John Cheever

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
John Cheever
John Cheever
Nascimento 27 de maio de 1912
Quincy, Massachusetts, EUA
Morte 18 de junho de 1982 (70 anos)
Ossining, Nova York, EUA
Nacionalidade norte-americano
Ocupação Escritor
Prémios National Book Award - Ficção (1958)

National Book Critics Circle Award (1978)
Prémio Pulitzer de Ficção (1979)

Magnum opus Parece mesmo o paraíso

John Cheever (Quincy, 27 de maio de 1912Ossining, 18 de junho de 1982), foi um escritor e contista americano.

Dentre as suas obras mais famosas contam-se The Stories of John Cheever que recebeu o Prémio Pulitzer de Ficção em 1979 e Falconer.

Por vezes apelidado de "Chekhov dos subúrbios", a sua ficção utiliza como cenário o Upper East Side de Manhattan, os subúrbios de Westchester County, em Nova Iorque, e pequenas vilas e cidades de New England e South Shore, perto de Quincy, no Massachusetts, onde o escritor nasceu.[1]

Cheever ficou conhecido pelos seus contos (incluindo "The Enormous Radio", "Goodbye, My Brother", "The Five-Forty-Eight", "The Country Husband" e "The Swimmer"), mas também escreveu romances, como The Wapshot Chronicle (National Book Award, 1958), The Wapshot Scandal (William Dean Howells Medal, 1965), Bullet Park, and Falconer.

A sua obra foca-se na dualidade da natureza humana: por vezes dramatizada como a disparidade entre a persona social conservadora dos personagens e a sua degradação interior, e por vezes como o conflito entre dois personagens (muitas vezes irmãos) que reflectem pólos contraditórios - luz e sombra, carne e espírito. Muitos dos seus livros exprimem também a nostalgia de um estilo de vida em extinção (tal como evocado pelo mítico St. Botolphs nos romances Wapshot), caracterizado por um profundo senso de comunidade e de tradições culturais, em oposição ao nomadismo alienante dos subúrbios.

Uma compilação dos seus contos, The Stories of John Cheever, foi premiado com o Prémio Pulitzer de Ficção, em 1979, e com o National Book Critics Circle Award. Em 1982, seis semanas antes da sua morte, Cheever foi galardoado com a Medalha Nacional para Literatura pela American Academy of Arts and Letters.

Biografia[editar | editar código-fonte]

John nasceu em Quincy, no estado de Massachusetts, em 1912. Era o segundo filho de Frederick Lincoln Cheever e Mary Liley Cheever. Seu pai era um próspero comerciante e John passou boa parte da infância em uma grande casa de estilo vitoriano no subúrbio. Na década de 1920, porém, as indústrias de calçado e têxteis da Nova Inglaterra começaram a perder importância. Frederick perdeu boa parte de sua fortuna e começou a beber em demasia. Para poder pagar as contas, Mary abriu uma lojinha de presentes no centro, o que foi visto como uma grande humilhação por seu pai.[2]

Em 1926, John começou a frequentar a Thayer Academy, uma escola privada, mas seu desempenho foi ruim e ele enfim foi transferido para uma escola pública em 1928. Um ano depois ganhou seu primeiro concurso de contos, patrocinado pelo Boston Herald e assim foi convidado a retornar a Thayer como aluno especial em caráter experimental. Suas notas continuaram ruins, porém ele saiu da escola expulso por ter sido pego fumando nas dependências da escola.[2]

Morte[editar | editar código-fonte]

No verão de 1981, John descobriu um tumor no pulmão direito e em novembro daquele ano soube que o tumor tinha se espalhado para o fêmur, pélvis e bexiga. Seu último livro, Oh What a Paradise It Seems, foi publicado em março de 1982.[3] O tratamento de câncer era bastante debilitante e ele morreu em 18 de junho de 1982, em Ossining, no estado de Nova York, aos 70 anos.[4]

Ele foi sepultado no cemitério First Parish, em Norwell, Massachusetts.[5]

Obra[editar | editar código-fonte]

  • The Way Some People Live (1943)
  • The Enormous Radio and Other Stories (1953)
  • Stories (with Jean Stafford, Daniel Fuchs, and William Maxwell) (1956)
  • Crónica de Wapshot - no original The Wapshot Chronicle (1957)
  • The Housebreaker of Shady Hill and Other Stories (1958)
  • Some People, Places and Things That Will Not Appear In My Next Novel (1961)
  • The Wapshot Scandal (1964)
  • The Brigadier and the Golf Widow (1964)
  • Bullet park - no original Bullet Park (1969)
  • The World of Apples (1973)
  • Falconer - no original Falconer (1977)
  • The Stories of John Cheever (1978) - Prémio Pulitzer de Ficção (1979)
  • Parece mesmo o paraíso - no original Oh, What a Paradise It Seems (1982)
  • The Letters of John Cheever (edited by Benjamin Cheever) (1988)
  • The Journals of John Cheever (1991)

Referências

  1. Martin Chilton, ed. (15 de outubro de 2015). «John Cheever: 'the Chekhov of the suburbs'». The Daily Telegraph. Consultado em 1 de junho de 2021 
  2. a b Cheever, Susan (1984). Home Before Dark: A Personal Memoir of John Cheever by His Daughter. Nova York: Houghton Mifflin. p. 84. ISBN 978-0297783763 
  3. Blake Bailey (ed.). «Cheever - A Life» (PDF). kingauthor.net. Consultado em 1 de junho de 2021 
  4. Michiko Kakutani, ed. (19 de junho de 1982). «John Cheever Is Dead At 70. Novelist Won Pulitzer Prize.». New York Times. Consultado em 1 de junho de 2021 
  5. Wilson, Scott (2016). Resting Places: The Burial Sites of More Than 14,000 Famous Persons. Nova York: McFarland & Company, Inc. ISBN 978-0786479924 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: John Cheever