Lago de Serra da Mesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Lago de Serra da Mesa
Localização
Coordenadas 14° 05′ 42″ S, 48° 17′ 23″ O
Localização Usina de Serra da Mesa
País  Brasil
Características
Tipo lago artificial
Altitude 474 m
Área * 1784 km²
* Os valores do perímetro, área e volume podem ser imprecisos devido às estimativas envolvidas, podendo não estar normalizadas.

Lago de Serra da Mesa (o lago artificial da Usina de Serra da Mesa) é o quinto maior lago do Brasil[1], localizado no Noroeste de Goiás. Está em área inundada, com 1784 km² na elevação 460 m (em relação ao nível do mar), é o primeiro em volume de água, com 54,4 bilhões de metros cúbicos, tem atraído expressivo investimento na área de turismo. Formado principalmente pelos rios Tocantins, rio das Almas e Maranhão, tornou-se uma das melhores regiões para pesca esportiva de peixes como o Tucunaré, campeão de preferência dos pescadores de iscas artificiais[2].

Suas águas são alcalinas, dificultando assim a proliferação de mosquitos, pernilongos e mutucas, tornando esportes aquáticos viáveis.

Barragem e reservatório[editar | editar código-fonte]

A Eletrobrás Furnas iniciou os estudos do alto rio Tocantins em 1981 e propôs a construção de duas grandes barragens, uma delas em Serra da Mesa, que apresentava boas condições geomecânicas. Após anos de estudos, a construção da barragem e da usina foi iniciada em 1986. Em 24 de outubro de 1996, a barragem começou a inundar e criar seu reservatório e ficou cheio em 1998; na mesma época, os geradores da usina ficaram operacionais. A barragem de Serra da Mesa tem 1,500 m (4,900 ft) comprimento e 154 m (505 ft) barragem de aterro de preenchimento de terra de altura com um núcleo de argila e no total contém 12,057,558 m3 (425,808,600 cu ft) de material. O reservatório criado pela barragem tem capacidade de 54,400,000,000 m3 (44,100,000 acre·ft) e área de superfície de 1,784 km2 (689 sq mi) . Do volume do reservatório, 43,250,000,000 m3 (35,060,000 acre·ft) é o armazenamento ativo. A barragem suporta um vertedouro com cinco comportas de 15 m (49 ft) largura e 20.4 m (67 ft) altura cada. No total, o vertedouro tem 15,000 m3/s (530,000 cu ft/s) capacidade de descarga.

Usina Hidrelétrica Serra da Mesa[editar | editar código-fonte]

A barragem sustenta a Usina Hidrelétrica Serra da Mesa, uma usina subterrânea e circuito hidráulico . Antes de chegar às turbinas, a água entra na tomada perto do pilar esquerdo da barragem e segue ao longo de três 24 m (79 ft) longos túneis de entrada antes de chegar a três de 126 m (413 ft) comprimento e 10 m (33 ft) condutos forçados de diâmetro. A água então chega às turbinas Francis, que fornecem energia para três de 425 MW (570,000 hp) geradores. Após a saída das turbinas, a água é descarregada da casa de força por meio de um 500 m (1,600 ft) túnel de fuga longa. A casa de força é de 137 m (449 ft) comprimento, 67 m (220 ft) altura e 30 m (98 ft) largura. Para atenuar o golpe de aríete ao iniciar e parar as turbinas, ele contém um 69 m (226 ft) 20 m (66 ft) largura e 65 m (213 ft) alta câmara de sobretensão com 91,000 m3 (3,200,000 cu ft) capacidade.[3]

Impacto ambiental[editar | editar código-fonte]

A barragem de Serra da Mesa foi duramente criticada por ambientalistas antes e durante a construção. Organizações como a Rede Internacional de Rios criticaram a barragem e seu reservatório por destruir uma vasta área de flora e fauna, além de destruir o habitat de espécies ameaçadas de extinção. Além disso, a barragem foi criticada por inundar sítios arqueológicos e US $ 15 milhões em madeira que não foi removida antes da inundação. [4]

Panorama parcial de Lago de Serra da Mesa.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.