Monumentos e pontos turísticos de Portalegre (Portugal)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Panorâmica da cidade vista da Capela do Calvário.
Muralha junto à Rua da Figueira.
Porta de Alegrete, século XIII.
Muralha junto à Rua dos Muros de Baixo; ao fundo situava-se a Porta do Postigo.
A Igreja do Bonfim.
Sede da Câmara Municipal de Portalegre; antigo convento e colégio da Companhia de Jesus.
Palácio Amarelo e campanários da Sé.

Este é um anexo do artigo sobre os Monumentos e pontos de maior interesse o visitante do município português de Portalegre

Ver também:

Museus[editar | editar código-fonte]

Castelos[editar | editar código-fonte]

Portas da antiga muralha[editar | editar código-fonte]

No passado existiam 7 portas (alguns estudiosos falam em 8), das quais só subsistem 5:[1]

As portas desaparecidas são:

Edifícios religiosos[editar | editar código-fonte]

Na cidade[editar | editar código-fonte]

Nos arredores ou freguesias rurais[editar | editar código-fonte]

Outros edifícios históricos[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

A cidade de Portalegre e os seus arredores contam com mais de 30 fontes históricas. Até finais do século XIX, a água canalizada estava praticamente circunscrita às fontes, e só a partir dos anos 40 do século XX se pode falar de água canalizada ao domicílio. As fontes de Portalegre começam, por isso, por constituir um mobiliário urbano de características utilitárias.

  • Fonte do Outeiro – Pintada de amarelo e branco, cores típicas da cidade com o brasão de armas da cidade, data de 1883.
  • Fontes do Corro (actual Praça da República) – Nesta praça encontrava-se uma fonte monumental encimada com o brasão de armas da cidade, que foi construída no século XVI para comemorar a visita à cidade do rei Filipe II de Espanha (I de Portugal). A fonte encontra-se hoje numa praça de Cascais. Em sua substituição foram implantados, por volta de 1894, dois marcos fontanários em granito da região. 39° 17' 23.03" N 7° 25' 47.21" O
  • Fonte das 3 Bicas – Pintada de amarelo e branco, é encimada por um varandim. Tem 3 bicas e a tem a data da sua construção (1864) gravada.
  • Fonte da Concha – Também chamada Fonte de Manuel de Jesus por se tratar de uma fonte particular que pertencia à casa que lhe está anexa. Data do século XIX. É constituída por uma grande concha em cima de um varandim. Está pintada de branco e amarelo.
  • Fonte da Boneca – De estilo neoclássico e executada em lioz, data de 1894 e parece ter sido construída com o intuito de embelezar a cidade na sequência de uma visita prevista do rei D. Carlos a Portalegre.
  • Fonte de Mergulho de Santa Clara - Fonte de mergulho do século XVI, servia para abastecer de água o Convento de Santa Clara que lhe está anexo. Apresenta arcos geminados, separados por um mainel, que ostenta um círculo raiado sobre o capitel. 39° 17' 25.07" N 7° 25' 56.16" O
  • Fonte do Claustro do Convento de Santa Clara – Obra barroca do século XVIII no centro de um claustro gótico. 39° 17' 24.63" N 7° 25' 55.52" O
  • Fonte da Misericórdia – Construída em mármore branco com laivos vermelhos e negros, foi provavelmente inspirada na fonte do Largo do Teatro. Ostenta numa das faces o brasão de armas da cidade e a data da construção (1906).
  • Fonte Nova – Executada pelo escultor Augusto Desirat em mármore de Estremoz em 1894, tem duas bicas e a decoração inclui o brasão de armas da cidade.
  • Fonte do Rossio – Começou por ser colocada no Largo de Santiago em 1865, e só em 1889 passou para o Rossio. 39° 17' 43.65" N 7° 25' 49.5" O
  • Fonte do Jardim do Tarro – Construída na década de 1960, tem à sua frente um pequeno lago que se pode atravessar por meio de passadeiras circulares de pedra. 39° 17' 54.49" N 7° 25' 46.78" O
  • Fonte de Neptuno – Data da 2ª metade do século XVI e apresenta elementos decorativos manuelinos e do renascentistas. Foi remodelada no século XIX, datando desse período a figura de Neptuno e as carrancas que a suportam.

Outros pontos com interesse histórico[editar | editar código-fonte]

Miradouros[editar | editar código-fonte]

  • Miradouro de Santa Luzia – Situado na Serra de Portalegre (679 m), na estrada para o Salão Frio, a norte da cidade. 39° 18' 16.38" N 7° 25' 25.45" O
  • Miradouro da Penha – Situado no adro de um capela do século XVII na encosta da Serra da Penha, a oeste da cidade.
  • Miradouro das Carreiras – Situado na povoação do mesmo nome, é um local panorâmico de grande beleza paisagística natural. Na freguesia das Carreiras existem também troços de calçada medieval que merecem ser visitados.
  • Miradouro da Igreja de Nossa Senhora da Lapa – Outro local de panorâmico de grande beleza paisagística natural, à beira de uma pequena Igreja cavada na rocha, a 1 km da povoação de Besteiros.
  • Pico da Serra de São Mamede – Situado a 1025 m de altitude, é o ponto mais elevado de Portugal continental a sul do Tejo. Dali se avista a barragem da Apartadura, a vila de Marvão, a Serra da Estrela e parte da Estremadura espanhola.

Referências

  1. «Portas da Cidade». Câmara Municipal de Portalegre. Consultado em 20 de novembro de 2009. Cópia arquivada em 20 de novembro de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Portalegre