João Ameal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Ameal
Nome completo João Francisco de Barbosa Azevedo de Sande Aires de Campos
Nascimento 23 de fevereiro de 1902
Santa Cruz, Portugal
Morte 23 de setembro de 1982 (80 anos)
Lisboa, Portugal
Nacionalidade Portugal Português
Ocupação Jornalista, escritor, politico, e historiador
Magnum opus Obreiros de Quatro Impérios

João Francisco de Barbosa Azevedo de Sande Aires de Campos (Santa Cruz, Coimbra, 23 de fevereiro de 1902Lisboa, 23 de setembro de 1982), conhecido com o pseudónimo literário João Ameal, foi um jornalista, escritor, politico, e historiador português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

João Francisco de Barbosa Azevedo de Sande Aires de Campos ou João Ameal nasceu a 23 de fevereiro de 1902, na freguesia de Santa Cruz, concelho de Coimbra.[1][2]

Era o 2.º visconde e 3.º conde do Ameal.[3]

Neto do famoso humanista e colecionador de arte João Maria Correia Ayres de Campos, 1.º Conde do Ameal.[carece de fontes?]

Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa.[3]

Foi membro da Junta Central da Legião Portuguesa, chegando a dirigir o seu Boletim.[1][2]

Foi deputado à Assembleia Nacional em 4 legislaturas (: III, IV, V e VI, 1942-1957) [1]

Terminado o seu percurso na Assembleia Nacional foi ainda, entre 1957 e 1961, procurador à Câmara Corporativa na VII Legislatura.[2]

Como político, cedo se tinha revelado como um militante monárquico tradicionalista juntando-se, em 1923, ao chamado "Grupo dos Cinco" que, não seguindo a rutura do Integralismo com D. Manuel II de Portugal, ajudou a criar a Acção Realista Portuguesa[3][4]

A sua História de Portugal, um trabalho multi-volume publicado pela primeira vez em 1941 foi galardoada com o Prémio Alexandre Herculano, em 1943.

Na area da imprensa, encontra-se colaboração da sua autoria nas revistas Contemporânea[5] [1915]-1926, O domingo ilustrado[6] (1925-1927), Ilustração [7] iniciada em 1926 e ainda na Mocidade Portuguesa Feminina: boletim mensal[8] (1939-1947).

A 23 de Setembro de 1982, João Ameal morreu em Lisboa.[3][9]

Obras[editar | editar código-fonte]

Publicou mais de duas dezenas de livros e deixou vasta obra no domínio da historiografia, da ficção e da crítica:

  • S. Tomás de Aquino. Iniciação ao Estudo da sua Figura e da sua Obra (1938) pref. de Jacques Maritain, Porto, Livraria Tavares Martins
  • De D. João V a D. Miguel (1939), Porto, Livraria Tavares Martins.
  • A Revolução Tomista (1952)
  • História de Portugal das origens até 1940
  • Setúbal: sete séculos de história
  • Perspectivas da história
  • Santos portugueses
  • Obreiros de quatro impérios (1958)

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Em 30 de Janeiro de 1965 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Cristo.[10] A investidura aconteceria no Salão Nobre do Palácio da Foz, em Lisboa.[11] Em 30 de Junho de 1971 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada. [10]

Referências

  1. a b c Castilho, J. M. Tavares (2009). «Biografia e carreira parlamentar de João Ameal.» (PDF). Os Deputados à Assembleia Nacional (1935-1974). Infopédia indica "agosto" como mês de nascimento. Assembleia da República Portuguesa. Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  2. a b c Castilho, J. M. Tavares (2010). «Nota biográfica de João Francisco de Barbosa Azevedo de Sande Aires de Campos (João Ameal).» (PDF). Procuradores da Câmara Corporativa (1935-1974). Infopédia indica "agosto" como mês de nascimento. Assembleia da República Portuguesa. Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  3. a b c d João Ameal, in Infopédia, Porto Editora, Porto, 2003-2012 (Consult. 2012-08-23)
  4. Acção realista (1924-1926), cópia digital da Hemeroteca Digital de Lisboa
  5. Contemporânea [1915]-1926 cópia digital, Hemeroteca Digital
  6. O domingo ilustrado : noticias & actualidades graficas, teatros, sports & aventuras, consultorios & utilidades (1925-1927) cópia digital, Hemeroteca Digital
  7. Rita Correia (16 de Junho de 2009). «Ficha histórica: Ilustração (1926-)» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 6 de Novembro de 2014 
  8. Helena Roldão (2 de maio de 2014). «Ficha histórica: Mocidade Portuguesa Feminina : boletim mensal (1939-1947).» (pdf). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 27 de Maio de 2014 
  9. Os Factos e a sua História: 1º Facto. (Áudio) Programa de rádio da RTP.
  10. a b «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "João Ameal". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  11. Lopes, Fátima; Graça, Almerinda e Mello, Gonçalo de Sampaio (2003). Espólio de João Ameal: roteiro. Mostra documental. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal. p. 44. 48 páginas. ISBN 9725653610. Consultado em 4 de janeiro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.