Mortadelo y Filemón

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde julho de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mortadelo y Filemón
LogotipoMyF.jpg
Logotipo da série
Editora(s) Editorial Bruguera, Ediciones B
Primeira publicação 20 de janeiro de 1958
Género(s) Humor, sátira, pastelão, aventura
Autor(es) Francisco Ibáñez
Argumento Francisco Ibáñez, Jesús de Cos e outros
Desenho Francisco Ibáñez, Ramón María Casanyes e outros
Título(s) em português Mortadelo e Salaminho (título no Brasil) ou Salamão e Mortadela (título em Portugal)

Mortadelo y Filemón (Mortadelo e Salaminho (título no Brasil) ou Salamão e Mortadela (título em Portugal)) é uma série de histórias em quadrinhos espanhola, criada em 1958 pelo espanhol Francisco Ibáñez para a revista Pulgarcito.[1] Trata-se de dois detectives da T.I.A. (Técnicos de Investigações Avançadas no Brasil ou Técnicos de Investigações Aeroterráqueas em Portugal, paródia da CIA) que se vêem metidos nas mais insólitas trapalhadas graças à má sorte do agente Salaminho e ao talento freqüentemente inútil de Mortadelo para os disfarces. Com eles trabalham o exigente Superintendente da T.I.A. (Vicente, mais conhecido por Super), sempre mal-disposto, o Professor Bactério com os seus inventos mirabolantes que tendem a catástrofes quando caem nas mãos erradas, e Ofélia, a secretária cujo principal passatempo é estar no sítio errado na altura errada.

Ibáñez escreveu e desenhou já vários álbuns desta série, todos com o mesmo sentido de humor quase surreal, que se encontram traduzidos em diversas línguas mas desfrutam de enorme sucesso sobretudo na Península Ibérica.

As aventuras começaram a ser publicadas em várias revistas da Editorial Bruguera e da Ediciones B, até que em 1996 começaram a ser publicadas diretamente no formato do álbum.[2]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

Francisco Ibáñez, criador de Mortadelo y Filemón

Mortadelo e Filémon podem ser descrito como um par catástrofes, e não importa que tipo de missão que eles são atribuídos, eles sempre conseguem fazer tudo errado. Os resultados são quase sempre extremamente violento, e na maioria das vezes dirigida para Filémo. No TIA (uma paródia da CIA, bem como "U.N.C.L.E.", a principal organização de The Man from U.N.C.L.E.), que combate "organizações inimigas" como R.A.N.A. ("sapo") ou A.B.U.E.L.A. ("avó"), eles interagem com seu chefe, o mal-humorado Superintendente Vicente; com Professor Bacterio , um cientista desastroso de barba negra parodiando o personagem Q de James Bond; a secretária loira Ofelia , uma paródia de Miss Moneypenny, cujas tentativas de seduzir Mortadelo sempre falham.

Fora da Espanha, a série é especialmente popular na Alemanha como Clever & Smart. Após a década de 1980, os álbuns têm caracterizado notícias atuais, como a sabotagem de computadores, a AVE, o terrorismo islâmico , política espanhola e europeia, e especialmente os Jogos Olímpicos e Copa do Mundo de futebol.

Ibáñez gosta de introduzir coisas estranhas não relacionados à ação especialmente nas capas. A água da torneira pode brotar de uma árvore, dois ratos podem estar conversando, um vaso pode conter um pé ou uma berinjela, etc. Um exemplo estranho aconteceu na última página do álbum de El 35 aniversario (1993) onde uma cena de Nova York mostrava um avião contra o World Trade Center. Isso atraiu a atenção após Ataques de 11 de setembro de 2001.

Ibáñez publica vários álbuns por ano. Uma série de desenhos animados e alguns filmes de animação também foram produzidos. Há dois filmes live-action baseado na série, um deles fez em 2003 na Espanha intitulado La gran aventura de Mortadelo y Filemón. Um segundo filme foi lançado em 2008, Mortadelo y Filemón. Misión: salvar la Tierra, marcando o 50º aniversário da série.

Álbuns[editar | editar código-fonte]

Editados na Espanha[editar | editar código-fonte]

  1. Va la T.I.A. y se pone al día
  2. El profeta Jeremías
  3. El atasco de influencias
  4. El premio No-vel
  5. El gran sarao
  6. Armas con bicho
  7. La Tergiversicina
  8. La Gomeztroika
  9. El candidato
  10. El ansia de poder
  11. Gatolandia-76
  12. Moscú-80
  13. Los Ángeles-84
  14. Seúl-88
  15. La estatua de la libertad
  16. El huerto siniestro
  17. El estropicio meteorológico
  18. La perra de las galaxias
  19. Los sobrinetes
  20. 13 rue del percebe
  21. El cochecito leré
  22. ¡Ladrones de coches!
  23. Lo que el viento se dejó
  24. Testigo de cargo
  25. El caso del calcetín
  26. La gallina de los huevos de oro
  27. El brujo
  28. Tete cohete
  29. Los guardaespaldas
  30. Objetivo eliminar al « rana »
  31. Los que volvieron de allá
  32. Las embajadas chifladas
  33. Los espantajomanes
  34. La cochinadita nuclear
  35. El caso del Sr. Probeta
  36. La máquina de copiar gente
  37. Billy el « horrendo »
  38. El caso de los párvulos
  39. La elasticina
  40. 13 rue del percebe (2)
  41. Secuestro aéreo
  42. La gente de Vicente
  43. Las tacillas volantes
  44. El preboste de seguridad
  45. Soborno
  46. Clínicas antibirria
  47. El quinto centenario
  48. El S.O.E.
  49. La crisis del golfo
  50. Maastricht... Jesús
  51. Misión de perros
  52. Los gamberros
  53. Los bomberos
  54. Pánico en el zoo
  55. Magín el mago
  56. Los mercenarios
  57. El transformador metabólico
  58. Contrabando
  59. Los secuestradores
  60. ¡A por el niño!
  61. Mundial'78
  62. Mundial'82
  63. El balón catastrófico
  64. Mundial'82 bis
  65. Mundial'94
  66. Los diamantes de la gran duquesa
  67. El elixir de la vida
  68. El antídoto
  69. Los invasores
  70. Los monstruos
  71. Los cacharros majaretas
  72. El circo
  73. Concurso oposición
  74. El otro « yo » del profesor Bacterio
  75. Operación ¡bomba!
  76. Barcelona-92
  77. El 35 aniversario
  78. La ruta del yerbajo
  79. El racista
  80. El nuevo cate
  81. Dinosaurios
  82. El pinchazo telefónico
  83. El bacilón
  84. Cacao espacial
  85. Los kilociclos asesinos
  86. A las armas
  87. La brigada bichera
  88. El ascenso
  89. Hay un traidor en la T.I.A.
  90. El caso de los señores pequeñitos
  91. En Alemania
  92. Terroristas
  93. Los superpoderes
  94. Valor y... ¡al toro!
  95. El caso del bacalao
  96. La máquina del cambiazo
  97. Contra el gang del chicharrón
  98. Safari callejero
  99. Chapeau el « esmirriau »
  100. El sulfato atómico
  101. El plano de Alí-gusa-no
  102. La caja de los diez cerrojos
  103. La caza del caco
  104. Los inventos del profesor Bacterio
  105. A la caza del cuadro
  106. Agencia de información
  107. La historia de Mortadelo y Filemón
  108. Agentes a mogollón
  109. ¡Sálvese quién pueda!
  110. El embrollo matutino
  111. Tres cerebelos estrechos
  112. Ceporros en pleno idilio
  113. Dos cabestros y un pollino
  114. Los demás, todos maltrechos
  115. Pitorreo a domicilio
  116. Gente de recochineo fino
  117. Un topo y dos berberechos
  118. La prensa cardiovascular
  119. Timazo al canto
  120. 20.000 leguas de viaje sibilino
  121. Robots bestiajos
  122. El señor todoquisque
  123. El ángel de la guarda
  124. ¡Pesadilla...!
  125. Corrupción a mogollón
  126. Reyes de la risa
  127. Animalada
  128. Silencio, se rueda!
  129. El disfraz, cosa falaz
  130. ¡Desastre!
  131. Alegres aventuras
  132. Atlanta 96
  133. El jurado popular
  134. 100 años de cómic
  135. Expediente J
  136. El trastomóvil
  137. Mundial'98
  138. La banda de los guiris
  139. Su vida privada
  140. ¡Bye, bye, Hong Kong!
  141. Esos kilitos malditos
  142. Los verdes
  143. Las vacas chaladas
  144. ¡Deportes de espanto!
  145. El oscar del moro
  146. El espeluznante doctor Bíchez
  147. La maldita maquinita
  148. El tirano
  149. La M.I.E.R.
  150. Impeachment!
  151. De los ochenta p'arriba...
  152. Siglo XX: Qué progreso!
  153. Sydney 2000
  154. La Vuelta
  155. La sirenita (La Petite Sirène)
  156. Fórmula 1
  157. La rehabilitación esa
  158. Los Vikingos
  159. ¡Llegó el Euro!
  160. Okupas
  161. El ordenador... ¡Qué horror!
  162. Mundial 2002
  163. ¡Mascotas!
  164. Misión Triunfo
  165. ¡El Estrellato!
  166. Parque de Atracciones
  167. El UVA
  168. Rapto Tremendo
  169. Atenas 2004
  170. El Señor de los Ladrillos
  171. Mortadelo de la Mancha
  172. Prohibido fumar
  173. El Carnet al punto
  174. El kamikaze Regúlez
  175. Mundial 2006
  176. Bajo el Bramido del Trueno!
  177. El dopaje...¡Qué potaje!
  178. Euro Basket 2007
  179. ¡...Y van 50 tacos!
  180. ¡Venganza cincuentona!
  181. ¡El Dos de Mayo!
  182. Pekín 2008
  183. ¡En la Luna!
  184. ¡Por Isis, Llegó la Crisis!
  185. Londres 2012

|}'

Editados no Brasil[editar | editar código-fonte]

A série foi publicada pela Rio Gráfica Editora e pela editora Cedibra na coleção Ases do Humor.[1]

  1. O Sulfato Atômico
  2. Safari na Avenida
  3. Contra a Quadrilha do Torresmo
  4. Touradas em Madrí
  5. O Caso do Bacalhau
  6. Ladrões da Pesada!
  7. Contra Xapô, o Pirado
  8. A Máquina do Contratempo
  9. Contra Magin, o Mago
  10. Como Caçar um Quadro
  11. A Caixa das Dez Chaves
  12. A História de Mortadelo e Salaminho
  13. Os Agentes da T.I.A.
  14. O Outro «Eu» do Professor Bactério
  15. Operação Bomba!
  16. Os Diamantes da Grã-duquesa
  17. Os Invasores
  18. O Elixir da Vida
  19. Deu a Louca no Circo
  20. As Máquinas Envenenadas
  21. O Antídoto
  22. Os Monstros
  23. Nas Olimpíadas
  24. Os Inventos do Professor Bactério
  25. Ombro, Armas!
  26. A T.I.A. contra a S.O.G.R.A.
  27. Inferno no Zoo
  28. Espiões e Trapalhões
  29. Na Copa de 78

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Cinema
  • Entre 1965 e 1970 foi realizada uma série de curtas de animação, produzida pela Estudios Vara.[3] Embora a intenção dos animadores foi criar uma série de televisão, os 16 curtas-metragens que foram criados foram divididos em dois filmes, cada curta teve aproximadamente 6 minutos. Eles são independentes e originais, porque eles não se baseiam em nenhuma história em quadrinhos da franquia.
  • No início dos anos setenta, vários filmes de animação foram libertados, os dois primeiros dos quais foram uma reunião dos curtas (Festival de Mortadelo y Filemón e Segundo festival de Mortadelo y Filemón), o terceiro é um longa-metragem de fato, El armario del tiempo. Todos foram dirigidos por Rafael Vara Cuervo.[4]

A franquia também teve filmes live-action, o primeiro foi La gran aventura de Mortadelo y Filemón, lançado em 2003, dirigido por Javier Fesser e Benito Pocino estrelando no papel de Mortadelo e Pepe Viyuela no papel de Filemón.[5]

Seu segundo filme, Mortadelo y Filemón. Misión: Salvar la Tierra, foi lançado em 2008 como uma comemoração do 50º aniversário dos personagens. Pepe Viyuela repetiu o papel como Filemón, mas desta vez Mortadelo foi interpretado por Eduard Soto, devido a diferenças com o ator que já havia encarnado o personagem, Benito Pocino.

Em novembro de 2014, estreou Mortadelo y Filemón contra Jimmy el "Cachondo,[5] o terceiro filme baseado nos personagens. Desta vez é um filme de animação em 3D, dirigido por Javier Fesser novamente. Desta vez, os personagens estavam mais fieis aos quadrinhos: Mais animado, inocente e festivo, o mais adequado para público jovem-adulto (a quem Ibanez sempre dirigiu), mas ainda tinha (em menor grau) o humor vulgar, grosseiro e aspectos rudes dos dois filmes anteriores, sendo criticado por isso. Neste filme de animação, as vozes dos personagens principais são feitas pelo Karra Elejalde (Mortadelo) e Topera janfri (Filemón).

Televisão

Eem 1994, foi criado série animada homônima para a própria televisão, produzida pela BRB Internacional e Antena 3.[6] A série composto por 26 episódios divididos em duas temporadas de 13 episódios de 20 minutos de duração cada. Desta vez são baseados nas longas aventuras criadas por Ibanez.

Videogames

Na década de 1980, dois jogos oficiais para plataformas de 8 bits foram feitos: Mortadelo y Filemón (1988)[7] e Mortadelo y Filemón II: Safari callejero (1989), ambos distribuídos na Espanha pela Dro Soft, que foram acompanhados por várias adaptações não oficiais, como Morta y File (1985),[8] El hundimiento del Titánic (1986),[9] En busca de Mortadelo (1988),[10] entre outros. Há vários jogos posteriores para PC: Mortadelo y Filemón: Una aventura de cine,[11] Mortadelo y Filemón: El Sulfato Atómico,[12] Mortadelo y Filemón: La Máquina Meteoroloca,[13] Mortadelo y Filemón: Dos Vaqueros Chapuceros,[14] Mortadelo y Filemón: Terror, Espanto y Pavor,[15] Mortadelo y Filemón: La Banda de Corvino (baseado em Balones y Patadones e Mamelucos a la romana)[16] e Mortadelo y Filemón: La Sexta Secta (baseado em Operación Moscú e El escarabajo de Cleopatra).[17] Todas las aventuras foram produzidas pela Alcachofa Soft, exceto La Máquina Meteoroloca, que foiu realizada pela VEGA.

Teatro Musical

Mortadelo y Filémon foram adaptados para o teatro musical com a peça "Mortadelo y Filemón, the miusical", que estreou em junho de 2008 no Teatro Campoamor, em Oviedo e em setembro do mesmo ano foi apresentado no Teatro Tivoli, em Barcelona. Dirigida por Ricard Reguant e produzida pela Zebra Producciones e Mucho Ruido Records, o musical como Mortadelo (Jacobo Dicenta) e Filemón (Juan Carlos Martín) são responsáveis pela segurança da peça ""l Fantoche de la Opereta" que carrega uma maldição.[18]

Mortadelo e Salaminho no mundo[editar | editar código-fonte]

Suas histórias foram vendidas ao redor do mundo. Recebendo diversas versões do seu nome original espanhol (Mortadelo y Filemón). Segue abaixo alguns dos nomes que estes simpáticos e atrapalhados agentes secretos recebem.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mortadelo y Filemón
Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.