Karl Rahner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Karl Rahner, SJ
Presbítero da Igreja Católica
Teólogo
Fundador da Revista Concilium
Ordenação e nomeação
Dados pessoais
Nascimento  Alemanha, Friburgo em Brisgóvia, 5 de março de 1904
Morte  Áustria, 30 de março de 1984 (80 anos)
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Karl Josef Erich Rahner (Friburgo em Brisgóvia, 5 de março de 1904Innsbruck, 30 de março de 1984) foi um sacerdote católico jesuíta de origem germânica e um dos mais influentes teólogos do século XX. Para muitos especialistas, sua teologia marca a entrada da Igreja Católica na modernidade. Entre outros temas, Rahner aborda o pluralismo religioso, a espiritualidade, o pós-modernismo, o ecumenismo, a ética e seus desdobramentos na política.[1] Participou como perito conciliar[2] (teólogo) do Concílio Vaticano II (1962-1965). Em 1965, foi um dos fundadores da revista Concilium, juntamente com Antonie van den Boogaard, Paul Brand, Yves Congar, O.P., Hans Küng, Johann Baptist Metz e Edward Schillebeeckx, O.P.[3][4] A revista se tornou um importante fórum da teologia católica contemporânea.[5][6]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Karl Rahner cresceu em uma família de classe média; seu pai lecionou em um magistério. Em sua juventude, ele participou do movimento católico Quickborn, onde conheceu Romano Guardini. Depois de obter o diploma do ensino médio, ele entrou na ordem dos jesuítas em 1922.[7]

Mais tarde estudou filosofia e teologia em Feldkirch, Pullach, Valkenburg, Freiburg em Breisgau e Innsbruck. A participação nos seminários de Martin Heidegger nos anos 1934-1936 revelou-se decisiva para o treinamento de Rahner.

Em 1939, Rahner obteve seu primeiro ensinamento em Viena. Nos últimos anos da Segunda Guerra Mundial, ele também realizou a atividade pastoral na Baixa Baviera. Depois do conflito, ele continuou sua atividade de ensino, primeiro como professor na escola secundária da ordem em Pullach. A partir de 1948, ele foi professor e, no ano seguinte, foi professor na Universidade de Innsbruck.

Em 1963, o papa João XXIII o convocou entre os teólogos do Concílio Vaticano II, a cuja preparação ele já havia contribuído. Em 1964, Rahner sucedeu Romano Guardini na cadeira da Universidade Ludwig Maximilian de Mônaco. Suas palestras nesta universidade sobre o tema "Introdução ao Cristianismo" serviram de base para o seu trabalho fundamental surgido em 1975 sob o título Grundkurs des Glaubens.

Em 1965, fundou (com Antonie van den Boogaard, Paul Brand, Yves Congar, Hans Küng, Johann Baptist Metz e Edward Schillebeeckx) a revista Concilium, uma das mais importantes revistas da teologia católica contemporânea. Nestes anos, ele também voltou a escrever, na forma de ensaios e artigos, em favor do pacifismo, do desarmamento nuclear. Rahner atraiu a atenção de teóricos da Teologia da Libertação.[8]

De 1967 a aposentadoria, em 1971, ele foi professor catedrático de dogma na Westfälischen Wilhelms-Universität em Münster. Em 1971 foi nomeado pela Hochschule für Philosophie München como professor honorário para as questões filosóficas e teológicas "na fronteira".

Em 1969, o Papa Paulo VI nomeou-o membro da Comissão Teológica Internacional, cargo que ocupou até 1972. Em 1981 mudou-se para Innsbruck, onde morreu subitamente em março de 1984 e foi enterrado na cripta da Igreja dos Jesuítas.

Escritor prolífico, Rahner escreveu mais de 800 artigos e ensaios.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

A bibliografia completa se encontra disponível em [1]
  • " Você é o silêncio " (1938)
  • " Espírito no mundo " (1939)
  • "Ascetismo e misticismo nos Padres da Igreja" (1939)
  • " 'Ouvintes da Palavra' '" (1941)
  • "'A hora santa e a meditação da Paixão'" (1949)
  • "Necessidade e bênção da oração" (1949)
  • "Perigos no catolicismo hoje" (1950)
  • " As muitas missas e o único sacrifício " (1951)
  • " De Penitentia " (1952)
  • " Visions and Prophets " (1952)
  • "Liberdade de expressão na Igreja" (1953)
  • " Pequeno ano litúrgico " (1954)
  • " Ensaios teológicos " 16 vols. (1,954 - 1984). É o Opus Magnum de Rahner, contendo os mais importantes ensaios teológicos compostos entre 1932 e 1984. Muitas contribuições que foram formar volumes em colaboração estão contidas aqui. Os volumes expressamente dedicados à teologia espiritual e à espiritualidade são o terceiro (1956), o sétimo (1966), o décimo segundo (1975); o décimo primeiro (1973) é composto exclusivamente por ensaios de teologia e história do dogma da penitência.
  • " Maria, mãe do Senhor '" (1956)
  • " Sobre a inspiração das Escrituras " (1958)
  • " O elemento dinâmico da Igreja " (1958)
  • " Sobre a teologia da morte " (1958)
  • " Missão e Graça: Contribuições para a Teologia Pastoral " (1959)
  • " Eucaristia " (1959)
  • " Fé no meio do mundo " (1961)
  • " Igreja e sacramentos " (1961)
  • " Little Theological Dictionary " (1961)
  • " Episcopado e primazia " (1961, com J. Ratzinger)
  • " The Problem of Abrazing " (1961, com P. Overhage)
  • " Deaconry in Christ " (1962, com H. Vorgrimler)
  • " Presence of Christianity " (1963]
  • " Coisas de todos os dias " (1964)
  • "Manual of Pastoral Theology" (1964-69, mais um quinto volume do Dictionary of Pastoral, 1972, com F. X. Arnold, V. Schurr, F. Klostermann). O mais importante manual de cuidado pastoral de sua geração, considerado até hoje o primeiro a encontrar adequadamente a pastoral católica em nível teológico.
  • "Observações sobre o livro dos Exercícios de Santo Inácio" (1965)
  • "Revelação e Tradição" (1965, com J. Ratzinger)
  • " Sermões bíblicos " (1965)
  • " A hierarquia na Igreja " (1965, com A. Grillmeier e H. Vorgrimler)
  • " Sobre o diálogo em uma sociedade pluralista " (1965)
  • " Fé que ama a terra: consciência cristã na vida cotidiana do mundo '" (1966)
  • " Pequeno resumo do Conselho " (1966)
  • " A Trindade " (1967)
  • " Magistério e teologia depois do Concílio '" (1967)
  • " Servos de Cristo: meditações sobre o sacerdócio " (1967)
  • " O único mediador e a multiplicidade de mediações " (1967)
  • " Grace as freedom: little theological contributions " (1968]
  • " A reforma dos estudos teológicos " (1969)
  • " Palavras críticas: problemas atuais na Igreja e no mundo " (1970)
  • " Liberdade e manipulação na sociedade e na Igreja '" (1970)
  • " Prática da vida sacerdotal " (1970)
  • " 'Teologia do futuro' '" (1971)
  • "'Perspectivas da fé: fragmentos de uma espiritualidade moderna'" (1971)
  • " O que é um sacramento? '" (1971), com E. Jungel
  • " Moralidade objetiva e subjetiva " (1971)
  • " Cristologia de um ponto de vista sistemático e exegético " (1972)
  • " Transformação estrutural da Igreja como uma tarefa e como uma chance " (1972)
  • 'Homem do experimento: sobre a relação entre Deus e o homem' '"(1973)
  • "Retiros espirituais: o risco do cristão" (1974)
  • " Contribuições da Cristologia " (1974)
  • " O livro dos sacramentos " (1974)
  • Deus se tornou homem (1975)
  • "Curso básico sobre fé" (1976). Considerada, embora de maneira bastante imprecisa, o summa sistemático da teologia rahneriana.
  • " The Christian Dying " (1976)
  • " Fé como coragem " (1976)
  • " Experiência do Espírito " (1977)
  • " Convite à oração " (1977) com J.B. Metz
  • " Ignatius of Loyola " (1978) com P. Imhof e Biallows
  • "Problemas de fé da nova geração" (1979)
  • " O presente de Natal " (1980)
  • " Quem é seu irmão? " (1981)
  • " O que significa amar a Jesus? '" (1982)
  • " Por um novo amor por Mary " (1984)
  • " Lembre-se, falando com Meinhold Kraus " (1984)
  • O problema de acreditar (1984)
  • "Grundkurs des Glaubens" (Curso Fundamental da Fé), de 1976.[9]

Referências

  1. The Cambridge Companion to Karl Rahner. Cambridge University Press, 2005; "Introduction", pp 1-10
  2. O papel dos teólogos no Vaticano II, acesso em 24 de junho de 2016.
  3. (em inglês) Site da revista Concilium
  4. (em inglês) About Concilium
  5. O 50º aniversário da revista Concilium: um radar teológico. IHU, 18 de junho de 2014.
  6. Declan Marmion (1 de março de 2017). «Karl Rahner, Vatican II, and the Shape of the Church». Theological Studies (em inglês). 78 (1): 25–48. ISSN 0040-5639. doi:10.1177/0040563916681992 
  7. Karl Rahner a colloquio con Meinold Krauss, La fatica di credere, Edizioni Paoline, 1986, pp. 15-36.
  8. Karl Rahner, Dimensioni politiche del cristianesimo. Testi scelti e commentati da Herbert Vorgrimler, Città Nuova Editrice, Roma 1992, pp. 115-145 e 170-187.
  9. Karl Rahner. A busca de Deus a partir da contemporaneidade, acesso em 17 de setembro de 2016.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Teologia ou sobre um teólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.