Áustria no mesmo ano. Em 1816 foi nomeado Cavaleiro da Grande Cruz da Real Ordem Guélfica e em 1818 foi feito Cavaleiro da Ordem da Jarreteira. Um monumento de 27 metros de altura por seu heroísmo (desenhado por Thomas Harrison) foi erguido em Llanfair PG, em Anglesey, perto de sua casa de campo em Plas Newydd, em 1816.

Um monumento em separado para a perna amputada de Uxbridge foi erguido em Waterloo, mas os ossos foram mais tarde desenterrados e colocados em exposição.

Final da carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1819 Anglesey se tornou general pleno,[5] e na coroação de Jorge IV, atuou como Lord High Steward da Inglaterra. Seu apoio dado ao processo contra a Rainha Carolina, alegando sua infidelidade, fez dele, por um tempo, uma figura impopular, e quando estava em certa ocasião, cercado por uma multidão, que o obrigou a gritar "A Rainha!", acrescentou o desejo: "Que todas suas esposas sejam como ela". Em abril de 1827, se tornou membro da administração Canning, tendo o cargo de Master-General of the Ordnance[5] e se tornou membro do Conselho Privado. Sob a administração de Wellington, aceitou a nomeação de Lorde tenente da Irlanda (Março de 1828).[5]

Em dezembro de 1828, enviou uma carta para o primaz da Igreja Católica Romana da Irlanda afirmando sua crença na necessidade de emancipação dos católicos,[5] que resultou na sua chamada de volta à Inglaterra pelo governo;[5] na formação da administração do Conde Grey, em novembro de 1830, novamente foi nomeado Lorde tenente da Irlanda.[5] Em julho de 1833, o ministro se demitiu por causa da questão irlandesa, passou treze anos afastado da atividade política, e depois, participou da administração do Lorde John Russell, em julho de 1846, como master-general of the ordnance,[6] se afastando definitivamente da política em março de 1852[6] com a patente de marechal de campo[6] e coronel da Royal Horse Guards. Ocupou também os cargos honoríficos de Lorde tenente de Anglesey entre 1812 e 1854 e Lorde tenente de Staffordshire entre 1849 e 1854.

Morte e funeral[editar | editar código-fonte]

Lord Anglesey morreu em 29 de abril de 1854, e foi sepultado na Catedral de Lichfield, onde um monumento foi erguido em sua homenagem.[7]

Casamentos e filhos[editar | editar código-fonte]

Lorde Anglesey casou pela primeira vez em 5 de julho de 1795 em Londres com Lady Caroline Elizabeth Villiers (16 de dezembro de 1774 - 16 de junho de 1835), filha de George Villiers, 4º Conde de Jersey e de Frances Villiers, Condessa de Jersey. Tiveram oito filhos:[8]

Lorde Anglesey e Lady Caroline se divorciaram em 29 de novembro de 1810. No mesmo ano ele se casou com Lady Charlotte Cadogan (nascida em 12 de julho de 1781), ex-esposa de Lorde Henry Wellesley e filha de Charles Sloane Cadogan, 1º Conde Cadogan e de Mary Churchill. Mary era neta de Lady Maria Walpole, filha ilegítima de Robert Walpole e Maria Skerret. Tiveram dez filhos, dos quais seis sobreviveram à infância:[8]

Lady Anglesey morreu em 8 de julho de 1853, aos 71 anos de idade. Lorde Anglesey sobreviveu a ela por pelo menos mais um ano e morreu em 29 de abril de 1854, aos 85 anos. Foi sucedido por seu filho mais velho do primeiro casamento, Henry.

Notas

  1. a b c d Heathcote, p. 235
  2. a b Henry Stooks Smith (1973). F. W. S. Craig, ed. The Parliaments of England 2ª ed. Chichester: Parliamentary Research Services. p. 594. ISBN 0-900178-13-2 
  3. «Henry Paget» 15978 ed. London Gazette. 25 de novembro de 1806 
  4. «Henry Paget» 16339 ed. London Gazette. 3 de fevereiro de 1810 
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p q r Heathcote, p.236
  6. a b c Heathcote, p.237
  7. Lord Anglesey's burial - Veja p. 35
  8. a b The Peerage.com

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Parlamento da Grã-Bretanha
Precedido por
Glyn Wynn
Membro do Parlamento por Carnarvon
1790–1796
Sucedido por
Edward Paget
Precedido por
O Lorde Muncaster
Mark Wood
Membro do Parlamento por Milborne Port
1796–1800
com: Robert Ainslie
Sucedido por
Parlamento do Reino Unido
Parlamento do Reino Unido
Precedido por
Parlamento da Grã-Bretanha
Membro do Parlamento por Milborne Port
1801–1804
com: Robert Ainslie 1801–1804
com: Hugh Leycester 1802–1804
Sucedido por
Hugh Leycester
Charles Paget
Precedido por
Hugh Leycester
Charles Paget
Membro do Parlamento por Milborne Port
1806–1810
com: Hugh Leycester
Sucedido por
Hugh Leycester
Visconde Lewisham
Cargos militares
Precedido por
O Visconde Hill
Coronel do Regimento Real de Cavalaria (The Blues)
1842–1854
Sucedido por
O Lorde Raglan
Cargos políticos
Precedido por
O Duque de Wellington
Master-General of the Ordnance
1827–1828
Sucedido por
O Visconde Beresford
Precedido por
O Marquês Wellesley
Lorde tenente da Irlanda
1828–1829
Sucedido por
O Duque de Northumberland
Precedido por
O Duque de Northumberland
Lorde tenente da Irlanda
1830–1833
Sucedido por
O Marquês Wellesley
Precedido por
Sir George Murray
Master-General of the Ordnance
1846–1852
Sucedido por
O Visconde Hardinge
Títulos honoríficos
Precedido por:
O Conde de Uxbridge
Lorde tenente de Anglesey
1812–1854
Sucedido por:
O Marquês de Anglesey
Vice-almirante de Gales do Norte
e Carmarthenshire

1812–1854
Sucedido por:
O Lorde Mostyn
Precedido por
O Conde Talbot
Lorde tenente de Staffordshire
1849–1854
Sucedido por
O Lorde Hatherton
Cargos na corte
Vago
Último detentor do título:
O Lorde Erskine
Lord High Steward
1821
Vago
Próximo detentor do título:
O Duque de Hamilton
Pariato do Reino Unido
Nova criação Marquês de Anglesey
1815–1854
Sucedido por:
Henry Paget
Pariato da Grã-Bretanha
Precedido por:
Henry Paget
Conde de Uxbridge
2ª criação
1812–1854
Sucedido por:
Henry Paget
Pariato da Inglaterra
Precedido por:
Henry Paget
Barão Paget
(descendente por acceleration)

1812–1832
Sucedido por:
Henry Paget