jQuery

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
jQuery
Desenvolvedor John Resig
Lançamento dezembro de 2006
Versão estável 2.2.4 (maio 20, 2016; há 16 meses (2016-05-20))
3.2.1 (março 20, 2017; há 6 meses (2017-03-20))[1]
Linguagem JavaScript
Sistema operacional cross-browser
Gênero(s) biblioteca JavaScript
Licença MIT, GNU v2
Página oficial jQuery.com

jQuery é uma biblioteca de funções JavaScript que interage com o HTML, desenvolvida para simplificar os scripts interpretados no navegador do cliente (client-side)[2]. Lançada em dezembro de 2006 no BarCamp, de Nova York, por John Resig. Usada por cerca de 77% dos 10 mil sites mais visitados do mundo, jQuery é a mais popular das bibliotecas JavaScript[3][4].

jQuery é uma biblioteca de código aberto e possui licença dual, fazendo uso da Licença MIT ou da GNU General Public License versão 2[5]. A sintaxe do jQuery foi desenvolvida para tornar mais simples a navegação do documento HTML, a seleção de elementos DOM, criar animações, manipular eventos, desenvolver aplicações AJAX e criação de plugins sobre ela. Tais facilidades permitem aos desenvolvedores criarem camadas de abstração para interações de baixo nível de modo simplificado em aplicações web dinâmicas de grande complexidade.

A Microsoft e a Nokia anunciaram planos de incluir o jQuery em suas plataformas[6]. A Microsoft adotou na interface de programação (IDE) Visual Studio[7] para uso com o framework AJAX da linguagem ASP.NET, e a Nokia em sua plataforma Web Run-Time de criação de pequenos aplicativos Widgets[8]. A biblioteca jQuery também tem sido usada no programa MediaWiki, desde a versão 1.16[9].

Funcionalidades[editar | editar código-fonte]

Principais funcionalidades do jQuery:

  • Resolução da incompatibilidade entre os navegadores.
  • Redução de código.
  • Reutilização do código através de plugins.
  • Utilização de uma vasta quantidade de plugins criados por outros desenvolvedores.
  • Trabalha com AJAX e DOM.
  • Implementação segura de recursos do CSS1, CSS2 e CSS3.

Qualquer editor de código suporta jQuery, sendo necessário fazer download da respetiva classe no site do jQuery. Uma das maiores novidades relaciona-se com a resolução da incompatibilidade entre browsers, especialmente com o Internet Explorer, inferior à versão 9.

Exemplo[editar | editar código-fonte]

Um código em Javascript puro, para atribuir o valor "5" em um elemento qualquer.

document.getElementById( 'Teste' ).value = 5;

O mesmo código em jQuery.

$( '#Teste' ).val( 5 );

Referências

  1. jquery.org, jQuery Foundation-. «jQuery 3.2.1 Released! - Official jQuery Blog» 
  2. «jQuery: The Write Less, Do More, JavaScript Library» (em inglês). jQuery. Consultado em 1 de março de 2011 
  3. «JQuery usage statistics» (em inglês). BuiltWith Trends. 31 de março de 2014 
  4. «Usage of javascript libraries for websites» (em inglês). W3Techs. 1 de março de 2011 
  5. «License - jQuery Project» (em inglês). jQuery. Consultado em 1 de março de 2011 
  6. «jQuery, Microsoft and Nokia» (em inglês). jQuery Blog. 28 de setembro de 2008 
  7. «jQuery and Microsoft» (em inglês). ScottGu's Blog. 28 de setembro de 2008 
  8. «Guarana UI: a jQuery-Based UI Library for Nokia WRT» (em inglês). Forum.Nokia. 17 de março de 2010 
  9. «jQuery» (em inglês). MediaWiki. 1 de fevereiro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.