Klaus Toppmöller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Klaus Toppmöller
Informações pessoais
Nome completo Klaus Toppmöller
Data de nasc. 12 de agosto de 1951 (68 anos)
Local de nasc. Rivenich, Alemanha Ocidental
Informações profissionais
Posição Treinador
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1972–1980
1980–1981
1985–1987
Alemanha Kaiserslautern
Estados Unidos Dallas Tornado
Alemanha Salmrohr
00204 00(108)
00031 0000(7)
Seleção nacional
1976–1979 Bandeira da Alemanha Ocidental Alemanha Ocidental 00003 0000(1)
Times/Equipas que treinou
1987–1988
1988–1990
1990–1991
1991–1993
1993–1994
1994–1999
1999–2000
2001–2003
2003–2004
2006–2008
Alemanha Salmrohr
Alemanha Ulm 1846
Alemanha Oriental Wismut Aue
Alemanha Waldhof Mannheim
Alemanha Eintracht Frankfurt
Alemanha Bochum
Alemanha Saarbrücken
Alemanha Bayer Leverkusen
Alemanha Hamburgo
Flag of Georgia.svg Geórgia

Klaus Toppmöller (Rivenich, 12 de agosto de 1951) é um ex-futebolista e treinador alemão.

Toppmöller iniciou sua carreira como treinador no Salmrohr, onde na temporada anterior, tinha se aposentado como jogador. Sua estreia na nova função no Salmrohr durou apenas uma temporada, quando acabou se transferindo para o Ulm 1846, onde acabou ficando poucos meses, até ser demitido. Tentou se aventurar na extinta Alemanha Oriental, mas acabou ficando apenas sete meses.

Retornou à Alemanha Ocidental para comandar o Waldhof Mannheim, onde passou a ter mais destaque na nova função. Tanto foi seu sucesso, que acabou recebendo uma oportunidade para treinar o tradicional Eintracht Frankfurt. Com um ótimo início, acabou ganhando mais prestígio, mas após sucessivas falhas e péssimos resultados, acabou sendo demitido.

Tendo ficado durante alguns meses parado, acabou aceitando uma proposta do Bochum, onde faria mais sucesso no comando de um clube até então. Toppmöller conseguiu durante suas cinco temporadas no clube, classificá-lo para a Copa da UEFA. Deixou o cargo no Bochum em meados de 1999, assumindo o comando do Saarbrücken, mas não tendo grande sucesso, sendo demitido no final do ano seguinte.

No ano seguinte, mesmo quase oito meses parado desde sua saída do Saarbrücken, foi contrato pelo Bayer Leverkusen. Com um elenco estrelado, contando com nomes, como os croatas Boris Živković e Jurica Vranješ, o brasileiro Lúcio, o argentino Diego Placente, o turco Yıldıray Baştürk, e os alemães Hans-Jörg Butt, Carsten Ramelow, Bernd Schneider, Michael Ballack, Oliver Neuville e Ulf Kirsten, que estariam presentes na campanha do vice-campeonato na Copa daquele ano, com exceção de Kirsten, foi finalista em todos torneios que disputou.

A primeira derrota aconteceu na Copa da Alemanha, quando perdeu o título para o Schalke 04. O segundo aconteceu no Campeonato Alemão, quando liderando a três rodadas do fim com cinco pontos de vantagem, acabou sendo revertida pelo campeão Borussia Dortmund, que terminou com um ponto a mais. O terceiro veio, na Liga dos Campeões da UEFA. Mesmo sendo uma grande surpresa na final, acabou ficando com o vice pela terceira vez na temporada, perdendo para o Real Madrid.

Apesar dos fracassos em finais naquela temporada, acabou sendo eleito o melhor treinador da temporada e continuou no comando do Bayer. Porém, na temporada seguinte, com fracos resultados, acabou sendo demitido. Após isso, assumiu o Hamburgo, mas também não teve sucesso, sendo muito criticado por suas formas estranhas de escalar a equipe, usando jogadores fora de posições, além de suas estranhas táticas. Após ser demitido do Hamburgo também, ficou durante quase dois anos parado, quando aceitou o convite para treinar a Geórgia, mas acabou sendo demitido no início de 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de AlemanhaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas alemães é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.