About a Boy (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
About a Boy
Era Uma Vez Um Rapaz (PT)
Um Grande Garoto (BR)
 Reino Unido
 Estados Unidos
 França

2002 •  cor •  101 min 
Direção Chris Weitz
Paul Weitz
Produção Jane Rosenthal
Robert De Niro
Brad Epstein
Tim Bevan
Eric Fellner
Roteiro Nick Hornby (livro)
Peter Hedges
Chris Weitz
Paul Weitz
Elenco Hugh Grant
Toni Collette
Rachel Weisz
Nicholas Hoult
Ryan Speechley
Joseph Speechley
Natalia Tena
Jonathan Franklin
John Kamal
Jack Warren
Género Comédia dramática
Comédia romântica
Família
Música Badly Drawn Boy
Cinematografia Remi Adefarasin
Edição Nick Moore
Companhia(s) produtora(s) StudioCanal]]
TriBeCa Productions
Working Title Films
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Reino Unido 26 de abril de 2002
Brasil 19 de julho de 2002
Portugal 16 de agosto de 2002
Idioma inglês
Orçamento US$ 20 milhões[1]
Receita US$ 130 549 455[1]
Página no IMDb (em inglês)

About a Boy (Um Grande Garoto (título no Brasil) ou Era Uma Vez Um Rapaz (título em Portugal)) é um filme de comédia dramática e comédia romântica britânico dirigido pelos irmãos Chris Weitz e Paul Weitz, baseado no livro de mesmo nome de Nick Hornby.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Will Freeman vive um estilo de vida sereno e luxuoso desprovido de responsabilidade em London, graças os royalties que ele recebe de uma canção de Natal bem-sucedida composta por seu pai. Will começa a assistir a um apoio de grupo para as famílias monoparentais, como forma de pegar mulheres e como parte de sua tática, inventa um filho de dois anos chamado Ned. Seu plano é bem sucedido e ele conhece Suzie. Will traz Suzie em um piquenique, onde conhece Marcus, o filho de doze anos da amiga de Suzie, Fiona. Will ganha interesse e confiança de Marcus depois que ele o ajuda ao ser interrogado por um guarda florestal por matar um pato. Depois, quando Will e Suzie trazem Marcus para casa, eles encontram Fiona na sala de estar, com uma overdose de pílulas em uma tentativa de suicídio. Marcus tenta um encontro com Will e sua mãe, a fim de animá-la, mas o plano falha após uma tentativa. Em vez disso, Marcus torna-se perto de Will depois de chantageá-lo alegando saber que "Ned" não existe, e começa a tratá-lo como um irmão mais velho de aluguel. A influência de Marcus leva Will a amadurecer e ele procura um relacionamento com Rachel, uma mulher de carreira auto-confiante, e fala sobre as suas experiências com filhos adolescentes, embora Will esquece de explicar seu relacionamento com Marcus. Marcus, por sua vez, torna-se apaixonado por Ellie, mas contenta o seu interesse romântico em favor de uma amizade platônica. Will, percebendo que ele deseja intimidade verdadeira com Rachel, decide ser honesto com ela sobre seu relacionamento com Marcus, mas não termina bem e sua relação acaba.

Um dia, Marcus chega da escola e encontra sua mãe chorando na sala de estar. Marcus tenta desabafar para Will, mas Will se irrita com ele. Marcus decide cantar em um show de talentos da escola, a fim de fazer sua mãe feliz. Will tenta voltar ao seu estilo de vida anterior, mas acha insatisfatório e decide ajudar Marcus. Ele marca uma reunião do grupo de apoio para pais solteiros e encontra Fiona e implora-lhe para não cometer suicídio. Ela lhe assegura que ela não tem planos de fazer isso e revela que Marcus decidiu cantar no show da escola naquele dia. Percebendo que isso será um grande constrangimento para Marcus, corre à escola para detê-lo, mas Marcus é firme em sua decisão, acreditando que será a única coisa que vai fazer sua mãe feliz. Marcus caminha para o palco e canta a canção favorita de sua mãe - "Killing Me Softly with His Song" enquanto a escola zomba dele. De repente, Will aparece no palco com uma guitarra para acompanhar Marcus para o resto da música, virando-se o alvo da piada e resgatando Marcus da humilhação. No Natal seguinte, Will abriga uma festa em sua casa com sua nova família. A idéia de Will se casar com Rachel é levantada e Marcus parece entusiasmado. Mas Marcus revela na narração que ele não é contra Will se casar com Rachel, mas apenas que acredita que os casais não trabalham por conta própria e que todo mundo precisa de um sistema de suporte estendido como ele tem agora, concluindo "Nenhum homem é uma ilha".

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Recepção[editar | editar código-fonte]

About a Boy teve recepção geralmente favorável por parte da crítica especializada. Com base em 38 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 75 em 100 no Metacritic.

Em avaliações favoráveis, do Entertainment Weekly, Owen Gleiberman disse: "Hugh Grant cresceu, segurando em sua leveza o cinismo espirituoso, mas perdeu os gagos maneirismos do sherry-club que antes eram sua assinatura. Ao fazer isso, ele floresceu em um raro ator que pode atuar com uma eloquente decência interior escondida".

Do The A.V. Club, Scott Tobias: "Alguns cenários são mais clichês do que a figura paterna grosseira que assume na precoce impetuosidade - irritação nos dois primeiros atos, o amor no terceiro - mas Hornby infundi-o com carinho e honestidade, para não mencionar o seu dom óbvio para observação irônica".

ReelViews, James Berardinelli: "Não é um filme ousado, mas é imensamente agradável. De vez em quando, um filme vem que, apesar de atravessar terrenos familiares, são feitos com bastante habilidades em volta que supera suas origens clichês. About a Boy é um filme desses".

Los Angeles Times, Kenneth Turan: "Porque um Will descongelando gradualmente atua mais para os pontos fortes de Grant, a segunda parte do filme, ajudado também por Rachel Weisz como um interesse amoroso, é muito mais divertido. Mas ainda é difícil não sentir o que este filme está nos empurrando muito dificilmente, tentando rapidamente parecer mais honesto do que realmente é".

Film Threat, Richs Cline: "Como esses personagens todos passam de solitários isolados a confiarem uns nos outros, o filme nunca bate em seu ponto - até mesmo os grandes lances de bola parada são com uma certa desconfiança, apenas dão mais detalhes sobre os personagens sem pregação".

Baltimore Sun, Michael Sragow: "É difícil de concluir um filme que reúne uma rica cerca de leigos, hippies, uma garota punk e um trabalhador da Anistia Internacional, em uma espécie de reino pacífico, mas About a Boy mostra os limites da afabilidade".[2]

Com índice de 93% o Rotten Tomatoes publicou um consenso: "Uma comédia vencedora que se beneficia de encantos de menino de Hugh Grant".[3]

Premiações[editar | editar código-fonte]

  • Recebeu uma indicação ao Oscar, na categoria de Melhor Roteiro Adaptado.
  • Recebeu 2 indicações ao Globo de Ouro, nas categorias de Melhor Filme - Comédia/Musical e Melhor Ator - Comédia/Musical (Hugh Grant).
  • Recebeu 2 indicações ao BAFTA, nas categorias de Melhor Atriz Coadjuvante (Toni Collette) e Melhor Roteiro Adaptado.

Referências

  1. a b About a Boy (2002) (em inglês) Box Office Mojo. Visitado em 3 de fevereiro de 2013.
  2. About a Boy (em inglês) Metacritic. Visitado em 19 de abril de 2015.
  3. About a Boy (em inglês) Rotten Tomatoes. Visitado em 28 de fevereiro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]