John Romita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

John V. Romita Senior ou simplesmente Jonh Romita ou John Romita, Sr. (Nova Iorque, 24 de janeiro de 1930), é um artista americano que se notabilizou nos anos 60 e anos 70 pelos seus trabalhos desenhando e arte-finalizando personagens famosos da Marvel Comics, como o Capitão América, o Demolidor, e principalmente o Homem-Aranha, cujo trabalho com esse último foi fundamental para tornar o personagem o principal e mais famoso da editora.[1][2][3] É pai do também renomado desenhista John Romita, Jr., famoso desenhista do Demolidor, dos X-Men e do Homem-Aranha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

John Romita nasceu no distrito nova-iorquino do Brooklyn, filho de imigrantes italianos, no dia 24 de janeiro de 1930, onde passou a infância e a adolescência. Filho de um padeiro e de uma dona-de-casa,[3] tem mais três irmãs e um irmão.

Em 1947, aos 17 anos, ele se formou na School of Industrial Art de Manhattan. Possuí influências artísticas de nomes como Noel Sickles, Roy Crane, Milton Caniff e Carmine Infantino.

Romita se casou com Virginia Hopkins em 1952, com quem teve dois filhos, John Romita Jr., que seguiu os passos do pai e também se tornou desenhista profissional, e Victor Romita[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Conhecido por atuar durante muito tempo na linha de quadrinhos de romance, em 1965, arrumou um emprego como artista de storyboard na agência de publicidade BBD&O, passou a trabalhar com super-heróis quando foi convidado por Stan Lee para desenhar o Demolidor.[3] Com a repercussão positiva do trabalho, foi cogitado pelo dinâmico roteirista para desenhar também o Homem-Aranha. Como teste, recebeu uma história em duas partes do Demolidor, na qual o Homem-Aranha participava.

Na trama, após uma confusão inicial o aracnídeo invade o escritório do advogado Matt Murdock e ao perceber que este era mesmo cego, investe contra Foggy Nelson acusando-o de ser o Demolidor. A cena é assistida pela secretária Karen Page, que era fascinada pelo herói cego.

Na sequência da história (Daredevil # 18), ao tentar convencer Karen de que era de fato o Demolidor, Foggy vai a uma loja de fantasias para comprar um traje do herói, e combina com o alfaiate para que ambos encenem uma luta na frente da moça. Não sabia que o homem era instável mentalmente e a roupa que ele vai usar é a do Gladiador, um dos vilões de uniforme mais impressionante dos anos 60, por obra do mestre Romita.

Ao assumir o Homem-Aranha, levou o herói das teias ao ápice da popularidade, desenhando-o em várias poses que se tornaram clássicas, além de dar formas a personagens marcantes como Mary Jane Watson e o Rei do Crime.

Apesar do sucesso, desistiu de continuar como desenhista regular da Marvel em função dos prazos apertados, aceitando o cargo de diretor artístico da Editora. Nessa fase ajuda a desenvolver personagens importantes como Justiceiro e Wolverine. Em 1976 voltou a desenhar o Homem-Aranha, numa tira de jornal elaborada em parceria com Stan Lee. E acabou por influenciar as histórias da revista, ao trazer de volta o interesse dos leitores por Mary Jane, que havia se afastado na fase depressiva pós-falecimento de Gwen Stacy. Esse trabalho durou 6 (seis) anos mas as tiras já são publicadas há 25 anos.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

(em inglês)Website oficial


Ícone de esboço Este artigo sobre autor ou ilustrador de banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.