Festival de Cinema de Gotemburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cinema Draken em Gotemburgo.

O Festival de Cinema de Gotemburgo é um evento anual organizado em Gotemburgo desde 1979. Começa na última semana de janeiro e dura 10 dias. O centro do festival está no cinema Draken.

Na sua primeira edição foram apresentados 17 filmes em 3 cinemas, com um público de 3 000 pessoas.

Hoje em dia, é o maior festival cinematográfico dos Países Nórdicos, onde são exibidos filmes de todo o Mundo.

Prémios do Festival[editar | editar código-fonte]

Dragon Awards

  • Dragon Award Best Nordic Film (Prémio do Filme Nórdico)
  • The Ingmar Bergman International Debut Award
  • Dragon Award Best Nordic Film – Audience Choice (Prémio do Filme Nórdico – Escolha do Público)
  • Dragon Award Best Swedish Documentary
  • Dragon Award Best Feature Film – Audience Choice
  • Dragon Award New Talent

2013[editar | editar código-fonte]

O Festival de Cinema de Gotemburgo/2013 vai ter lugar durante 10 dias, entre 25 de janeiro e 4 de fevereiro de 2013.
O programa foi divulgado em 8 de janeiro, estando previstos 250 000 bilhetes para os cerca de 500 filmes de 84 países. [1]
Na inauguração do festival será apresentada a película norueguesa Kon-Tiki de Espen Sandberg e Joachim Rønning, no cinema Draken.

2012[editar | editar código-fonte]

O Festival de Cinema de Gotemburgo/2012 decorreu durante 11 dias, a partir de 27 de janeiro de 2012.
A abertura do evento foi feita através da exibição do filme Avalon de Axel Petersén, e o encerramento através da película Isdraken.
Durante o festival foram mostrados 429 filmes de 80 países.
Este ano o Dragão de Honra foi atribuído ao inglês Michael Winterbottom.
Como de costume, o filme nórdico teve um lugar de relevo com especial enfoque no dinamarquês. O outro foco foi o filme árabe – com 13 filmes recentes.

Presença Lusófona[editar | editar código-fonte]

  • Journey to Cape Verde (José Miguel Ribeiro, Portugal, 2010) [2]

2011[editar | editar código-fonte]

O Festival de Cinema de Gotemburgo/2011 teve lugar entre 28 de janeiro e 7 de fevereiro de 2011.

A abertura do festival foi feita através da exibição do filme norueguês Kongen av Bastøy - com Stellan Skarsgård, e o encerramento pela película sueca Isolerad - com Peter Stormare.

Durante o festival foram mostrados 442 filmes de 76 países, e um novo prémio - Dragon Award Best Nordic Film - no valor de 1 milhão de coroas suecas foi atribuído ao melhor filme nórdico.

Como temas em foco estiveram ”O novo cinema romeno” e “A presença”.

Presença Lusófona[editar | editar código-fonte]

  • Traces of a diary (Marco Martins, André Príncipe, Portugal, 2010)
  • O ultimo voo do flamingo/The last flight of the flamingo (João Ribeiro, Portugal, Moçambique, Espanha, França, 2010)

Prémios[editar | editar código-fonte]

  • Dragon Award Best Nordic Film - Apflickorna da realizadora Lisa Aschan[3]
  • Ingmar Bergmans debutantpris - Blue Valentine do realizador Derek Cianfrances[4]

2010[editar | editar código-fonte]

O 33º Festival decorreu entre 29 de janeiro e 8 de fevereiro.

A inauguração foi feita com o filme The Extaordinary Ordinary Life of José González de Mikel Cee Karlsson e Fredrik Egerstrand, no cinema Draken às 17.30 de sexta-feira 29 de janeiro.

Como convidados de honra, estiveram presentes Jessica Hausner (Áustria), Günter Wallraff (Alemanha) e Armando Iannucci (Escócia).

O tema principal do festival foi COMPARTILHAR E PARTICIPAR (Sharing), havendo a destacar a presença do mestre de cozinha sueco Leif Mannerström.

No encerramento do festival foi apresentado o filme estónio The Temptations of St Tony de Veiko Ounpuu, premiado em Veneza 2007.

A África esteve em foco, tendo sido exibidos vários filmes provenientes desse continente:

  • Burdening Memories of a Cleaning Lady (Souvenirs encombrants d’une femme de ménage) de Danii Kouyaté (Burkina Faso)
  • Le Fauteuil de Missa Hebié (Burkina Faso)
  • Harragas de Merzak Allouache (Argélia/França)
  • Sawa de Martin Nganguem Kamdem (Camarões)
  • Seasons of a Life de Charles Shema Joyah (Malawi)
  • Shirley Adams de Oliver Hermanus (África do Sul/Estados Unidos)
  • Soul Boy de Hawa Essuman (Quénia/Alemanha)
  • St Louis Blues (Un transport en commun) de Dyana Gaye (Senegal/França)
  • Tell Me Who You Are (Min Yè) de Souleymane Cissé (Mali)

Presença lusófona[editar | editar código-fonte]

2009[editar | editar código-fonte]

O 32º Festival teve lugar entre 23 de janeiro e 2 de fevereiro de 2009, com 700 sesssões, mostrando 450 fimes de 65 países. Foram vendidos 124 500 bilhetes a 31 000 visitantes.

Referências

  1. Andersson, Patrik. "Filmfesten bara växer", GöteborgsPosten, 9 de janeiro de 2013. Página visitada em 9 de janeiro de 2013.
  2. Viagem a Cabo Verde
  3. [1]
  4. [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]