IX Legislatura da Terceira República Portuguesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


IX Legislatura
Assembleia da República
Coat of arms or logo
Tipo
Tipo Unicameral
Liderança
Presidente da Assembleia da República Mota Amaral, PPD/PSD
desde 10/04/2002
Primeiro-ministro Durão Barroso (XV Governo Constitucional)

Santana Lopes (XVI Governo Constitucional)

Presidente da República Jorge Sampaio
Estrutura
Membros 230
AR Eleicoes 2002.svg
Grupos políticos: Governo (119)
  PPD/PSD (105)
  CDS-PP (14)

Oposição (111)

  PS (96)
  PCP (10)
  B.E. (3)
  PEV (2)
Eleições
Representação proporcional
Lista fechada
Método de d'Hondt
Última eleição: eleições legislativas de 17 de março de 2002
Sede
Parlamento-IPPAR1.jpg
Palácio de São Bento, Lisboa
Site
Sítio oficial do Parlamento

A IX Legislatura foi a legislatura da Assembleia da República de Portugal, resultante das eleições legislativas de 17 de março de 2002.[1][2] A primeira sessão legislativa decorreu no dia 4 de abril e João Bosco Mota Amaral foi eleito presidente da Assembleia da República a 10 de abril[3]. Os trabalhos da IX legislatura terminaram a 9 de março de 2005, devido à dissolução da Assembleia da República pelo Presidente da República.

Sessões Legislativas[editar | editar código-fonte]

Composição da Assembleia da República[1][editar | editar código-fonte]

Partidos Deputados Votos Percentagem
Partido Social Democrata 105 2 200 765 40,21%
Partido Socialista 96 2 068 584 37,76%
CDS – Partido Popular 14 477 350 8,72%
CDU – Coligação Democrática Unitária Partido Comunista Português 10 379 670 6,94%
Partido Ecologista “Os Verdes” 2
Bloco de Esquerda 3 149 966 2,74%

Referências

  1. a b «Resultados Eleitorais». www.parlamento.pt. Consultado em 21 de abril de 2016.. Arquivado do original em 26 de dezembro de 2015 
  2. «Glossário/Informação Complementar». www.parlamento.pt. Consultado em 21 de abril de 2016.. Arquivado do original em 6 de janeiro de 2016 
  3. «Mota Amaral é eleito hoje presidente da Assembleia da República». Público. Consultado em 21 de abril de 2016.