Joel Zito Araújo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde dezembro de 2009).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cineasta e pesquisador mineiro, da cidade de Nanuque, é doutor em Ciências da comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP e fez pós-doutorado no departamento de rádio, TV e cinema e no departamento de antropologia da University of Texas, em Austin, nos Estados Unidos. Nascido em novembro de 1954, dirigiu documentários de curta e média-metragem tematizando o negro na sociedade brasileira, dentre os quais destacam-se São Paulo abraça Mandela (1991), Retrato em preto e branco (1993), Ondas brancas nas pupilas pretas (1995) e A exceção e a regra (1997). Em 1999, finalizou seu primeiro longa para a televisão, o documentário O efêmero estado União de Jeová, sobre Udelino de Matos, um homem que, nos anos 1950, tentou formar um estado camponês com a população de maioria negra no norte do Espírito Santo. Dois anos depois, lançou A negação do Brasil, sobre a trajetória do personagem negro nas novelas brasileiras, com impressionante trabalho de pesquisa que deu origem a um livro homônimo. Foi escolhido melhor filme brasileiro do É Tudo Verdade daquele ano, tendo sido também selecionado pra vários festivais pelo mundo, entre eles o festival de cinema latino de Madri e o festival de documentários do Porto. Em 2004, finalizou seu primeiro longa-metragem de ficção, As Filhas do Vento, que ganhou oito prêmios no Festival de Gramado, entre eles: melhor filme segundo a crítica, melhor diretor, ator e atriz. Na Mostra de Cinema de Tiradentes, foi escolhido melhor filme pelo público e participou ainda de festivais na Índia, na França, na África do Sul, em Burkina Faso e em Camarões. Em 2009, lançou o documentário Cinderelas, lobos e um príncipe encantado.

Em 2013 lançou o documentário "Raça", dividindo a direção com a vencedora do Oscar, Megan Mylan, dentro da temática do negro na sociedade brasileira.

Filmografia - Diretor[editar | editar código-fonte]

  • 2013 - Raça.
  • 2009 - Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado
  • 2004 - As Filhas do Vento
  • 2003 - Vista A Minha Pele (curtametragem)
  • 2000 - A Negação do Brasil
  • 1999 - O Efêmero Estado União de Jeová (tv)
  • 1997 - A Exceção e a Regra (médiametragem)
  • 1995 - Ondas Brancas nas Pupilas Negras (médiametragem)
  • 1994 - Eu, Mulher Negra (médiametragem)
  • 1993 - Retrato em Preto e Branco (médiametragem)
  • 1991 - Almerinda, Uma Mulher de Trinta (médiametragem)
  • 1991 - São Paulo abraça Mandela (médiametragem)
  • 1990 - Alma Negra da Cidade (médiametragem)
  • 1989 - Memórias de Classe (médiametragem)

Prêmios[editar | editar código-fonte]

- Com Memórias de Classe, Prêmio de melhor roteiro – Festival Ford/Anpocs, Rio de Janeiro - 1989.

- Por Almerinda, Uma Mulher de Trinta, Prêmio de melhor documentário sobre memória nacional do Festival Guarnicê de Cinema do Maranhão, 1992.

- Roteiro premiado pelo Concurso Nacional de Documentários do Ministério da Cultura de 1999, por A Negação do Brasil.

- Prêmio Melhor Filme da Competição Brasileira do 6o. Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade (São Paulo/RJ) – 2001, por A Negação do Brasil.

- Prêmio Melhor Pesquisa do 6o. Festival Internacional de Documentários – É Tudo Verdade (São Paulo/RJ) - 2001, por A Negação do Brasil.

- Prêmio Quanta para o melhor documentário brasileiro - – É Tudo Verdade (São Paulo/RJ) – 2001, por A Negação do Brasil.

- Prêmio “Gilberto Freire de Cinema” no 5o. Festival de Cinema do Recife – 2001, por A Negação do Brasil.

- Prêmio “Melhor Roteiro de Longa Documentário” no 5o. Festival de Cinema do Recife – 2001, por A Negação do Brasil.

- Filhas do Vento foi vencedor de 8 kikitos em 6 categorias no Festival de Cinema de Gramado (agosto/2004)Kikito para o Melhor Filme escolhido pela crítica; Kikito para o Melhor Diretor – Joel Zito Araújo; Kikito para o Melhor Ator – Milton Gonçalves; 02 Kikitos para Melhor Atriz – Ruth de Souza e Lea Garcia; Kikito de Melhor Ator Coadjuvante – Rocco Pitanga; 02 Kikitos de Melhor Atriz Coadjuvante – Taís Araújo e Thalma de Freitas.

- Vencedor do 8ª Mostra de Cinema de Tiradentes, MG – 2005. - Melhor Filme pelo júri popular, por Filhas do Vento.

- Vencedor do Paratycine – 2º. Festival de Cinema de Paraty, RJ – 2005. - Melhor Roteiro, por Filhas do Vento.

- Vencedor do Festival de Cinema de Macapá, 2005. Melhor ator e melhor atriz, por Filhas do Vento.

- Recebeu menção honrosa com o filme Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado no FIC - X Festival Internacional de Cinema de Brasília. Novembro 2008

- Prêmios: Melhor filme e Melhor Diretor de longa-metragem, votação do público, na 9ª edição do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe (Curta-SE 9)com o filme Cinderelas, lobos e um príncipe encantado.

- Prêmios: Melhor Documentário (votação do público) e Menção Honrosa do Júri do VII Mostra Vidas na Tela – Natal. 2009, com o filme Cinderelas, lobos e um príncipe encantado.

- Prêmios: Melhor Longa-metragem e Melhor Documentário do III Bahia Afro Film Festival, Maio/2010., com o filme Cinderelas, lobos e um príncipe encantado.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

- Cineasta, escritor, professor, diretor e roteirista de filmes, vídeos educacionais e institucionais, programas e campanhas eleitorais de TV. Criador e diretor dos filmes A Negação do Brasil, Filhas do Vento & Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado.

- Publicou o livro A Negação do Brasil: o negro na telenovela brasileira, pela Editora Senac, e vários artigos sobre a mídia e a questão racial brasileira. Entre eles:

  • 1. Mídia e produções de subjetividade: questões do racismo – In: Mídia e Psicologia: produção de subjetividade e coletividade/Conselho Federal de Psicologia. – Brasília: Conselho Federal de Psicologia, 2009.
  • 2. O Negro na Telenovela Brasileira: Uma Síntese. The Afro-Brazilian mind: contemporary Afro-Brazilian literary and cultural criticism. Pgs 257-270. Africa World Press, Inc. Trenton, NJ. 2007.
  • 3. Le noir dans les feuilletons televises. In: Cinémas d’amérique latine – Revue annuelle de l’Association Rencontres Cinemas d’Amerique Latine de Tolouse-França(ARCAL). - no. 15. pags 17-27. 2007
  • 4. A Força de um desejo: a persistência da branquitude como padrão estético audiovisual. Revista USP, no. 69 – maio/junho/julho 2006.
  • 5. As ameaçadoras bandeiras da negritude. Jornal O Globo, 29/05/2005. Rio de Janeiro.
  • 6. 40 anos de servidão involuntária. Revista Carta Capital, no. 216, 20/11/2002.
  • 7. A Estética do Racismo – In: Mídia e Racismo. Org. Silvia Ramos – Rio de Janeiro, Pallas, 2002. –

- Professor Convidado do Departamento de Radio-TV-Film da University of Texas – Austin (agosto/2001 a junho/2002) e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi-Morumbi, São Paulo (2000-2001).

- Coordenador pedagógico do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Cinema em Cuiabá (Out/2006 a Out/2008). Universidade de Cuiabá e MISC – Museu de Imagem e do Som de Cuiabá.

- Curador e organizador de várias mostras de Cinema Negro no Brasil. Consultor e parceiro brasileiro do Festival “3 Continents Human Rights” da África do Sul. Co-organizador da Mostra Cinema Raízes Negras Latino-americanas na Caixa Economica Federal RJ.

- Retrato em Preto e Branco (roteiro e direção) um documentário sobre a mídia e relações raciais no Brasil. Selecionado para vários festivais no exterior, entre eles: 1ère Muestra Europeenne de Videos Latino-Americaines, França / 1993. Chicago Latino Film Festival, 1994 nos EUA. IV Encontro Latino Americano de Vídeo, Peru, nov. 1993.

- A Exceção e a Regra (roteiro e direção) documentário sobre como o sistema jurídico brasileiro acolhe as vítimas de racismo, 1997. Selecionado para o Festival Nacional de Vídeo “Brasilidade”, organizado pela Cinemateca do MAM-RJ e Goethe-Institut - Rio de Janeiro.

- Ondas Brancas nas Pupilas Negras (roteiro, produção e direção). Documentário didático sobre imagem dos negros na mídia, 1995.

- Eu, Mulher Negra (roteiro e direção). Vídeo-documentário educativo sobre saúde da mulher negra para o CEBRAP – 1994.

- São Paulo abraça Mandela (roteiro, produção e direção). Documentário sobre a visita de Nelson Mandela à cidade de São Paulo - 1991.

- Alma Negra da Cidade (roteiro e direção). Documentário sobre a afirmação da comunidade negra no espaço urbano de São Paulo. Realizado para a TV Gazeta, em 1990.

- Vista a minha Pele (roteiro, produção e direção). Realizado para o projeto “Educar para a Igualdade Racial – Experiências de promoção da igualdade racial/étnica no ambiente escolar”. Uma parceira da UNICEF, Ministério da Justiça e a Ong paulista CEERT. 2003.

- Fez roteiro e direção de O Efêmero Estado União de Jeová. Documentário de longa-metragem para Televisão sobre o sonho messiânico de curta duração de Udelino de Matos, que tentou formar um estado camponês com a população de maioria negra do norte do Espírito Santo nos anos 50. Uma co-produção com a TV Gazeta (Rede Globo) do Espírito Santo. 1999. 62 min.

- Filhas do Vento (argumento, produção e direção), longa-metragem de ficção. Um dos seis roteiros premiados pelo Concurso de Longas de Ficção de Baixo-orçamento do Ministério da Cultura. Dez/2001.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Isto é Gente [1]
  • Diálogos contra o Racismo [2]
  • Joel Zito defende cotas para negros [3]}
  • Eu sou Neguinho [4]}