Minions (filme)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Minions
Minions (PRT/BRA)
 Estados Unidos
2015 •  cor •  91 min 
Direção Pierre Coffin
Kyle Balda
Produção Chris Meledandri
Janet Healy
Roteiro Brian Lynch
Narração Geoffrey Rush
Elenco Sandra Bullock
Jon Hamm
Michael Keaton
Allison Janney
Steve Coogan
Jennifer Saunders
Pierre Coffin
Gênero animação
comédia
Música Heitor Pereira
Edição Claire Dodgson
Companhia(s) produtora(s) Illumination Entertainment
Distribuição Universal Pictures
NOS Lusomundo Audiovisuais
Lançamento Brasil 25 de Junho de 2015
Estados Unidos 10 de Julho de 2015
Portugal 23 de Julho de 2015
Idioma inglês
Orçamento US$ 74 milhões
Receita US$ 1.159.094.243 [1]
Cronologia
Meu Malvado Favorito (2010)
Site oficial

Minions (MínimosPOR ou MinionsBRA) é um filme estadunidense de animação computadorizada, um spin-off/prequela da animação Meu Malvado Favorito, lançado em 2015. Ele foi produzido por Illumination Entertainment, e foi distribuído por Universal Pictures. O longa é escrito por Brian Lynch, dirigido por Pierre Coffin e Kyle Balda, e produzido por Chris Meledandri e Janet Healy. Foi lançado em 10 de julho de 2015 nos cinemas norte-americanos. O primeiro trailer oficial do longa foi liberado no dia 4 de novembro de 2014.[2]

Embora não tenha tido sucesso de crítica, o filme foi um enorme sucesso de bilheteria, arrecadando mais de $1,1 bilhão de dólares, sendo a segunda animação de maior bilheteria e a 17ª maior bilheteria de todos os tempos.

Uma sequência já foi anunciada pela Universal Pictures, com o mesmo elenco de dubladores para os minions. Levando em conta o final do primeiro filme, suspeita se que a sequência mostrará os Minions no começo da jornada de Gru. Também podem ser conhecidos como Qian Kun.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Minions são seres multicelulares amarelos que existem desde o início do tempo, evoluindo de amarelos organismos unicelulares a seres que têm apenas um propósito: servir aos vilões mais malvados da história. Porém, depois que sua inépcia destrói todos os seus mestres, incluindo um T. Rex, Genghis Khan, Napoleão e até o Drácula, eles decidem isolar-se do mundo e começar uma nova vida no Ártico. Em algum momento na década de 1960, a falta de um mestre leva-os a desenvolver depressão, então Kevin e outros dois voluntários (Stuart e Bob) partem para encontrar um novo mestre. Eles chegam a uma convenção de vilões em Orlando e passam a competir pelo direito de ser capangas de Scarlet Overkill, uma vilã elegante e ambiciosa determinada a dominar o mundo e se tornar a primeira supervilã da história.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Os protagonistas do filme
Personagem Dublagem Estados Unidos Dublagem Brasil
Minions Pierre Coffin Pierre Coffin
Scarlet Overkill Sandra Bullock Adriana Esteves
Herb Overkill Jon Hamm Vladimir Brichta
Walter Nelson Michael Keaton Jorge Lucas
Madge Nelson Allison Janney Angélica Borges
Gru (criança) Steve Carell Leandro Hassum
Tina Katy Mixon Ana Lúcia Menezes
Walter Jr. Michael Beattie Reginaldo Primo
Professor Flux Steve Coogan Cláudio Galvan
Dumô, o Sumô Hiroyuki Sanada Anderson Coutinho
Fabrice Dave Rosenbaum Cláudio Galvan
Rainha Elizabeth Jennifer Saunders Mabel Cezar
Narrador Geoffrey Rush Élcio Romar
Rob Robalo Manolo Rey
Apresentador Guilherme Briggs
Apresentador da Expovilão Ricardo Schnetzer
Arcebispo Reinaldo Pimenta
Conselheiro Real Alex Dowding Hércules Franco
Guarda Mauro Ramos
Guardião da Coroa Guilherme Briggs
Homem vestido de Scarlett Fernando Caruso
Mordomo Gordo Paulo Bernardo
Mordomo Magro Yuri Calandrino
Repórter da BBC Márcio Simões

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Apesar das críticas mistas, Minions arrecadou $336 milhões nos EUA e Canadá e $823 milhões internacionalmente, para um total de mais de $1.1 bilhão contra um orçamento de $74 milhões. É atualmente, a quinta maior bilheteria de 2015, a terceira animação de maior bilheteria e a 19ª maior bilheteria da história.

Impacto cultural[editar | editar código-fonte]

No Brasil, os minions foram usados como referência para batizar os seguidores do político Jair Bolsonaro, chamados por adeptos da esquerda, em tom irônico e ofensivo, de "bolsominions". Em artigo do site Extra[4], de abril de 2016, o jornalista Felipe Pena comparou os fãs de Bolsonaro aos Minions, dizendo que "seguem o líder, a quem chamam de mito, e dão vazão aos recalques narcísicos atacando as diferenças de grupos que elegem como rivais".

Desde então, o termo foi vastamente usado pela população, na mídia brasileira e internacional, aparecendo em artigos da BBC[5], The Guardian[6] e Open Democracy[7].

Referências

  1. «Minions (2015)». Box Office Mojo (em inglês). IMDb. Consultado em 9 de janeiro de 2016 
  2. «Com estreia marcada para 2015, Universal libera trailer de Minions/Correio Braziliense». Correio Braziliense. 5 de novembro de 2014. Consultado em 5 de novembro de 2014 
  3. «The Beatles» 
  4. «Bolsominions: quem são e do que se alimentam». Extra Online. 27 de abril de 2016. Consultado em 9 de agosto de 2019 
  5. Uchoa, Pablo (21 de setembro de 2018). «Why Brazilian women are saying #NotHim» (em inglês) 
  6. Nemer, David (25 de outubro de 2018). «The three types of WhatsApp users getting Brazil's Jair Bolsonaro elected». The Guardian (em inglês). ISSN 0261-3077 
  7. «Bolsonaro and the Brazilian far right». openDemocracy. Consultado em 9 de agosto de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.