Husky siberiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Husky siberiano
Exemplar da Raça Husky Siberiano
Nome original Сибирскй хаски

(Sibirskiy khaski)

Outros nomes Husky Siberiano
País de origem Rússia
Características
Peso 15 até 28 kg (exemplar adulto)
Altura 50 até 60 cm (na cernelha)
Pelagem De subpelo e de comprimento médio
Cor Preto, Cinza, Vermelho, Bege, Branco, etc
Tamanho da ninhada 6-10 filhotes (em média)
Expectativa de vida 12-14 anos
Classificação e padrões
Federação Cinológica Internacional
Grupo 5 - Cães de tipo Spitz e de tipo Primitivo
Seção 1 - Cães nórdicos de trenó
Estalão #270 - 2 de fevereiro de 1995

O husky siberiano (em russo: Сибирскй хаски) é uma raça de cães de trabalho e companhia, do tipo Spitz, oriunda da Sibéria na Rússia.[1] Sua função específica é tracionar trenós.

História[editar | editar código-fonte]

Estes cães, ou seus ancestrais, são conhecidos na Sibéria há milhares de anos, em uma região específica a leste dos Montes Urais, inicialmente utilizados como cães multifuncionais foram especialmente selecionados ao longo de centenas de anos pelos Chukchi, um povo que vive na região, para puxar trenós em condições de frio extremo.

Em 1867, quando a Rússia ainda dominava o Alasca,[2] estes cães migraram da Sibéria asiática rumo ao Alasca, e começaram a se popularizar pelo mundo. Um fato histórico contribuiu para a popularização mundial da raça quando uma matilha de huskys e similares ajudaram a salvar a população de Nome, uma aldeia na área americana do Alasca, levando medicamentos e suprimentos aos habitantes isolados por uma tempestade, quando nenhum outro meio de transporte poderia fazê-lo. Por este feito, dois exemplares em particular tornaram-se muito famosos, o cão chamado Balto, que estava como líder do trenó no momento da chegada em Nome, e o cão Togo, que liderou, com 12 anos de idade, o trenó pelo trecho mais perigoso, por estes feitos ocupando lugares na cultura desde então, recebendo monumentos em homenagem, tendo seus corpos empalhados após suas mortes e exibidos em museu, e sendo representados inclusive também em filmes.

Características[editar | editar código-fonte]

A pelagem do Husky possui subpelo e é bastante variada em questão de cor, desde o completamente branco ao preto-e-branco, chocolate-e-branco, cinza-e-branco, além de outras variações. Quanto a cor dos olhos, o padrão oficial da raça estabelece:[3]

A cor dos olhos podem ser castanhos ou azuis; aceitam-se os olhos de cores diferentes [heterocromia] ou um olho particolorido [heterocromia sectorial]. A expressão é penetrante, porém amigável, interessada e até um pouco maliciosa.
 
Padrão oficial da raça, publicado pela CBKC.

Os machos podem possuir até 60 cm de altura na cernelha e pesar cerca de 27 Kg; as fêmeas podem possuir até 56 cm de altura e pesar cerca de 25 Kg. São cães atléticos e velozes e são mais recomendados para trenós em viagens de longa distância com cargas mais leves, ao contrário do seu parente de porte maior, o Malamute-do-alasca.[4]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Origem do Husky siberiano». Tudo sobre cachorros. Dezembro de 2012. Consultado em 3 de julho de 2014 
  2. Arnold, Guy (2014). World Strategic Highways. Routledge. Página 3. ISBN 9781135933739 Consultado em 19 de julho de 2019.
  3. «Padrão oficial da raça» (PDF). Consultado em 10 de março de 2017. Arquivado do original (PDF) em 12 de março de 2017 
  4. «Padrão da raça Husky siberiano» (PDF). CBKC. Consultado em 9 de Março de 2017. Arquivado do original (PDF) em 12 de março de 2017 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Husky siberiano
Ícone de esboço Este artigo sobre cães é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.