É Tudo Verdade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Se procura o documentário estadunidense de 1993, veja It's All True: Based on an Unfinished Film by Orson Welles.
É Tudo Verdade
Informações gerais
Local São Paulo e Rio de Janeiro, Brasil
Fundação 1996
Idioma Internacional
Website oficial

É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários (em inglês: It's All True – International Documentary Film Festival) é um festival de cinema documental brasileiro. É considerado um dos maiores eventos do gênero na América Latina.[1][2]

Criado pelo crítico Amir Labaki, teve sua primeira edição em 1996.[3] Desde então, tem sido realizado anual e simultaneamente nas cidades de São Paulo e no Rio de Janeiro, além de algumas mostras itinerantes em outras cidades brasileiras.

Durante o festival, são exibidos tanto curtas quanto médias e longas-metragens, que disputam as competições brasileira e internacional.

Premiados[editar | editar código-fonte]

Competição Brasileira[editar | editar código-fonte]

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem (Júri Oficial)[editar | editar código-fonte]

Melhor Documentário Curta-Metragem (Júri Oficial)[editar | editar código-fonte]

  • 1996 - não houve premiação
  • 1997 - não houve premiação
  • 1998 - não houve premiação
  • 1999 - não houve premiação
  • 2000 - não houve premiação
  • 2001 - Glauces - Estudo de um Rosto, de Joel Pizzini
  • 2002 - Casa de Cachorro, de Thiago Villas Boas
  • 2003 - Dormentes, de Inês Cardoso
  • 2004 - Abry, de Joel Pizzini
  • 2005 - Da Janela do Meu Quarto, de Cao Guimarães
  • 2006 - Visita Íntima, de Joana Nin
  • 2007 - Capistrano no Quilo, de Firmino Holanda
  • 2008 - Remo Usai – Um Músico Para o Cinema, de Bernardo Uzeda
  • 2009 - No Tempo de Miltinho, de André Weller
  • 2010 - Querida Mãe, de Patricia Cornils
  • 2011 - A Poeira e o Vento, de Marcos Pimentel
  • 2012 - Ser Tão Cinzento, de Henrique Dantas[4]
  • 2013 - Pátio, de Aly Muritiba[5]
  • 2014 - Borscht - uma Receita Russa, de Marina Quintanilha[6]
  • 2015 - Cordilheira de Amora II, de Jamille Fortunato[7]
  • 2016 - Abissal, de Arthur Leite[8]
  • 2017 - Boca de Fogo, de Luciano Pérez Fernández[9]
  • 2018 - Nome de Batismo - Alice, de Tila Chitunda[10]
  • 2019 - Sem Título # 5: A Rotina Terá Seu Enquanto, de Carlos Adriano[11]
  • 2020 - Filhas de Lavadeiras, de Edileuza Penha de Souza

Competição Internacional[editar | editar código-fonte]

Melhor Documentário de Longa ou Média-Metragem (Júri Oficial)[editar | editar código-fonte]

  • 1996 - não houve premiação
  • 1997 - Noel Field – Der erfundene Spion(Noel Field, A Lenda de um Espião), de Werner Schweizer
  • 1998 - Nespatrené(Os Sem-Visão), de Miroslav Janek
  • 1999 - Nós que Aqui Estamos por Vós Esperamos, de Marcelo Masagão
  • 2000 - De Grote Vakantie (Férias Prolongadas), de Johan van der Keuken
  • 2001 - Sacrificio - Who betrayed Che Guevara? (Sacrifício), de Erik Gandini e Tarik Saleh
  • 2002 - August - A Moment Before The Eruption (Agosto - Um Momento Antes da Explosão), de Avi Mograbi
  • 2003 - O Prisioneiro da Grade de Ferro - Auto-Retratos, de Paulo Sacramento
  • 2004 - A Alma do Osso, de Cao Guimarães
  • 2005 - Reportitoner (Ensaios), de Michal Leszczylowski
  • 2006 - Die Groesse Stille (O Grande Silêncio), de Philip Groening
  • 2007 - Mañana al Mar" (Manhã no Mar), de Ines Thomsen
  • 2008 - Cosmonaut Polyakov (Cosmonauta Polyakov), de Dana Ranga
  • 2009 - Burma VJ: Reporter i et Lukket Land (VJs de Mianmar - Notícias de um País Fechado), de Anders Høgsbro Østergaard
  • 2010 - La Danse – Le Ballet de l'Opéra de Paris (La Danse, O Balé da Ópera de Paris), de Frederick Wiseman, e The Most Dangerous Man in America: Daniel Ellsberg and the Pentagon Papers(O Homem Mais Perigoso da América: Daniel Ellsberg e os Documentos do Pentágono), de Rick Goldsmith e Judith Ehrlich
  • 2011 - You Don't Like the Truth: 4 Days Inside Guantanamo (Você Não Gosta da Verdade: 4 Dias em Guantánamo), de Luc Côté e Patricio Henriquez
  • 2012 - Planet of Snall (Planeta Caracol), de Seung-Jun Yi[4]
  • 2013 - The Machine Which Makes Everything Disappear (A Máquina que Faz Tudo Sumir), de Tinatin Gurchiani[5]
  • 2014 - Jasmine, de Alain Ughetto[6]
  • 2015 - La France est Notre Patrie (A França é a Nossa Pátria), de Rithy Panh[7]
  • 2016 - A Family Affair (Um Caso de Família), de Tom Fassaert[8]
  • 2017 - Communion (Comunhão), de Anna Zamecka[9]
  • 2018 - The Distant Barking of Dogs (O Distante Latido dos Cães), de Simon Lereng Wilmont[10]
  • 2019 - Cold Case Hammarskjöld (O Caso Hammarskjöld), de Mads Brügger[11]

Melhor Documentário de Curta-Metragem (Júri Oficial)[editar | editar código-fonte]

  • 1996 - não houve premiação
  • 1997 - não houve premiação
  • 1998 - não houve premiação
  • 1999 - não houve premiação
  • 2000 - não houve premiação
  • 2001 - não houve premiação
  • 2002 - não houve premiação
  • 2003 - não houve premiação
  • 2004 - não houve premiação
  • 2005 - não houve premiação
  • 2006 - não houve premiação
  • 2007 - My Eyes (Meus Olhos), de Erlend E.Mo
  • 2008 - Merely a Smell (Apenas Um Odor), de Maher Abi Samra
  • 2009 - Severing the Soul (Arrancando a Alma), de Barbara Klutinis
  • 2010 - The Darkness of Day (A Escuridão do Dia), de Jay Rosenblatt
  • 2011 - Poza zasiegiem (Fora de Alcance), de Jakub Stozek
  • 2012 - Abuelas (Vovós), de Afarin Eghbal[4]
  • 2013 - A Story for the Modlins (Uma História para os Modlin), de Sergio Oksman[5]
  • 2014 - Mamma är Gud (Mãe é Deus), de Maria Bäck[6]
  • 2015 - Superjednostka (Supercondomínio), de Teresa Czepiec[7]
  • 2016 - The Visit (A Visita), de Pippo Delbono[8]
  • 2017 - The Shepherd (O Cuidador), de Joost Van Der Wiel[9]
  • 2018 - Resonances (Ressonâncias), de Nicolas Khoury[10]
  • 2019 - Nove Cinco (Ressonâncias), de Tomás Arcos[11]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «É Tudo Verdade chega à 23ª edição e exibe documentários de mais de 20 países». O Estado de S.Paulo. 13 de abril de 2018 
  2. «É Tudo Verdade' abre nova edição com filme em tributo a Hugo Carvana». Jornal do Brasil. 8 de abril de 2018 
  3. «Release de Imprensa» (PDF). É Tudo Verdade. 1996 
  4. a b c d «Vencedores do É Tudo Verdade-2012». O Estado de S.Paulo. 1 de abril de 2012 
  5. a b c d «'Mataram Meu Irmão' vence o festival de documentários É Tudo Verdade». Último Segundo. 14 de abril de 2013 
  6. a b c d «'Homem comum' é grande vencedor do festival É Tudo Verdade 2014». G1. 12 de abril de 2014 
  7. a b c d «'Filme sobre Leonilson vence o É Tudo Verdade 2015». O Estado de S.Paulo. 18 de abril de 2015 
  8. a b c d «'O futebol' e 'Um caso de família' vencem o festival É Tudo Verdade». G1. 17 de abril de 2016 
  9. a b c d «"Cidades Fantasmas" é o vencedor do festival É Tudo Verdade». Gaúcha ZH. 30 de abril de 2017 
  10. a b c d «Filme sobre violência policial vence festival É Tudo Verdade». Folha de S.Paulo. 21 de abril de 2018 
  11. a b c d «Filme sobre ocupação de cinema vence festival É Tudo Verdade». Folha de S.Paulo. 14 de abril de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.