Língua ignota

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Uma Lingua Ignota (Do latim "linguagem desconhecida") foi descrita pela abadessa de Rupertsberg, St. Hildegard de Bingen, OSB, no século 12, que aparentemente usou para fins místicos. Para escrevê-la, ela usou um alfabeto de 23 letras denominadas litterae ignotae.[1]

Depois disso, centenas de tentativas têm sido feitas para criar novas línguas, como, por exemplo, o volapük, o ido, o novial, o occidental, o ling, o esperanto e a interlingua.

Referências

  1. Bingensis, Hildegardis (circa 1175-1190). Riesencodex. [S.l.: s.n.] pp. 934, 464v. Consultado em 26 de agosto de 2014.  Verifique data em: |data= (ajuda)