Miêtta Santiago

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Miêtta Santiago
Nascimento 1903
Varginha, Brasil
Morte 1995 (92 anos)
Nacionalidade Brasil Brasileira
Ocupação Escritora, poetisa, advogada sufragista e feminista

Maria Ernestina Carneiro Santiago de Souza (pseudônimo, Miêtta Santiago; Varginha, 1903 - 1995) foi uma escritora, poetisa, advogada sufragista e feminista no apoio dos direitos das mulheres. Ela foi uma das primeiras mulheres no Brasil a exercer completamente seus direitos políticos. Com Celina Guimarães Viana, Santiago foi uma pioneira em 1927 na luta pelo sufrágio no Brasil.[1] Em 1928, Santiago questionou a constitucionalidade da proibição do voto feminino no Brasil, afirmando que isso violava o Artigo 70 da Constituição da República Federal dos Estados Unidos do Brasil, datada de 24 de Fevereiro de 1891, quando esta estava em vigor.[2][3][4][5]

Trabalhos selecionados[editar | editar código-fonte]

  • Namorada da Deus (1936)
  • Maria Ausência (1940)
  • Uma consciência unitária para a humanidade (1981)
  • As 7 poesias (1981)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Paganini, Luiz Antônio; Paganini, Nilze (2012). «Do binário ao unitário: Miêtta Santiago e a transpoesia». Revista Graphos. 14 (2): 81–90. ISSN 1516-1536 
  2. "Pioneiras sufragistas brasileiras e a conquista do voto feminino", Ciência e Humanidades - Demografia
  3. Paganini, Luiz Antônio; Paganini, Nilze (2012).
  4. Séguin, Elida (2002).
  5. «80 anos de voto: todo poder as mulheres!». União Nacional dos Estudantes