Maria José Morgado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Maria José Morgado
Nascimento 27 de junho de 1951 (71 anos)
Malanje
Cidadania Portugal
Alma mater
Ocupação magistrado

Maria José Capelo Rodrigues Morgado (Malanje, Angola, 27 de junho de 1951[1]) é uma magistrada do Ministério Público português.

Militou no PCTP/MRPP e é viúva do fiscalista Saldanha Sanches. Em 1975, em Outubro de 1975, foi presa pelo Copcon de Otelo Saraiva de Carvalho.

Em 5 de Novembro de 1975 foi presa pelo Copcon de Otelo Saraiva de Carvalho, na altura com 23 anos, por injurias ao exercito e por ter participado no assalto à comício da Juventude Centrista, ocorrido na véspera[2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

É filha de pais transmontanos, Acácio Augusto Morgado, nascido em Carlão, concelho de Alijó, e Joaquina Rodrigues Capelo, natural da freguesia de Salto, do concelho de Montalegre, a viverem em Lisboa[4].

Licenciou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, tendo ingressado na magistratura do Ministério Público em 1979. Ligada à Polícia Judiciária, assumiu o comando da Direção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (2000-02) [5] e, em 2006, é nomeada procuradora-geral adjunta do Tribunal da Relação de Lisboa. No mesmo ano, assumiu a coordenação da investigação de casos polémicos como o Apito Dourado ou a alegada corrupção na Câmara Municipal de Lisboa.

Participou no programa Prós e Contras, da RTP1, em 27 de maio de 2003, sob o título O poder local serve bem os cidadãos?


Referências

  1. Lista de antiguidade dos magistrados do Ministério Público a 31-12-2016
  2. Jornal " A Capita" 6 de Novembro de 1974
  3. https://observador.pt/2014/11/04/40-anos-assalto-ao-comicio-da-juventude-centrista-e-da-tomada-da-sede-cds 40 anos do assalto ao comício da Juventude Centrista e da tomada da sede do CDS
  4. Maria José Morgado : filha de Transmontanos, artigo de Barroso da Fonte, Notícias do Douro, 2 de fevereiro 2018
  5. Direção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira (Lei Orgânica da Polícia Judiciária)