Manuel Bento Rodrigues da Silva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Manuel Bento Rodrigues da Silva
Cardeal da Igreja Católica
Cardeal-patriarca de Lisboa
Atividade eclesiástica
Congregação Congregação dos Cónegos Regulares de São João Evangelista
Diocese Patriarcado de Lisboa
Nomeação 18 de março de 1858
Entrada solene maio de 1859
Predecessor Dom Guilherme Cardeal Henriques de Carvalho
Sucessor Dom Inácio do Nascimento Cardeal de Morais Cardoso
Mandato 1858 - 1869
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 11 de março de 1826
Nomeação episcopal 24 de novembro de 1845
Ordenação episcopal 22 de fevereiro de 1846
Igreja de São Vicente de Fora
por Dom Guilherme Cardeal Henriques de Carvalho
Nomeado arcebispo 24 de novembro de 1845
Nomeado Patriarca 18 de março de 1858
Cardinalato
Criação 25 de junho de 1858
por Papa Pio IX
Brasão
Brasão Rodrigues da Silva (1800-1869).jpg
Dados pessoais
Nascimento Vila Nova de Gaia
25 de dezembro de 1800
Morte Lisboa
26 de setembro de 1869 (68 anos)
Nacionalidade Português
Progenitores Mãe: Ana de São José
Pai: José Bento Rodrigues Guimarães
Funções exercidas - Arcebispo-auxiliar de Lisboa (1845–1851)
-Arcebispo de Coimbra (1851-1858)
Sepultado Panteão dos Patriarcas de Lisboa
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Manuel Bento Rodrigues da Silva, C.R.S.J.E. (Vila Nova de Gaia, 25 de Dezembro de 1800Lisboa, 26 de Setembro de 1869) foi o décimo Patriarca de Lisboa com o nome de D. Manuel I.

Foi sucessivamente arcebispo titular de Mitilene (1845), 55.º Bispo de Coimbra e 20.º Conde de Arganil (em 1851), e por fim Patriarca de Lisboa em 1858; nesse ano foi também feito Cardeal pelo Papa Pio IX.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A ratificação do casamento de D. Luís I e de D. Maria Pia em 1862. D. Manuel pode ser visto saindo da igreja em procissão.

Nasceu na Rua Direita, em Santa Marinha de Vila Nova de Gaia, em 25 de Dezembro de 1800, no seio de uma família da pequena burguesia local, sendo filho de José Bento Rodrigues Guimarães e de Ana de São José.[1]

Ficou órfão de pai antes de completar 5 anos. Entrou na Congregação dos Cónegos Regulares de São João Evangelista em uma idade muito jovem, tendo professado no Convento do Beato António, em Lisboa. Após o noviciado, foi para a escola de sua ordem em Coimbra. Tirou o título de doutorado em teologia pela Universidade de Coimbra, em 30 de Julho de 1826.[1]

Foi iniciado na Maçonaria.[2]

Foi ordenado em 11 de Março de 1826. Em Coimbra, foi professor de história da Escola de Artes, por dez anos professor de teologia da sua universidade, membro do conselho executivo do ensino primário e secundário. Pastor em paróquias da diocese do Porto. Vigário capitular de Elvas e de Castelo Branco, de 1841 a 10 de Setembro de 1844. Foi Provisor e vigário-geral de Lisboa em 1844.[3]

Eleito arcebispo-titular de Mitilene e nomeado arcebispo-auxiliar de Lisboa em 24 de Novembro de 1845, foi consagrado em 22 de Fevereiro de 1846, na Igreja de São Vicente de Fora, pelo cardeal Guilherme Henriques de Carvalho, patriarca de Lisboa. Transferido para a Sé de Coimbra, com o título pessoal de arcebispo em 15 de Março de 1852, torna-se Conde de Arganil.[3]

Promovido à sé patriarcal de Lisboa em 18 de Março de 1858, foi criado cardeal-presbítero em 25 de Junho, sem no entanto ter recebido o galero e um titulus em Roma, mas recebeu de D. Pedro V na Basílica do Sagrado Coração de Jesus em Lisboa seu barrete.[3] Como máxima figura eclesiástica do país, oficializou os casamentos de D. Pedro V com D. Estefânia, e de D. Luís com D. Maria Pia.[3]

Faleceu em 26 de Setembro de 1869 e foi sepultado na Igreja de São Vicente de Fora. Desde meados do século XX que o seu corpo se encontra no Panteão dos Patriarcas de Lisboa.[1]

Ordenações episcopais[editar | editar código-fonte]

Foi o principal sagrante dos seguintes bispos:

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g SOUSA, Daniel A. Oliveira de, Colaços, Monteiros e Mascarenhas Malafaias - dos Açougues do Porto ao Sólio Patriarcal Lisbonense. O Percurso de Três Famílias Portuenses. Zéfiro, 2021, pp. 160-183.
  2. Marques, A. H. de Oliveira (1985). Dicionário da Maçonaria Portuguesa. Lisboa: Editorial Delta. p. 13 
  3. a b c d The Cardinals of the Holy Roman Church

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • PEREIRA, Pedro Henriques da Costa (1869). Esboceto biográfico e descrição litúrgica da administração do Sagrado Viatico e extrema-unção e do funeral do eminentíssimo e reverendíssimo senhor cardeal patriarca Dom Manuel Bento Rodrigues de saudosa memória. Lisboa: Typ. Universal de Thomaz Quintino Antunes 
  • FONTES, Paulo; Azevedo, D. Carlos; Saldanha, Sandra Costa; Boto de Oliveira, António Pedro (2009). "D. Manuel Bento Rodrigues da Silva, C.R.S.J.E." in Os patriarcas de Lisboa. Palavra de apresentação do Cardeal Patriarca, D. José da Cruz Policarpo. Lisboa: Centro Cultural do Patriarcado de Lisboa: Alêtheia Editores. pp. 103–108 
  • SOUSA, Daniel A. Oliveira de (2021). Colaços, Monteiros e Mascarenhas Malafaias - dos Açougues do Porto ao Sólio Patriarcal Lisbonense. O Percurso de Três Famílias Portuenses. Sintra: Zéfiro 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Manuel Bento Rodrigues da Silva



Precedido por
Domenico Genovesi
Brasão episcopal
Arcebispo-titular de Mitilene

1845-1852
Sucedido por
Domingos José de Sousa Magalhães
Precedido por:
Frei Joaquim de Nossa Senhora da Nazaré
Brasão episcopal
Arcebispo-Bispo de Coimbra

Sucedido por:
José Manuel de Lemos
Conde de Arganil
Conde de Arganil

18521858
Precedido por
Guilherme Henriques
de Carvalho
Brasão cardinalício
10.º Cardeal-Patriarca de Lisboa

18581869
Sucedido por
Inácio do Nascimento
de Morais Cardoso