In Good Company

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
In Good Company
Uma Boa Companhia (PRT)
Em Boa Companhia (BRA)
 Estados Unidos
2004 •  cor •  110 min 
Direção Paul Weitz
Produção Lawrence Pressman
Paul Weitz
Roteiro Paul Weitz
Elenco Dennis Quaid
Topher Grace
Scarlett Johansson
Gênero comédia romântica
Música Damien Rice
Stephen Trask
Cinematografia Remi Adefarasin
Edição Myron I. Kerstein
Companhia(s) produtora(s) Universal Pictures
Depth of Field
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 29 de dezembro de 2004
Portugal 12 de maio de 2005
Brasil 15 de julho de 2005
Idioma inglês
Orçamento US$15 milhões
Receita US$61,315,215
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

In Good Company, inicialmente com o título Synergy[1] (no Brasil, Em Boa Companhia e em Portugal, Uma Boa Companhia) é um filme de comédia estadunidense de 2004 escrito e dirigido por Paul Weitz e estrelado por Dennis Quaid, Topher Grace, e Scarlett Johansson.[2] O filme é sobre um executivo de publicidade de meia-idade, cuja empresa é comprada por uma grande internacional corporação deixando-o com um novo chefe que é quase a metade de sua idade. Sua vida se complica ainda mais quando seu chefe tem um interesse romântico em sua filha. O filme foi um sucesso de crítica e financeiro, recebendo críticas positivas[3] e ganhando mais de 61 milhões de dólares em bilheteria em todo o mundo.[4]

Resumo[editar | editar código-fonte]

Quando a revista para a qual trabalha é comprada por um grande grupo econômico, Dan (Dennis Quaid) perde o cargo de diretor. O seu novo patrão, Carter (Topher Grace), tem metade da sua idade é um jovem prodígio com ambições. Dan tem duas filhas , Alex (Scarlett Johansson), com 18 anos, e Jana, com 16 e é surpreendido com a gravidez inesperada da mulher.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

Para o papel de Carter Duryea, os produtores queriam Ashton Kutcher da série That 70's Show, que o recusou. Topher Grace fez testes e ficou com o papel.[1]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O filme recebeu críticas em sua maioria positivas, com uma pontuação global de 83%, baseado em 161 comentários, no site de classificações de filmes Rotten Tomatoes.[3] O filme detém actualmente uma classificação de 66 no Metacritic.[5]

Referências

  1. a b In Good Company no AdoroCinema
  2. «In Good Company (2004)». The New York Times. Consultado em 5 de novembro de 2013 
  3. a b «In Good Company (2004)». Rotten Tomatoes. Consultado em 5 de novembro de 2013 
  4. «In Good Company». Box Office Mojo. Consultado em 5 de novembro de 2013 
  5. Gelfand, Sydney. «In Good Company». Metacritic. Consultado em 5 de novembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]