Nova Floresta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para o bairro de Belo Horizonte, veja Nova Floresta (Belo Horizonte).
Disambig grey.svg Nota: Para as reflexões do padre Manuel Bernardes, veja Nova Floresta (obra de Manuel Bernardes).
Município de Nova Floresta
Bandeira de Nova Floresta
Brasão de Nova Floresta
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 6 de junho
Fundação 20 de outubro de 1936 (83 anos)
Gentílico nova-florestense
Lema A Princesinha do Curimataú
Padroeiro(a) São Severino Bispo
Prefeito(a) Jarson Santos da Silva (PSB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Nova Floresta
Localização de Nova Floresta na Paraíba
Nova Floresta está localizado em: Brasil
Nova Floresta
Localização de Nova Floresta no Brasil
06° 27' 18" S 36° 12' 10" O06° 27' 18" S 36° 12' 10" O
Unidade federativa Paraíba
Região intermediária

Campina Grande IBGE/2017[1]

Região imediata

Cuité-Nova Floresta IBGE/2017[1]

Região metropolitana Barra de Santa Rosa
Municípios limítrofes Cuité, Picuí e Jaçanã, RN
Distância até a capital 120 km
Características geográficas
Área 58,839 km² [2]
População 10 533 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 179,01 hab./km²
Altitude 667 m m
Clima semi-árido SA
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,606 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 34 813,291 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 376,65 IBGE/2008[5]

Nova Floresta é um município brasileiro situado no estado da Paraíba, localizado na Região Geográfica Imediata de Cuité-Nova Floresta. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2010 sua população era em 10 533 habitantes. Área territorial de 59 km². Tornou-se nacionalmente conhecida como a terra da abóbora gigante.

História[editar | editar código-fonte]

O município de Nova Floresta surgiu por volta de 1870 no sitio Estrondo, o primeiro morador do sitio Estrondo foi o Sr. Cecílio Ferreira de Araújo, sogro dos Senhores: Manuel Ramos Dantas, mais conhecido como Manuel Cazuza, Sandoval Sabino de Araújo e Luiz Sabino. O Sr. Cecílio era o proprietário das terras do Estrondo e da casa de farinha pertencente ao município de Cuité-PB. Em 1927 chegou ao local o sr. Benedito Marinho da Costa que se estabeleceu com um pequeno comércio e classificou o lugar como "nova floresta", que deu origem ao topônimo. A partir dai, o pequeno povoado tomou vulto. Já em 1930, o sr. Benedito Marinho transferiu parte dos seus negócios para Felinto Florentino de Azevedo, que adquiriu muitas terras na região. Em 1936, Felinto Florentino de Azevedo (23 de agosto de 1881 - 1962), que chegara a localidade em 1934, doou o terreno para a construção da Capela de São Severino Bispo e construiu inúmeras residências, facilitando as condições de crescimento. Após dois anos, realizava-se a primeira feira-livre do povoado, que ainda hoje se faz com grande movimento, foi em um domingo no ano de 1938. Com o passar dos tempos, o lugarejo foi crescendo e ganhando espaços culturais, como o Nova Floresta Clube, o prédio público mais antigo da cidade, em 1951. No ano seguinte foi inaugurada a Amplificadora Muirapiranga pelo jovem Menézio Dantas. Em consequência do crescimento urbano, populacional e cultural da então vila de Nova Floresta, em 29 de março de 1955 foi elevada a categoria de distrito pertencente a Cuité. Por volta de 1959, Nova Floresta já contava com um clube, uma escola pública, um serviço de radiodifusora,o cartório de registro civil e a economia girava em torno do pequeno comércio e da agricultura de subsistência e da cultura do sisal destacando-se a atuação da família Irineu, principalmente Sebastião Clementino de Lima (Seu Nozinho), o maior produtor de agave e agropecuarista na região.A cidade foi a maior produtora da fibra no Brasil. Na política tinha Benedito Marinho da Costa como seu representante na câmara de Cuité, fatores que contribuíram para sua elevação a município.

Emancipação e o governo provisório[editar | editar código-fonte]

Por intermédio dos Senhores Felinto Florentino de Azevedo, Benedito Marinho da Costa e Francisco Estevão de Andrade, iniciaram-se as gestões para a emancipação política de Nova Floresta em 1959. O pedido foi atendido e em 30 de abril de 1959, onde ocorreu a elevação do Distrito a categoria de cidade através da Lei n° 2.077. Após a emancipação, o então governador da Paraíba Pedro Gondim, nomeia como chefe de um governo provisório, Felinto Florentino de Azevedo em 6 de maio de 1959. Apesar da emancipação ter ocorrido a 30 de abril a instalação oficial ocorreu somente em 6 de junho de 1959. Vale salientar que as festividades ocorrem nesta data devido à tradição popular. A ata de instalação foi lavrada por Severino Ramos de Oliveira. O Governo provisório não teve um vice-prefeito e não houve poder legislativo e os atos do governo de Felinto Florentino foram reconhecidos pela Câmara de vereadores do seu sucessor.

Política[editar | editar código-fonte]

O ano da emancipação e da nomeação de Felinto Florentino coincidiu com um ano de eleições municipais na Paraíba. Saíram candidatos o comerciante Benedito Marinho da Costa pelo PSD e o advogado Firu pelo PTB. A vitória prevista de Benedito Marinho foi confirmada em 02 de agosto de 1959. Benedito Marinho foi o 1º prefeito eleito de Nova Floresta com 464 votos (83,3%) contra 93 votos (16,7%) de seu adversário. Em termos atinentes e percentuais, Benedito Marinho foi o prefeito mais votado da história de Nova Floresta. Benedito Marinho e seu vice, Francisco Estevão de Andrade, tomaram posse em 30 de novembro de 1959 e permaneceram no cargo até 31 de janeiro de 1963. Nova Floresta sempre foi criticada pela "politicagem" que existe durante as campanhas até os dias atuais por parte dos políticos e dos eleitores, estes chamados vulgarmente de "partidários fanáticos". Destacamos abaixo, a lista com os nomes dos prefeitos de Nova Floresta:

Nome Período Notas
Prefeitos
Felinto Florentino de Azevedo 1959- prefeito nomeado
Benedito Marinho da Costa 1959-1963 1º prefeito eleito
Menézio Dantas 1963-1969
Silvino Aristides dos Santos 1969-1973
Silvestre Garcia da Silva 1973-1977
João Soares de Oliveira 1977-1983
Silvestre Garcia da Silva 1983-1988 2º mandato
Gemires Faustino Pereira 1989-1992
Severino Ramos de Oliveira 1993-1996
10º Edílson Batista de Azevedo 1997-2000
11º Severino Ramos de Oliveira 2001-2004 2º mandato
12º José Zito de Farias Andrade 2005-2008
13º João Elias da S. Neto Azevedo 2009-2016 2 mandatos consecutivos
14º Jarson Santos da Silva 2017 atual


Geografia[editar | editar código-fonte]

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, definida pelo Ministério da Integração Nacional em 2005. Esta delimitação tem como critérios o índice pluviométrico, o índice de aridez e o risco de seca. Apesar disso, por estar acima de 500 metros de altitude acima do nível do mar, possui clima tropical de altitude. Situado na Serra de Cuité, o município de Nova Floresta se apresenta com solos rasos e pedregosos. Seu relevo a define como uma das cidades mais altas do Curimataú.

Clima[editar | editar código-fonte]

Por situar-se no curimataú paraibano, possui um clima menos árido do que o predominante no sertão do estado (clima tropical semiárido). Além disso, a altitude de 667 metros acima do nível do mar garante brisas calmas e temperaturas mais amenas durante todo o ano, diz Adailton Gomes.


Canais de TV[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 17 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 10 de agosto de 2017 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]