Mariene de Castro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mariene de Castro
Mariene em 2015, no 26º Prêmio da Música Brasileira.
Informação geral
Nome completo Mariene Bezerra de Castro
Também conhecido(a) como Mari Princesinha do Samba de Roda
Nascimento 12 de maio de 1978 (39 anos)
Origem Salvador, BA
País Brasil
Gênero(s) Samba, Samba de roda, MPB e Maracatu
Instrumento(s) Vocal e prato
Extensão vocal Contralto
Período em atividade 1997 - Presente
Outras ocupações Cantora, compositora, atriz, bailarina, instrumentista e modelo
Gravadora(s) Universal Music
Afiliação(ões) Carlinhos Brown, Margareth Menezes, Daniela Mercury, Seu Jorge, Maria Gadú, Beth Carvalho, Dudu Nobre e Jota Velloso
Influência(s) Edil Pacheco, Clara Nunes, Roque Ferreira, Maria Bethânia, Caetano Veloso, Roberto Ribeiro e Dona Ivone Lara
Página oficial Marienedecastro.com

Mariene Bezerra de Castro, mais conhecida como Mariene de Castro (Salvador, 12 de maio de 1978),[1] é uma atriz, modelo, instrumentista, bailarina, cantora e compositora brasileira, notória por destacar maracatu e samba de roda em sua obra. Cantou na festa de encerramento das Olimpíadas RIO 2016[2], enquanto era apagada a chama da pira olímpica.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Desde pequena a sambista baiana Mariene Bezerra de Castro queria ser bailarina. Começou a estudar balé aos cinco anos de idade. Seu contato com a música veio do ambiente familiar. "Na minha casa todo mundo cantava ou tocava algum instrumento", conta. Aos doze anos, Mariene quis aprender a tocar violão e pediu a sua mãe para ser matriculada numa aula de violão. Porém, quando chegou à escola, se interessou também pelas aulas de canto. E foi lá que ela descobriu que possui um timbre de voz muito raro, o contralto. Sua mãe não tinha dinheiro o suficiente para pagar os dois cursos, o de violão e o de canto, e o professor de canto acabou convencendo-as para que ela fizesse apenas o de canto.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

A artista vive no Rio de Janeiro desde 2012. Ainda vivendo em Salvador, ela foi casada por dezessete anos com o cantor e compositor Jota Velloso, com quem teve três filhos: João Francisco, Pedro e Bento. A separação se deu de forma amigável. No mesmo ano que chegou ao Rio, casou-se novamente, com um comerciante chamado Bruno Alberto, e com ele teve sua filha caçula, Maria. O término do segundo casamento, que durou apenas um ano, deu-se de forma conturbada, e seu ex-marido foi preso por agredi-la e ameaçá-la. Ela havia prestado queixa contra ele por lesão corporal e ameaça e entrou com um pedido na justiça de medida protetiva, o que o impede de se aproximar dela.[3] [4] [5] Desde janeiro de 2017 Mariene de Castro está namorando o diretor da TV Globo Luiz Fernando Carvalho.[6]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Mariene começou sua carreira profissional como vocal de apoio para Timbalada, Carlinhos Brown e Márcia Freire. Certo dia, um amigo de sua mãe, Vicente Sarno, conseguiu uma data para ela no projeto Pelourinho Dia e Noite. Foi seu primeiro show, em dezembro de 1996. No dia do show, dois produtores franceses procuraram-na, dizendo que estavam atrás de uma artista emergente. Então Mariene seguiu para a França. Depois de se apresentar em mais de 20 cidades francesas, onde foi aclamada pela crítica especializada e comparada à Edith Piaf, Mariene voltou ao Brasil, onde se apresentou nos palcos importantes da capital baiana como o Teatro ACBEU (Projeto Terça da Boa Música), Concha Acústica do Teatro Castro Alves (Projeto Sua Nota é um Show de Solidariedade), Sala Principal do Teatro Castro Alves (Mercado Cultural) e no Teatro XVIII com a temporada A Força que Vem da Raiz. No interior do estado, cantou no Teatro Dona Canô, em Santo Amaro, e está sempre presente no Festival de Inverno de Lençóis.

Com uma forma peculiar de interpretar e uma voz firme e singular, Mariene foi firmando seu nome e conseguiu destaque no cenário musical após conquistar em 2004, o Prêmio Braskem de Música e ter a oportunidade de gravar seu primeiro CD, Abre Caminho. Na estreia do trabalho a artista conseguiu vender mais da metade das cópias disponíveis para o mercado. No ano seguinte, o trabalho foi premiado como o melhor disco regional no Prêmio TIM de Música. No mesmo ano, a artista comandou a Lavagem da Igreja de Santa Madalena em Paris, uma festa espelhada na Lavagem do Bonfim. Quem acompanha o trabalho de Mariene sabe que ela faz parte de um seleto grupo de cantoras-intérpretes e prova disso é o reconhecimento da crítica e de artistas como Beth Carvalho, que em 2006 a convidou para participar da gravação do CD/DVD Beth Carvalho Canta o Samba da Bahia, quando foi considerada uma das mais gratas revelações da música local.

Em 2008 fez uma turnê pela Espanha e cantou na trilha do longa metragem Mujeres Del Mundo, com a música Elas Contam, e na trilha sonora do filme Ó Paí,Ó, onde cantou a música Ilha de Maré. Participou atuando no filme de Póla Ribeiro, Jardim das Folhas Sagradas, cantou no Dia do Samba no Projeto Música do Parque, levando mais de 15 mil pessoas ao Parque da Cidade e, nesse mesmo dia, a convite de Beth Carvalho, cantou com o Quinteto em Branco e Preto, nos Arcos da Lapa, no Rio de Janeiro.

No dia 29 de maio de 2010, Mariene lançou seu segundo álbum, Santo de Casa - Ao Vivo, com a sala principal do Teatro Castro Alves completamente lotada.[7]

No dia 17 de abril de 2012, Mariene lança seu segundo álbum de estúdio Tabaroinha com selo da Universal Music.[8]

Parceria Universal Music[editar | editar código-fonte]

Com 15 anos de carreira, vários prêmios de reconhecimento e uma carreira de sucesso, uma das maiores gravadoras do Brasil, a Universal Music, abriu os olhos, ou melhor, os ouvidos, para o talento desta grande sambista ao convidá-la para fazer parte do seu casting de artistas, ficando responsável pela distribuição nacional e internacional do CD e DVD ao vivo “Santo de Casa”.

Resgatando tradições, amadurecendo como artista e cantando o que gosta, Mariene de Castro lançou o DVD "Santo de Casa - Ao Vivo", e em seguida a artista pretende lançar um CD com composições de Roque Ferreira, compositor com o qual mais se identifica, predominante de sua discografia e de seus shows.

Ativismo[editar | editar código-fonte]

Mariene foi a madrinha da Parada Gay de Salvador de 2007.[9]

Novelas[editar | editar código-fonte]

Mariene, que teve uma música com grande destaque na trilha sonora de Lado a Lado, estreou como atriz, interpretando a personagem Dalva na novela Velho Chico.[10]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Sua voz pode ser ouvida também no premiadíssimo DVD Balé Mulato da cantora Daniela Mercury , no DVD Beth Carvalho canta o samba da Bahia da cantora Beth Carvalho no DVD Sambabook do Zeca Pagodinho, no DVD e nos dois CDs do Sambabook de Dona Ivone Lara que é a rainha do samba, no DVD de Nelson Rufino, nos DVDs do Samba Social Clube...

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Carreira como Atriz[editar | editar código-fonte]

  • 2008: Filme Jardim das Folhas Sagradas
  • 2015: Filme Quase Samba
  • 2016: Velho Chico.... Dalva

Redes Sociais[editar | editar código-fonte]

Acompanhe Mariene de Castro nas redes sociais astravés dos links:

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências